Campo Grande, Quinta-Feira , 25 de Maio - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: zeca-do-pt

Diretoria da OAB-MS vai protocolar pedido ao Supremo na segunda-feira

Postado por Marco Eusébio , 20 Maio 2017 às 13:45 - em: Principal

Um dia depois da quebra de sigilo e divulgação de vídeo de depoimento de Wesley Batista à Lava Jato, revelando pagamento de propina a governadores de Mato Grosso do Sul para obter benefícios fiscais aos frigoríficos JBS no estado, num esquema que teria sido iniciado na gestão do ex-governador Zeca do PT, mantido nos mandatos de André Puccinelli (PMDB) e chegado à gestão do atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a Seccional estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) anunciou hoje que vai pedir oficialmente ao relator da Lava Jato no Supremo, ministro Edson Fachin, acesso integral aos documentos oficiais dos processos relativos ao Estado. O pedido será protocolado na próxima segunda-feira no Supremo, diz a diretoria da OAB-MS em nota divulgada neste sábado (leia aqui a íntegra) frisando que a instituição "reitera seu compromisso irrestrito de defender a Constituição e a ordem jurídica, tomando todas as medidas necessárias para atingir suas finalidades institucionais".




Acusado de iniciar a cobrança de propina, Zeca acusa Wesley que querer se beneficiar com delação

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 19:45 - em: Principal

Em reação à divulgação do depoimento em delação premiada de Wesley Batista, do grupo JBS, que acusa ele e seus dois sucessores de receberem propina para conceder isenções fiscais ao grupo frigorífico em Mato Grosso do Sul (leia aqui), o deputado federal e ex-governador Zeca do PT afirmou hoje que "nunca pediu e nem tomou conhecido de que alguém tenha pedido propina ao referido grupo em seu nome ou em nome do governo", e diz não temer a "alardeada delação". Leia, abaixo, a íntegra:
 
"NOTA SOBRE A CITAÇÃO NA DELAÇÃO DO JBS
 
O deputado Zeca do PT não tem o menor temor da alardeada delação dos executivos do grupo JBS, já que na condição de ex-governador do Estado, nunca pediu e nem tomou conhecimento de que alguém tenha pedido propina ao referido grupo em seu nome ou em nome do seu governo.
 
Resta desafiado que seja apresentado qualquer prova ou indício do fato aludido na referida delação.
 
O Deputado Zeca do PT confia que o poder judiciário ao final da apuração saberá distinguir as verdadeiras imputações daquelas que tem um único propósito: Obter benefício com uso indevido da delação premiada.
 
Deputado Federal Zeca do PT
19/05/2017"



Esquema teria iniciado no governo Zeca, passado por André e chegado a Azambuja diz Joesley

Postado por Marco Eusébio , 19 Maio 2017 às 19:00 - em: Principal


Se não houver provas consistentes, André, como Lula, pode ficar mais forte avalia Zeca

Postado por Marco Eusébio , 11 Maio 2017 às 12:30 - em: Principal

O deputado federal Zeca do PT comparou seu principal adversário político André Puccinelli (PMDB) ao seu principal aliado, o ex-presidente Lula, como alvos de investigações da Polícia Federal que, na opinião do ex-governador petista poderão ficar ainda mais fortes políticamente para as eleições estaduais e federais de 2018 caso não haja provas consistentes contra eles.

Ao comentar a nova fase da Operação Lama Asfáltica deflagrada hoje pela Polícia Federal que colocou tornozeleira eletrônica e proibiu o ex-governador de deixar Campo Grande, Zeca disse ao Blog que lamenta a situação. "Penso que devemos ser coerentes. Essa situação é muito ruim para a imagem do Estado". Frisando que faz "luta política, não pessoal", Zeca disse que não comemora a ação contra o adversário.

Zeca do PT comparou a situação de André à de Lula, alvo de denúncias na imprensa originadas na operação Lava Jato, no momento em que ambos são fortes nomes para as eleições de 2018, um para voltar a disputar o governo estadual e o outro para voltar a concorrer à Presidência da República.

"O ônus da prova cabe a quem acusa. A expectativa agora deve ser da apresentação das provas sobre toda a investigação, sob pena de parecer com o que aconteceu na Lava Jato: um monte de indícios e de hipóteses sem nenhuma prova concreta", disse o ex-governador. Para Zeca, se essas provas não existirem, André pode ficar ainda mais forte políticamente, e comparou: "Veja o caso do Lula: é alvo de quatro ou cinco investigações, mas, sem provas suficientes das acusações, ele fica cada vez mais forte".




