Campo Grande, Quinta-Feira , 14 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: petrobras

Só neste segundo semestre de 2017 preço médio do gás de cozinha teve seis aumentos e uma redução

Postado por Marco Eusébio , 04 Dezembro 2017 às 18:15 - em: Principal

O preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) em botijões de até 13 kg sobe mais 8,9% nas refinarias a partir desta terça-feira. A Petrobras alega alta das cotações do produto nos mercados internacionais e diz em nota que os reflexos no preço ao consumidor vão depender de repasses feitos por distribuidoras e revendedores. O aumento não se aplica ao preço do gás para uso industrial e comercial. Desde junho foram seis aumentos e uma redução. O preço médio acumula alta de 17,7% no ano, conforme a Agência Nacional de Petróleo (ANP). Sem contar o reajuste anunciado hoje, o preço médio do botijão ao consumidor saltou de R$ 55,74 em janeiro para R$ 65,64 na semana passada.




Menos de um mês depois, Petrobras anuncia novo reajuste no preço médio do gás de cozinha

Postado por Marco Eusébio , 03 Novembro 2017 às 16:45 - em: Principal

O preço do GLP residencial em botijões de até 13 kg, o gás de cozinha, vai subir 4,5%, em média, a partir de domingo, anunciou hoje a Petrobras. Conforme a estatal, se o ajuste for integralmente repassado ao consumidor pelas distribuidoras, a alta será de 2%, em média, cerca de R$ 1,21 por botijão, se "mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos", diz em nota. No ano, o preço médio do gás de cozinha no país acumula alta de 15,58%, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). O último reajuste, de 12,9%, aconteceu há menos de um mês, no dia 11 de outubro.




Postado por Marco Eusébio , 03 Novembro 2017 às 16:42 - em: Papo de Arquibancada

O preço do GLP residencial em botijões de até 13 kg, o gás de cozinha, vai subir 4,5%, em média, a partir de domingo, anunciou hoje a Petrobras. Conforme a estatal, se o ajuste for integralmente repassado ao consumidor pelas distribuidoras, a alta será de 2%, em média, cerca de R$ 1,21 por botijão, se "mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos", diz em nota. No ano, o preço médio do gás de cozinha no país acumula alta de 15,58%, segundo dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). O último reajuste, de 12,9%, aconteceu há menos de um mês, no dia 11 de outubro.




Dilma, Palocci e mais quatro ex-conselheiros que aprovaram compra superfaturada de Pasadena têm bens bloqueados

Postado por Marco Eusébio , 11 Outubro 2017 às 13:15 - em: Principal


Preços do botijão de gás comum em Campo Grande variam de R$ 55 a R$ 72 e devem subir nos próximos dias

Postado por Marco Eusébio , 10 Outubro 2017 às 16:15 - em: Principal

Com mais um reajuste anunciado pela Petrobras, o preço do gás de cozinha sobe 12,9% nas distribuidoras a partir de hoje. Em Campo Grande, os preços do botijão comum, que variam hoje de R$ 55 (Mendes Gás, na Mata do Jacinto) a R$ 72 (Telegás, Centro), conforme levantamento do site Campo Grande News, podem chegar a R$ 81,28 caso alguns revendedores repassem o índice integral ao valor final do gás. No acumulado deste ano, os aumentos já somam 51,5%.




De onze áreas autorizadas à exploração na Bacia do Paraguai, só uma despertou interesse no leilão da ANP

Postado por Marco Eusébio , 28 Setembro 2017 às 15:00 - em: Principal


Um dos motivos do reajuste, diz a Petrobras, foi o furacão Harvey na cidade de Houston (EUA), uma das maiores exportadoras

Postado por Marco Eusébio , 06 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Passa a valer a partir de hoje reajuste de 12,2% para o gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, o chamado gás de cozinha, vendido em botijões de até 13 quilos. O aumento foi decidido pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços (Gemp) da Petrobras e anunciado ontem pela estatal. O Gemp considerou para efeito de ajuste o cenário externo de estoques baixos, além dos reflexos de eventos climáticos, como o furacão Harvey, na maior região exportadora mundial do produto, que é a cidade de Houston, no Texas (EUA), cujos terminais permanecem fora de operação, o que afeta o mercado internacional. Com a menor disponibilidade de gás, os mercados consumidores, inclusive o brasileiro, sofreram aumento de preço.




Se ajuste for repassado integralmente, preço da gasolina na bomba pode cair cerca de 0,09 de real por litro

Postado por Marco Eusébio , 26 Maio 2017 às 09:00 - em: Principal

A Petrobras anunciou redução de 5,4% no preço médio da gasolina nas refinarias e de 2,5% no do diesel. "A decisão foi guiada predominantemente por aumento significativo nas importações no último mês, o que obrigou ajustes de competitividade da Petrobras no mercado interno", diz a estatal. Se o ajuste for integralmente repassado sem alterações nas demais parcelas que compõem o valor ao consumidor final, o preço do diesel pode cair em média 2,2% na bomba, ou cerca de 0,07 real por litro; e o da a gasolina 2,4%, ou 0,09 real por litro.




Azambuja quer propor à Bolívia compra direta do gás, sem intermediação da Petrobras

Postado por Marco Eusébio , 03 Maio 2017 às 14:00 - em: Principal

O governador Reinaldo Azambuja (MS) visitará a Bolívia na próxima sexta-feira para discutir a compra do gás natural e convidou seu colega Pedro Taques (MT) e os governadores Ivo Sartori (RS), João Raimundo Colombo (SC) e Beto Richa (PR) dos estados que integram o Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul). A reunião com representantes do governo Evo Morales será na cidade de Santa Cruz de la Sierra. A intenção de Azambuja é propor ao governo boliviano que esses estados possam comprar o gás diretamente do país vizinho, sem a Petrobras como atravessadora, usando só o duto da estatal.



Gasolina na bomba deve subir R$ 0,04 por litro, em média

Postado por Marco Eusébio , 20 Abril 2017 às 20:30 - em: Principal

A Petrobras decidiu subir em 2,2% o preço da gasolina nas refinarias e em 4,3% o do diesel a partir desta sexta-feira. Se o ajuste feito hoje for todo repassado e não houver alterações nos demais itens que compõem o preço ao consumidor final, o diesel pode subir 2,9% ou cerca de R$ 0,09 por litro em média, e a gasolina 1,2% ou R$ 0,04 por litro, em média. "A decisão é explicada principalmente pela elevação dos preços dos derivados nos mercados internacionais", disse a estatal em nota.