Campo Grande, Segunda-Feira , 26 de Junho - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: zeca-do-pt

Zeca do PT e seu ex-companheiro Ruiter Cunha (PSDB) carregando o andor oficial do Banho de São João em Corumbá

Postado por Marco Eusébio , 24 Junho 2017 às 14:30 - em: Principal

O deputado federal Zeca do PT e seu ex-companheiro de partido que virou tucano Ruiter Cunha, prefeito de Corumbá, voltaram a ficar lado a lado carregando o andor oficial da prefeitura na noite anterior para o Banho de São João nas águas do rio Paraguai, ponto alto da festa junina que é uma das atrações turísticas da maior cidade do Pantanal.  No tradicional ritual de descida da ladeira do Porto Geral, fieis passam por baixo dos andores, caminham descalços e banham as dezenas de imagens conduzidas pelas famílias até as margens do rio. O evento contou ainda com a presença do deputado federal Vander Loubet (PT) e do secretário estadual de Cultura, Athayde Nery, representando o governador Azambuja (PSDB). Veja abaixo o vídeo divulgado por Zeca no Facebook.




Na contramão de senadores que estão de olho na Câmara, Zeca do PT confirma que sua meta é o Senado

Postado por Marco Eusébio , 22 Junho 2017 às 16:00 - em: Principal

Com respingos da Lava Jato Brasil afora, senadores de vários estados, cujos mandatos estarão expirando no ano que vem, cogitam desistir da reeleição (que deve ser ainda mais difícil com a torneira dos grandes doadores fechada) para disputar cadeiras de deputado federal e manter o foro privilegiado. Indaguei ao deputado federal Zeca do PT se pretende entrar nessa onda e alterar seus planos eleitorais para 2018 em MS. O ex-governador foi curto e objetivo: "Disputo o Senado. E só!"




Zeca do PT na etapa estadual do congresso petista que o elegeu presidente da sigla em MS

Postado por Marco Eusébio , 22 Junho 2017 às 10:15 - em: Principal

Zeca do PT toma posse hoje na presidência do Diretório Regional do Partido dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul com demais membros do colegiado. O evento será a partir das 19h no Plenarinho da Câmara dos Vereadores de Campo Grande. Zeca foi eleito em maio, após derrotar o ex-prefeito de Mundo Novo, Humberto Amaducci na etapa estadual do 6º Congresso Nacional Marisa Letícia Lula da Silva, e vai comandar a sigla pelos próximos dois anos com o desafio de unir o partido, que saiu fragmentado das últimas eleições municipais e busca se reerguer para a disputa eleitoral de 2018.




Na entrevista publicada na nova edição da Época, Joesley diz que pagamento de propina começou em MS

Postado por Marco Eusébio , 17 Junho 2017 às 14:15 - em: Principal

Na entrevista à revista Época em que acusa Michel Temer de chefiar a maior "organização criminosa do Brasil", o empresário Joesley Batista, dono da JBS, diz que o grupo inaugurou esse sistema de pagar propina em Mato Grosso do Sul. "A primeira vez que fui abordado com essa forma de operar foi em Mato Grosso do Sul, no governo Zeca do PT. Vi uma estrutura organizada no andar de cima, com o governador. As coisas no estado só funcionariam dentro da normalidade se estivéssemos alinhados com ele. Esse esquema perdurou até hoje. Foi do PT ao PMDB e, agora, está no PSDB. Tudo com o mesmo modelo, o mesmo modus operandi. Mudam os nomes, mas o sistema permanece igual".




Ciro pode ser o 'candidato das esquerdas', mas para isso é preciso 'maneirar em certos comportamentos' avalia Zeca do PT

Postado por Marco Eusébio , 15 Junho 2017 às 15:15 - em: Principal

Depois de Rui Falcão dizer no início do mês, antes de entregar a presidência nacional do PT a Gleisi Hoffman, que caso Lula não seja candidato, seria possível uma aliança com Ciro Gomes para as eleições presidenciais de 2018, a alternativa repercute dentre lideranças da sigla. Perguntei hoje ao presidente do partido em Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, o que ele pensa a respeito. O ex-governador e deputado federal respondeu ter "uma enorme simpatia pelo nome de Ciro Gomes", a quem considera "preparado, corajoso, com condições de ocupar qualquer cargo público nacional", mas ponderou que Ciro deve corrigir algumas coisas. 

