Campo Grande, Quinta-Feira , 18 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: paraguai

Reinaldo Azambuja voltou a cobrar apoio da União para reforço na segurança das fronteiras em Mato Grosso do Sul

Postado por Marco Eusébio , 16 Janeiro 2018 às 14:40 - em: Principal

Frisando que o governo federal tem de reconhecer a condição de Mato Grosso do Sul como "corredor do tráfico diverso", o que inclui drogas e armas, devido a extensa faixa de fronteira com o Paraguai e a Bolívia, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), em artigo intitulado "Porta da violência aberta nas fronteiras", publicado hoje pela Folha de S.Paulo, voltou a cobrar da União apoio para reforçar a segurança  e promover ações sociais no combate ao crime. Azambuja frisa que "a construção de presídios não é uma solução definitiva, porque as fronteiras "estão escancaradas", potencializando MS como "corredor do narcotráfico". Leia a íntegra:
 
"Porta da violência aberta nas fronteiras
 
Estamos, mais uma vez, batendo na mesma tecla em busca de solução para a superpopulação carcerária, causada pelo recrudescimento da violência, que tem como suas causas principais o tráfico de drogas e de armas.
 
E o problema não se resume à falta de vagas em presídios, no caso de Mato Grosso do Sul. Em seis anos, de 2012 a 2017, as apreensões de drogas realizadas pela Polícia Militar, Polícia Civil e o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) do Estado saltaram de 87 toneladas para 427 toneladas.
 
Se todos os policiais deslocados para vigiar as fronteiras estivessem nas ruas das cidades, certamente as estatísticas de furtos, roubos e homicídios não seriam tão alarmantes. De um lado impediu-se que grande volume de drogas chegasse às regiões metropolitanas.
 
De outro, o número de presos, incluindo sentenciados por tráfico de armas e outros crimes transnacionais, chegou a 7.246, elevando a população carcerária para 16.224 presos, cumprindo pena em um sistema com capacidade para 7.327 condenados. Cerca de 40% dos presos custeados pelo Estado foram sentenciados por crimes federais.Essamassa carcerária custa a Mato Grosso do Sul R$ 127,3 milhões ao ano.
 
E a construção de presídios não é uma solução definitiva, por uma razão muito clara. Nossas fronteiras estão escancaradas, potencializando Mato Grosso do Sul como corredor do narcotráfico. Os altos índices de crimes não resultam só no estrangulamento do sistema carcerário, mas contribuem também para a hipertrofia do sistema judiciário.
 
É preocupante um problema que o Estado está totalmente impossibilitado de conduzir sozinho, tolhido de desenvolver políticas públicas essenciais ao desenvolvimento social porque tem de cobrir despesas de manutenção do sistema carcerário, impondo ao cidadão das fronteiras a exclusão e deixando a população refém de grupos criminosos
—que, na ausência do Estado, estabelecem suas “leis”.
 
O governo federal tem que reconhecer a condição do Estado de corredor do tráfico diverso, já que faz fronteira com país produtor de maconha e com outro produtor de cocaína. Nas duas fronteiras, com Bolívia e Paraguai, afloram outros crimes, como contrabando de mercadorias e tráfico de armas, que disseminam os roubos e homicídios.
 
Nossa proposta é atacar o problema em sua raiz. Fechar as fronteiras, evitar a entrada de drogas e armas. Coibir a entrada de drogas por nossas fronteiras é muito mais eficaz do que mobilizar as forças de segurança para a apreensão nos centros consumidores.
 
Não há dúvida de que o Brasil precisa de nova política de segurança pública, buscar uma estratégia que possa quebrar os elos da criminalidade, compreendendo que os custos de manutenção da atual massa carcerária, em apenas sete meses, seriam suficientes para construir um novo presídio. É preciso haver ações sociais.
 
Não temos dúvida de que a solução está em reduzir a criminalidade e impedir que a droga e a arma atravessem nossas fronteiras.
 
REINALDO AZAMBUJA, 54, produtor rural e formado em administração de empresas, é governador de Mato Grosso do Sul (PSDB)."



Integrantes do protesto abasteceram pagaram R$ 2,65 por litro de gasolina no posto da Avenida Brasil, em Pedro Juan

Postado por Marco Eusébio , 04 Dezembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Contra a elevada carga tributária que encarece preços de produtos e serviços em gerais no Brasil, um comboio de mais de mil veículos, conforme a organização protesto, percorreu 125 km ontem de Dourados até Pedro Juan Caballero para comprar gasolina brasileira mais barata no Paraguai. Enquanto na cidade sul-matogrossense o preço do combustível ultrapassa R$ 4,20 o litro, o grupo pagou R$ 2,65 na cidade paraguaia. Organizador do protesto, o advogado Sindoley Luiz Souza disse que paga R$ 191 para abastecer seu carro em Dourados e hoje gastou R$ 119 em Pedro Juan, R$ 72 a menos. "Esse protesto foi para chamar a atenção da população de que no Brasil somos obrigados a pagar a conta da corrupção com a alta carga tributária", afirmou Sindoley, que já pensa em novas manifestações.




Sindoley Luiz Souza (ao centro) e apoiadores convidam proprietários de veículos a aderir ao protesto deste domingo

Postado por Marco Eusébio , 02 Dezembro 2017 às 20:30 - em: Principal

A divulgação feita aqui percutiu nas redes sociais e imprensa, atraiu dezenas de adesões e será neste domingo a carreata em protesto contra o preço da gasolina que vai sair em comboio de Dourados (onde o litro do combustível chega a R$ 4,29) e percorrer 125 km pela BR 463 até a cidade de Pedro Juan Caballero para abastecer os veículos no Paraguai onde a gasolina brasileira, sem os impostos daqui, custa em torno de R$ 2,50 o litro. O evento foi convocado pelo advogado Sindoley Luiz Souza, de Dourados, que pretende atrair cerca de 1 mil veículos no comboio. "Quem quiser participar ainda dá tempo. A concentração começa às 8h deste domingo na Avenida Marcelino Pires, em frente ao Parque do Lago. Vamos fazer um 'buzinaço' pelas ruas da cidade e depois partir para o Paraguai", avisa. Contatos com Sindoley podem ser feitos via WhatsApp pelo telefone (67) 9681-1155.
 



