Campo Grande, Domingo , 21 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: reforma-da-previdencia-ms

Dagoberto: 'Takimoto alegou que, se não votasse a favor do governo, seria difícil manter sistema funcionando'

Postado por Marco Eusébio , 30 Novembro 2017 às 18:00 - em: Principal


Tropa de choque na entrada da Assembleia Legislativa durante votação da Reforma da Previdência

Postado por Marco Eusébio , 28 Novembro 2017 às 16:30 - em: Principal

O Sindicato dos Policiais Civis de MS (Sinpol-MS) divulgou nota de repúdio dirigida ao Governo do Estado, ao presidente da Assembleia, deputado Júnior Mochi (PMDB), e ao Comando da PM "pelos acontecimentos registrados durante a manifestação pacífica dos servidores públicos na data de hoje" durante a sessão em que deputados aprovaram projeto da Reforma da Previdência dos Servidores. Leia a íntegra:
 
"O Sindicato dos Policiais Civis de MS (Sinpol-MS) vem a público repudiar a ação do Governo do Estado, do presidente da Assembleia Legislativa e do Comando da Polícia Militar pelos acontecimentos registrados durante a manifestação pacífica dos servidores públicos na data de hoje (28). 
 
Ao governo do estado por ter apresentado uma reforma da previdência de maneira autoritária, sem antes dialogar com os principais prejudicados com as medidas. 
 
Ao presidente da Assembleia Legislativa por ter restringido o acesso dos servidores, mesmo tendo sido avisado que tal prática poderia fomentar um tumulto. 
 
Ao Comando da Polícia Militar que agiu de forma abrupta contra trabalhadores que protestavam de forma pacífica, portanto não sendo necessário que armas letais fossem empunhadas. 
 
Vale ressaltar que dezenas de policiais civis também estavam no local protestando, mas por terem bom senso não confrontaram, zelando pela segurança dos demais manifestantes. 
 
O Sinpol-MS, como entidade que há 26 anos defende os direitos dos policiais civis, continuará sua luta mesmo diante das adversidades, pelo objetivo maior de um estado mais democrático para toda a sociedade sul-mato-grossense."



Coronel David (à esquerda), um dos votos contrários à proposta do governo aprovada hoje na Assembleia

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ainda não decidiu quem vai para a Secretaria de Justiça e Segurança (Sejusp) quando o atual secretário Barbosinha voltar a ocupar sua cadeira na Assembleia para poder disputar a reeleição em 2018. Mas o voto de hoje contra a reforma da previdência proferido pelo cotado Coronel David "tem um significado", cantou ao Blog fonte de alta plumagem do ninho tucano.




Apesar das galerias lotadas por servidores em protesto, deputados aprovaram hoje a reforma proposta pelo governo

Postado por Marco Eusébio , 28 Novembro 2017 às 13:00 - em: Principal

A Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS), que na primeira votação já prometia ingressar na Justiça contra a Reforma da Previdência dos servidores do Estado, deve acionar o Supremo contra o projeto do Governo de MS aprovado hoje por treze votos a sete, em segunda votação, pelos deputados estaduais. "Vamos aguardar a redação final do texto aprovado para adotar as medidas judiciais cabíveis", disse há pouco ao Blog o presidente da OAB-MS, Mansour Karmouche. Os sindicatos também vão buscar a via judicial e fazer novos protestos. '"Vamos judicializar e enfatizar os protestos junto ao governo e aos deputados que votaram contra os servidores", disse o presidente do Sindicato de Policiais Civis (Sinpol-MS), Giancarlo Miranda.




Reforço policial controlou o acesso à Assembleia: lá dentro, servidores e sindicalistas protestavam contra a reforma

Postado por Marco Eusébio , 28 Novembro 2017 às 12:00 - em: Principal

Em sessão marcada por protestos de servidores estaduais e seus sindicatos, e reforço da Polícia Militar na segurança da Assembleia, deputados aprovaram hoje por treze votos a sete a Reforma da Previdência do funcionalismo público de Mato Grosso do Sul que, entre outras medidas, aumenta a alíquota de descontos dos servidores de 11% para 14% e a patronal para 25%. O texto vai à redação final, por causa das emendas, e depois segue à sanção do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).
 
Votaram contra os deputados Pedro Kemp, Amarildo Cruz, João Grandão e Cabo Almi (do PT); Paulo Siufi (PMDB), Coronel David (PSC) e Lídio Lopes (PEN). Votaram a favor: Antonieta Amorim, Renato Câmara, Eduardo Rocha e Márcio Fernandes (do PMDB), George Takimoto (PDT), Herculano Borges Daniel (SD), Mara Caseiro, Onevan de Matos, Rinaldo Modesto, Enelvo Felini e Beto Pereira (do PSDB), Zé Teixeira (DEM) e Paulo Corrêa (PR). Ausentes: Felipe Orro (PSDB), Grazielle Machado (PR) e Maurício Picarelli (PSDB). 
 
Pelo texto aprovado, a contribuição subirá de 11% para 14% para servidores que recebem acima do teto da previdência, equivalente hoje a R$ 5.531,00. Conforme o governo, 75% do funcionalismo recebem abaixo e ficam fora do reajuste. A contribuição patronal sobe de 22% para 25%. Foram unificados os dois fundos previdenciários – um criado em 2012, com superávit de quase R$ 400 milhões, e o antigo, com déficit mensal médio de R$ 80 milhões.