"Penso que o Ciro erra quando bate, agride o PT e agride o Lula", afirmou Zeca, salientando que isso afasta a militância e lideranças petistas que "têm um enorme potencial para ajudá-lo nessa empreitada". Para o ex-governador, se Ciro Gomes "corrigir isso, se aproximar do PT respeitando nossas diferenças, não tem problema nenhum". O dirigente petista acredita também que Ciro deve "maneirar um pouco em determinados comportamentos". Assim, sublinhou, o cearense poderá ser "de fato um grande candidato para mudar a história do Brasil e um grande candidato, de fato, das esquerdas brasileiras". Ouça o áudio abaixo.





Diretoria da OAB-MS vai protocolar pedido ao Supremo na segunda-feira

Postado por Marco Eusébio , 20 Maio 2017 às 13:45 - em: Principal

Um dia depois da quebra de sigilo e divulgação de vídeo de depoimento de Wesley Batista à Lava Jato, revelando pagamento de propina a governadores de Mato Grosso do Sul para obter benefícios fiscais aos frigoríficos JBS no estado, num esquema que teria sido iniciado na gestão do ex-governador Zeca do PT, mantido nos mandatos de André Puccinelli (PMDB) e chegado à gestão do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a Seccional estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) anunciou hoje que vai pedir oficialmente ao relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, acesso integral aos documentos oficiais dos processos relativos ao Estado. O pedido será protocolado na próxima segunda-feira no Supremo, diz a diretoria da OAB-MS em nota divulgada neste sábado (leia aqui a íntegra) frisando que a instituição "reitera seu compromisso irrestrito de defender a Constituição e a ordem jurídica, tomando todas as medidas necessárias para atingir suas finalidades institucionais".




Acusado de iniciar a cobrança de propina, Zeca acusa Wesley que querer se beneficiar com delação

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 19:45 - em: Principal

Em reação à divulgação do depoimento em delação premiada de Wesley Batista, do grupo JBS, que acusa ele e seus dois sucessores de receberem propina para conceder isenções fiscais ao grupo frigorífico em Mato Grosso do Sul (leia aqui), o deputado federal e ex-governador Zeca do PT afirmou hoje que "nunca pediu e nem tomou conhecido de que alguém tenha pedido propina ao referido grupo em seu nome ou em nome do governo", e diz não temer a "alardeada delação". Leia, abaixo, a íntegra:
 
"NOTA SOBRE A CITAÇÃO NA DELAÇÃO DO JBS
 
O deputado Zeca do PT não tem o menor temor da alardeada delação dos executivos do grupo JBS, já que na condição de ex-governador do Estado, nunca pediu e nem tomou conhecimento de que alguém tenha pedido propina ao referido grupo em seu nome ou em nome do seu governo.
 
Resta desafiado que seja apresentado qualquer prova ou indício do fato aludido na referida delação.
 
O Deputado Zeca do PT confia que o poder judiciário ao final da apuração saberá distinguir as verdadeiras imputações daquelas que tem um único propósito: Obter benefício com uso indevido da delação premiada.
 
