Campo Grande, Domingo , 17 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: senado

Ronaldinho posa com livro de Bolsonaro nas mãos ao lado do vice-presidente do PEN, Gutemberg Fonseca

Postado por Marco Eusébio , 15 Dezembro 2017 às 14:15 - em: Principal

Ronaldinho Gaúcho acertou com dirigentes do PEN, futuro Patriota, que vai disputar o Senado em 2018, por Minas Gerais, onde jogou pelo Atlético Mineiro. Conforme o blog do Lauro Jardim em O Globo, o assunto foi tratado pelo ex-jogador com o vice-presidente do Patriota, Gutemberg Fonseca, no Rio de Janeiro, onde o ex-jogador posou para foto com o livro de Jair Bolsonaro nas mãos. Ronaldinho estaria esperando Bolsonaro oficializar sua filiação na sigla, em março, para também assinar sua ficha.




Pedro Chaves na CAE: 'projeto é muito esperado pelos ambientalistas e produtores rurais'

Postado por Marco Eusébio , 29 Novembro 2017 às 13:00 - em: Principal


Riedel admitiu hoje a possibilidade de prévias, e poderá disputar candidatura do PSDB ao Senado com Miglioli

Postado por Marco Eusébio , 11 Novembro 2017 às 16:45 - em: Principal

Nem tudo é flores no ninho tucano. Visando reeleger o governador Reinaldo Azambuja, o PSDB lançará, no máximo, um candidato ao Senado, embora sejam duas vagas em disputa em 2018. A intenção é deixar a outra candidatura (ou até as duas) na chapa majoritária para partidos aliados. Acontece que tem mais de um tucano de olho nas cadeiras de senador. Um dos postulantes, o secretário de Governo, Eduardo Riedel, admitiu hoje à imprensa, na convenção do PSDB, que poderá haver prévias para decidir o candidato do partido. Outro forte nome na disputa é o do secretário Marcelo Miglioli (Infraestrutura), que atuou na coordenação da campanha de Azambuja em 2014.




Aécio Neves, o ex-amigo de Joesley: um furacão que tem causado estragos no entorno de quem o apoia

Postado por Marco Eusébio , 11 Novembro 2017 às 11:00 - em: Principal

Aécio abalou os alicerces do Supremo, conseguiu o que seria quase impossível – piorar a péssima imagem do Senado – e, agora, parece implodir o PSDB. Pensando bem... melhor nem pensar no que teria acontecido com o Brasil se o bicudo tivesse sido eleito presidente.




Pesquisa divulgada neste sábado foi feita com 2.139 eleitores de 50 dos 79 municípios de MS

Postado por Marco Eusébio , 04 Novembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Pesquisa Ipems sobre intenção de voto para o Senado em MS divulgada neste sábado pelo Correio do Estado aponta Nelsinho Trad (PTB) na frente com 37,64%, Zeca do PT em 2º com 32,24%, o juiz Odilon de Oliveira (PDT) em 3º com 29,40%, o senador Waldemir Moka (PMDB) em 4º com 19,25%, o médico Ricardo Ayache (PSB) em 5º com 6,19% e o senador Pedro Chaves (PSC) em 6º com 3,31%. A pesquisa foi feita com 2.139 eleitores de 50 dos 79 municípios de MS de 18 a 25 de outubro e a margem de erro é de 2.69 pontos para mais ou para menos.

Como são duas vagas na disputa de 2018, Nelsinho e Zeca seriam eleitos hoje, conforme o Ipems, já que o juiz Odilon, embora esteja tecnicamente empatado no segundo lugar com Zeca, deve concorrer ao governo, apesar de alguns insistirem para que ele faça o contrário. Vale frisar, entretanto, que o jornal não cita índices de eleitores que estão indecisos, brancos e nulos. Também não se fala em rejeição. Nos corredores partidários o comentário é de que esses índices seriam muitos altos e que as duas vagas estariam, por enquanto, em aberto.




Pesquisa divulgada neste sábado foi feita com 2.139 eleitores de 50 dos 79 municípios de MS

Postado por Marco Eusébio , 04 Novembro 2017 às 02:34 - em: Papo de Arquibancada

Pesquisa Ipems sobre intenção de voto para o Senado em MS divulgada neste sábado pelo Correio do Estado aponta Nelsinho Trad (PTB) na frente com 37,64%, Zeca do PT em 2º com 32,24%, o juiz Odilon de Oliveira (PDT) em 3º com 29,40%, o senador Waldemir Moka (PMDB) em 4º com 19,25%, o médico Ricardo Ayache (PSB) em 5º com 6,19% e o senador Pedro Chaves (PSC) em 6º com 3,31%. Como são duas vagas na disputa de 2018, Nelsinho e Zeca seriam eleitos hoje, conforme o Ipems. Em Campo Grande, onde Trad foi prefeito, ele lidera com 45,15% seguido pelo juiz Odilon aparece em 2º lugar com 35,09%. A pesquisa, diz o jornal, foi feita com 2.139 eleitores de 50 dos 79 municípios de MS de 18 a 25 de outubro e a margem de erro é de 2.69 pontos para mais ou para menos.




