Campo Grande, Terça-Feira , 23 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: vendas-online

A meia acima faz parte da promoção 'só em tal tamanho'. Atenção: se você não procurar atentante o selo, poderá ser enganado

Postado por Marco Eusébio , 04 Janeiro 2018 às 09:00 - em: Papo de Arquibancada

Aviso aos navegantes. Faz alguns anos compro na Netshoes. Até este novo ano, nunca tive problemas. Além disso a compra online é prática, fácil, confiável e com bons preços. Por isso, resolvi comprar na Zattini, parceira deles, na promoção três por 99 reais. Perfeito. Até comprei de novo. Sem problemas. 
 
Vai daí que vi promoção similar na Netshoes início de ano. Furada. Na hora de fechar a conta, os 99 viraram por 178 reais, incluindo fretes. Liguei lá. A explicação foi a de que tais produtos são vendidos por empresas parceiras. Oras, então porque a Netshoes oferece seu nome na hora de propagandear? Não acessei sites das tais parceiras, aleguei. Fizeram ouvidos de mercador. 
 
Segunda explicação: o produto só está na promoção se for em determinada numeração, outro em determinada cor etc. Como saber isso? - perguntei. Você tem de ver o "selo", respondeu a atendende. 
 
Mas se esses produtos todos estão na seção da promoção, por quê eu tenho de ficar observando, um por um, se estão com o tal selo. Isso a moça não soube explicar. Só disse: você tem procurar o "selo". Me fez lembrar o Chicó, de o Auto da Compadecida do grande Ariano Suassuna, que, questionado sobre certos absurdos, respondia: "Não sei, só sei que foi assim".
 
Ou seja, propaganda enganosa. Coisa que não merece nem reclamação nos Procons da vida, que se dizem fiscalizadores quando interessa a eles, mas deveriam, de fato, fiscalizar e coibir essas enganações, sem ficar à espera de reclamações para fazer seu papel. 
 
No caso da compra acima, a atendente teve o bom senso de perguntar se eu queria cancelar o negócio. Diante de minha resposta afirmativa, de fato, ela cancelou, embora bastasse não pagar o boleto no prazo limite fixado para a compra ser cancelada.
 
Resumindo essa história da vida real, enquanto a venda online no Brasil seguir o lema das promoções das lojas de concreto, com "pegadinhas", e a fiscalização oficial só funcionar esperando reclames, embora faça questão de propagandear suas raras blitze, resta, ao virtual ou presencial consumidor, ficar atento, se não quiser, infelizmente, ser enganado.



Pedro Chaves, relator da reforma: 'O último código comercial é de 1850 e está muito defasado'

Postado por Marco Eusébio , 15 Dezembro 2017 às 15:30 - em: Principal

O senador Pedro Chaves (PSC-MS) foi designado relator da Reforma do Código Comercial brasileiro (PLS 487/2013) que estabelecerá mudanças nas leis comerciais do país. O projeto visa, por exemplo, previsões quanto ao aumento da segurança jurídica nas relações empresariais e a atualização da Lei de Falências (Lei 11.101/2005). Para Chaves, é necessário modernizar o código vigente. "O último código comercial é de 1850 e está muito defasado. É de uma realidade totalmente fora da atual. Hoje temos o comércio eletrônico, a utilização da internet e tudo isso vem facilitar os negócios entre comprador e consumidor", disse o senador. Em 2002, o Código Civil tentou incorporar itens do Código Comercial, mas deixou fora temas importantes como o comércio da internet. "Não foi levada em conta essa modernização, então teremos agora um código comercial moderno e atual que vai atender comerciantes e consumidores", declarou Pedro Chaves.




Pesquisa é do CupoNation, que faz parte do Global Savings Group, multinacional alemã presente no Brasil desde 2012

Postado por Marco Eusébio , 28 Outubro 2017 às 09:00 - em: Principal

Levantamento feito com os 50 calçados mais pedidos pelas crianças em grandes lojas físicas da cidade de São Paulo constata que a variação do preço de um mesmo calçado pode chegar a até 46%, se comparado às lojas online. A média da variação dos preços online e offline chega a 17%. Dos 50 calçados pesquisados, só nove têm valores iguais nas lojas físicas e online, e apenas dez possuem uma variação de preço abaixo de 5%. O valor médio gasto por um calçado nas lojas online chega a R$113, enquanto nas lojas físicas, R$138. O levantamento é do CupoNation, que faz parte do Global Savings Group, multinacional alemã presente em mais de 25 países, no Brasil desde 2012, operando com plataformas de descontos online.




Categorias avaliadas na pesquisa Fipe-Buscapé e IBGE representam 80% das vendas pela internet no Brasil

Postado por Marco Eusébio , 25 Outubro 2017 às 12:15 - em: Principal

Com queda de 10,5% nos preços, a telefonia, seguida pelas categorias fotografia (-6,55%) e moda & acessórios (-2,33%) puxaram para baixo a inflação das vendas pela internet de janeiro a setembro deste ano que no total acumulou redução de 1,36%. Os dados são da pesquisa Fipe-Buscapé e IBGE divulgada nesta semana, que registrou aumento de preços em brinquedos & games (5,16%), cosméticos & perfumaria (3,51%) e eletrônicos (3,26%). Essas categorias representam 80% das compras no comércio eletrônico. Criado em 2011, o índice Fipe-Buscapé monitora preços do e-commerce brasileiro com auxílio da base de dados do Buscapé e do Ebit, empresa de acompanhamento de preços com mais de 21 mil lojas online parceiras. No acumulado do período, o IPCA foi de 1,78%. Veja mais no site Black-Friday.Sale Brasil.