Deputado Federal Zeca do PT
19/05/2017"



Esquema teria iniciado no governo Zeca, passado por André e chegado a Azambuja diz Joesley

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 19:00 - em: Principal

A denúncia que abalou o governo Temer chegou hoje a Mato Grosso do Sul. Suposto esquema de pagamento de propinas a governadores do estado em troca de isenção de ICMS para a rede de frigoríficos do JBS que teria começado na gestão de Zeca do PT, continuado nos mandatos de André Puccinelli (PMDB) e chegado até a atual gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB) é revelado em um dos capítulos da delação premiada do sócio do grupo, Wesley Batista, irmão de Joesley. "Mato Grosso do Sul é um esquema de benefícios fiscais para redução da alíquota do ICMS. Esse esquema começou quando o Zeca do PT foi eleito", diz Wesley em vídeo gravado no último dia 4 de maio, no capítulo que leva o nome do Estado na delação homologada pelo relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, cujo sigilo foi suspenso hoje. Veja abaixo o vídeo em que Wesley dá detalhes sobre o assunto, divulgado hoje pelo site Midiamax de Campo Grande.




Se não houver provas consistentes, André, como Lula, pode ficar mais forte avalia Zeca

Postado por Marco Eusébio , 11 Maio 2017 às 12:30 - em: Principal

O deputado federal Zeca do PT comparou seu principal adversário político André Puccinelli (PMDB) ao seu principal aliado, o ex-presidente Lula, como alvos de investigações da Polícia Federal que, na opinião do ex-governador petista poderão ficar ainda mais fortes políticamente para as eleições estaduais e federais de 2018 caso não haja provas consistentes contra eles.

Ao comentar a nova fase da Operação Lama Asfáltica deflagrada hoje pela Polícia Federal que colocou tornozeleira eletrônica e proibiu o ex-governador de deixar Campo Grande, Zeca disse ao Blog que lamenta a situação. "Penso que devemos ser coerentes. Essa situação é muito ruim para a imagem do Estado". Frisando que faz "luta política, não pessoal", Zeca disse que não comemora a ação contra o adversário.

Zeca do PT comparou a situação de André à de Lula, alvo de denúncias na imprensa originadas na operação Lava Jato, no momento em que ambos são fortes nomes para as eleições de 2018, um para voltar a disputar o governo estadual e o outro para voltar a concorrer à Presidência da República.

"O ônus da prova cabe a quem acusa. A expectativa agora deve ser da apresentação das provas sobre toda a investigação, sob pena de parecer com o que aconteceu na Lava Jato: um monte de indícios e de hipóteses sem nenhuma prova concreta", disse o ex-governador. Para Zeca, se essas provas não existirem, André pode ficar ainda mais forte políticamente, e comparou: "Veja o caso do Lula: é alvo de quatro ou cinco investigações, mas, sem provas suficientes das acusações, ele fica cada vez mais forte".




Zeca vai substituir Biffi na presidência do PT-MS, apoiado pela maioria das forças da sigla hoje

Postado por Marco Eusébio , 06 Maio 2017 às 16:45 - em: Principal

José Orcírio Miranda dos Santos, o deputado federal Zeca, é o novo presidente estadual do partido em Mato Grosso do Sul. Apoiado pela maioria dos mandatários e correntes que elegeram delegados para a etapa estadual do 6º Congresso Nacional do PT, o ex-governador acaba de ser eleito durante o evento neste sábado na sede da Fetems, em Campo Grande.
 
Já na abertura do encontro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi, na presidência da sigla, deu o tom de união. Frisou que o objetivo era "fazer um evento em o diálogo deve predominar para o fortalecimento do PT no estado". Zeca destacou a necessidade de buscar a união para o projeto maior, "de eleger Lula" novamente presidente. Os discursos dos demais parlamentares seguiram a mesma linha.
 
Disputas internas ficaram para trás. De saída da presidência do partido em Campo Grande, Maria Rosana Gama disse que, mesmo tendo perdido as eleições internas para Agamenon do Prazo apoiado pelo grupo de Zeca, estará "sempre na luta para construir um PT cada vez mais forte".
 
A candidatura inicial do grupo era de Ananias Costa, ligado a Zeca. Entretanto, um antigo petista, pouco antes do encontro, projetou aqui ao Blog o objetivo das principais lideranças estaduais da legenda: "A tese é que na recuperação do PT é preciso que quem tem mais autoridade, liderança e projeção presida o partido. Daí a união em torno do ex-governador Zeca".