Zeca vai substituir Biffi na presidência do PT-MS, apoiado pela maioria das forças da sigla hoje

Postado por Marco Eusébio , 06 Maio 2017 às 16:45 - em: Principal

José Orcírio Miranda dos Santos, o deputado federal Zeca, é o novo presidente estadual do partido em Mato Grosso do Sul. Apoiado pela maioria dos mandatários e correntes que elegeram delegados para a etapa estadual do 6º Congresso Nacional do PT, o ex-governador acaba de ser eleito durante o evento neste sábado na sede da Fetems, em Campo Grande.
 
Já na abertura do encontro, o ex-deputado Antonio Carlos Biffi, na presidência da sigla, deu o tom de união. Frisou que o objetivo era "fazer um evento em o diálogo deve predominar para o fortalecimento do PT no estado". Zeca destacou a necessidade de buscar a união para o projeto maior, "de eleger Lula" novamente presidente. Os discursos dos demais parlamentares seguiram a mesma linha.
 
Disputas internas ficaram para trás. De saída da presidência do partido em Campo Grande, Maria Rosana Gama disse que, mesmo tendo perdido as eleições internas para Agamenon do Prazo apoiado pelo grupo de Zeca, estará "sempre na luta para construir um PT cada vez mais forte".
 
A candidatura inicial do grupo era de Ananias Costa, ligado a Zeca. Entretanto, um antigo petista, pouco antes do encontro, projetou aqui ao Blog o objetivo das principais lideranças estaduais da legenda: "A tese é que na recuperação do PT é preciso que quem tem mais autoridade, liderança e projeção presida o partido. Daí a união em torno do ex-governador Zeca".



Agamenon venceu Maria Rosana neste domingo em segundo turno das eleições internas do PT

Postado por Marco Eusébio , 01 Maio 2017 às 17:00 - em: Principal

Agamenon do Prado é o presidente eleito do PT de Campo Grande. O ex-secretário de Trabalho do governo Zeca venceu em segundo turno ontem com 433 votos, 44 a mais do que a atual presidente Maria Rosana Gama, que obteve 389. O resultado reforça o favoritismo do grupo do ex-governador e atual deputado federal Zeca do PT que deve eleger Ananias dos Santos para a presidência estadual da sigla, hoje ocupada pelo ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi. Essa nova disputa será pelo voto de 250 delegados estaduais eleitos no dia 9 deste mês e ocorrerá no próximo fim de semana, dias 5 e 6, durante o Congresso Estadual do PT-MS. O local, ainda não confirmado, deve ser a sede da Fetems na Capital.



Em vídeo, Zeca comemorou derrota do 'governo golpista'

Postado por Marco Eusébio , 18 Abril 2017 às 20:45 - em: Principal

O governo Michel Temer sofreu uma derrota na Câmara na noite anterior ao tentar aprovar requerimento de urgência para votar ainda hoje ou no mais tardar na quarta-feira a reforma trabalhista. O pedido de urgência precisava de 257 votos favoráveis para ser aprovado, mas recebeu 230. Com isso, o prazo para emendas está mantido para até a semana que vem. Em vídeo gravado na Câmara e postado no Facebook (veja aqui), o deputado Zeca do PT comemorou. "Uma orquestrada ação dos partidos de oposição, mais parte da bancada de sustentação do governo golpista do Temer, que começa cada vez mais perder espaço nesta Casa, derrotamos o requerimento de urgência. E joga para um futuro incerto a tentativa deles de fazer a reforma trabalhista, como pretendem fazer a reforma previdenciária", afirmou o petista.




Zeca e Delcídio durante campanha nos tempos de aliados
Depois de tomar conhecimento do teor da denúncia que levou seu nome a entrar na lista de Fachin (leia abaixo), o deputado federal Zeca do PT enviou ao Blog há pouco, via WhatsApp, nova nota sobre o assunto hoje.
 
Leia a íntegra:
            
"Tomei conhecimento agora há pouco do inteiro teor da denúncia contra minha pessoa acatada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
                        
Diz a denúncia que o delator do Grupo Odebrecht se refere a um pagamento de R$ 400 mil para minha campanha a Governador em 2006. Em seguida diz o mesmo delator, que tendo ocorrido minha desistência da candidatura naquela eleição, o referido valor foi repassado ao Senador Delcídio, candidato do PT ao Governo, com o qual mantinha detalhadas reuniões, segundo o mesmo delator.        
               
Ocorre aí um erro enorme. Fui eleito governador em 1998 e reeleito em 2002. Portanto em 2006 estava impedido de ser candidato a governador e não disputei nenhum cargo naquela eleição.
                        
Apoiei o nosso candidato, mas não tive nenhuma outra responsabilidade, seja de captação, seja de prestação de contas junto a Justiça Eleitoral. Esperando ter esclarecido a opinião pública, peço reparação da injustiça cometida nesta denúncia.
 
Deputado Federal Zeca do PT"