'Acho que foi bom para todos', disse Pedro Chaves em vídeo após plenário aprovar projeto com alterações

Postado por Marco Eusébio , 31 Outubro 2017 às 20:00 - em: Principal

"Acho que foi bom para todos os lados", disse o senador Pedro Chaves (PSC-MS), em alusão a motoristas do Uber, o 99 e o Cabify, e taxistas ao fim da votação no Senado que aprovou há pouco, por 46 votos, contra 10 e uma abstenção, o Projeto 28/2017 da Câmara que regulamenta o funcionamento de aplicativos de transporte. Relator de dois projetos sobre o assunto, Chaves alertou que a proposta exigia atenção e sabedoria dos senadores, diante da importância do transporte na economia e mobilidade urbana do país. Contra a aprovação do texto da Câmara sem alterações, ele informou em vídeo que foram obtidas três vitórias para o setor de aplicativos, com emendas que retiraram a exigência de placa vermelha, a obrigação de o motorista ser dono do automóvel e as prefeituras "passarão a ser mera fiscalizadoras" do serviço. Como foi alterado, o texto volta à Câmara. Veja o vídeo.




Motoristas do Uber se concentraram nos altos da Avenida Afonso Pena e saíram em carreata hoje em Campo Grande

Postado por Marco Eusébio , 30 Outubro 2017 às 12:00 - em: Principal

Motoristas de Uber, do 99 e do Cabify, fizeram carreatas hoje em várias capitais brasileiras, incluindo Campo Grande, contra a aprovação, no Senado, de projeto da Câmara dos Deputados que visa regulamentar o setor. Colocado em regime de urgência na pauta de votação desta terça-feira, o Projeto de Lei 28/2017, do deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), prevê uma série de exigências, como chapa vermelha e autorização prévia das prefeituras. "Isso vai transformar o Uber em táxi. Será a extinção do transporte por aplicativo", desabafa o senador Pedro Chaves (PSC-MS), autor do projeto substitutivo 530 que concilia interesses do Uber e dos taxistas. "Se passar esse projeto da forma como está, será um verdadeiro retrocesso. Espero que seja rejeitado, e que o substitutivo 530, continue sua tramitação nas comissões", disse Pedro Chaves hoje aqui ao Blog. Em Campo Grande, o prefeito Marquinhos Trad (PSD), que no início do ano já tentou aprovar projeto municipal que também transformaria o Uber em táxi, declarou à imprensa que vai cumprir o que o Congresso aprovar.



Serviços de transporte por aplicativos como o Uber serão inviabilizados caso projeto da Câmara não seja alterado, diz Chaves

Postado por Marco Eusébio , 26 Outubro 2017 às 09:00 - em: Principal

O senador Pedro Chaves (PSC-MS) prevê o fim do transporte por aplicativo no Brasil como o Uber, o 99  e o Cabify, caso o Senado aprove, sem emendas, o projeto da Câmara para regularizar o serviço. A proposta deve entrar em votação na semana que vem na Casa, depois de o plenário aprovar tramitação por urgência na noite anterior, por 46 votos a 7. 
 
Autor de projeto substitutivo que, afirma, concilia interesses dos motoristas de Uber e dos taxistas, Chaves diz que o projeto da Câmara, como está, "representa o fim do transporte por aplicativo no Brasil, pois exige uso de chapa vermelha como os taxis, e licença concedida pelas prefeituras, "o que é inexequível, pois cria uma burocracia impossível de ser cumprida". 
 
"Nós temos aqui no próprio Senado diversas pessoas que moram no entorno e pagam no transporte por aplicativo uma tarifa em torno de R$ 10 para chegar em casa. Se pegarem um táxi terão que pagar no mínimo R$ 25. Em todo o Brasil essa situação se repete", ilustrou. "Mas, infelizmente, nas discussões que se travam aqui, ninguém está pensando nos usuários", acrescentou Pedro Chaves.



Aécio Neves segue 'blindado' no Senado, onde João Alberto voltou a arquivar pedido contra ele

Postado por Marco Eusébio , 24 Outubro 2017 às 20:30 - em: Principal

O presidente do Conselho de Ética do Senado, senador João Alberto (PMDB-MA), voltou hoje a arquivar um pedido de abertura de procedimento disciplinar contra Aécio Neves (PSDB-MG), com base na denúncia de Joesley Batista sobre o pedido de propina de R$ 2 milhões que a defesa do senador mineiro insiste que era só um "empréstimo". João Alberto alegou que seguiu parecer da Advocacia-Geral do Senado, de que a representação feita pelo PT "é no máximo uma versão atualizada da representação do PSOL [e da Rede]", arquivada pelo conselho em julho. Senadores da oposição vão apresentar recurso para que o caso seja julgado pelo conselho e não apenas pelo presidente, como ocorreu da vez anterior.