Cigarro produzido por uma das fábricas do presidente paraguaio Horacio Cartes virou líder de vendas no Rio de Janeiro

Postado por Marco Eusébio , 26 Setembro 2017 às 11:45 - em: Principal

Tendo as fronteiras de Mato Grosso do Sul e Paraná como principais entradas, apesar das operações de combate ao contrabando o volume de cigarros clandestinos vendidos no Rio de Janeiro subiu 70% neste ano em comparação a 2016. E a marca campeã de vendas no estado agora é a Gift om 38% do mercado (em SP tem 10%) deixando bem para trás, por exemplo, qualquer produto da Souza Cruz. "A propósito, o tal Gift é produzido numa das muitas fábricas de cigarros do presidente do Paraguai, Horacio Cartes", diz o Lauro Jardim em blog no O Globo.




Ministro de Educação do Paraguai, Enrique Riera, responsabilizou Fernando Lugo por ensino de gênero nas escolas

Postado por Marco Eusébio , 25 Setembro 2017 às 17:45 - em: Principal

O ministro da Educação do Paraguai, Enrique Riera, descartou a difusão de ensino sobre ideologia de gênero na rede de ensino do país vizinho depois de o governo receber reclamações de que escolas paraguaias ensinavam que "homem e a mulher não nasceram assim, mas são identidades construídas, entre outros conceitos específicos da ideologia do gênero". Rieira afirmou que a Constituição do país reconhece "uma família tradicional" formada por “pai, mãe e filhos” e disse que o ministério vai descartar material que promove a ideologia de gênero herdado do governo anterior. O ministro responsabilizou por esses conteúdos um acordo assinado entre o governo do ex-bispo católico Fernando Lugo, afastado do cargo em 2012, e um grupo homossexual chamado "Somos Gay". “No governo anterior, houve um convênio assinado com uma organização chamada 'Somos Gay', um convênio com a Direção de Educação Permanente. Isso gerou alguns materiais nessa época e ficaram vigentes e atualmente ainda tínhamos no site alguns desses materiais”, disse Riera. Leia mais aqui no site do jornal ABC Color.




No Twitter, Horácio Cartes anunciou hoje a união do Paraguai, Argentina e Uruguai para sediar a Copa de 2030

Postado por Marco Eusébio , 31 Agosto 2017 às 11:00 - em: Papo de Arquibancada

O Paraguai, a Argentina e o Uruguai se uniram em candidatura conjunta para sediar a Copa do Mundo de 2030, anunciou hoje no Twitter o presidente paraguaio, Horacio Cartes. O anúncio foi apoiado por Alejandro Domínguez, o paraguaio que é o atual presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), cuja sede fica no Paraguai. A candidatura conjunta dos três países é a única proposta concreta para o Mundial de 2030. A Rússia sediará o torneio no ano que vem e o Catar em 2022. As sedes de 2026 e de 2030 ainda serão definidas.




Jornal paraguaio Extra destaca a 'apropriação' das comidas típicas do Paraguai por vereadores de Dourados

Postado por Marco Eusébio , 28 Julho 2017 às 15:45 - em: Principal

Leis aprovadas por vereadores de Dourados que transformaram o tereré, o pucheiro e a sopa paraguaia em "patrimônio imaterial" da cidade sul-mato-grossense, viraram notícia na imprensa paraguaia e provocaram uma polêmica internacional. Jornais do país vizinho lembraram que há anos a chipa é vendida no Brasil como típica de Mato Grosso do Sul e reclamaram nesta semana que agora os brasileiros estão se apropriando de outros itens da culinária paraguaia. Com a repercussão, a lei sobre o tereré, proposta pelo vereador Alan Guedes (DEM), e a sobre o pucheiro e a sopa paraguaios, do vereador Cirilo Ramão (PMDB), devem ir parar na ONU, conforme divulgou hoje o repórter Nicanor Coelho, correspondente do site Midiamax, de Campo Grande.

Consultada pelo site de notícias Extra.com.py, a titular da Direção nacional de Propriedade Intelectual (Dinapi) do Paraguai, Patrícia Stnaley, afirmou que não sabia das leis de Dourados, afirmou que não pode impedir que a sopa, o tereré e o pucheiro possam ser feitos ou consumidos em outros países, mas declarou que o Paraguai "poderá solicitar intervenção da Unesco para que julgue o caso". A história também foi parar na TV paraguaia. Veja abaixo o vídeo.

 




Peritos da polícia paraguaia no cemitério onde corpo de andarilho que se passava por 'lobisomem' foi encontrado

Postado por Marco Eusébio , 23 Junho 2017 às 13:15 - em: Principal

Um andarilho brasileiro identificado como Roberto dos Santos, de 31 anos, que costumava se fazer passar por "lobisomem" para assustar as pessoas na região conforme moradores, foi encontrado morto a tiros e com uma facada no peito ontem, no cemitério da cidade paraguaia de Zanja Pytã, próxima a Ponta Porã (MS). A polícia paraguaia acredita que Santos teria sido flagrado na noite de quarta-feira invadindo alguma residência para furtar, tentou se esconder no cemitério e acabou sendo executado.