Campo Grande, Terça-Feira , 17 de Outubro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: odebrecht

Cópias dos recibos entregues por Lula à Justiça: datas dos vencimentos não existem

Postado por Marco Eusébio , 26 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Acusado pelo Ministério Público Federal de ter recebido como propina da Odebrecht o apartamento vizinho ao seu, em São Bernardo do Campo, em troca de obras da Petrobras para a empresa, Lula alegou que alugava o imóvel e se comprometeu com Sérgio Moro, em seu último depoimento, de apresentar recibos, entregues ontem. O site "O Angatonista" alertou, entretanto, que os alegados alugueis vencem no "Dia de São Nunca", pois as datas que constam nos recibos entregues pela defesa à Justiça não existem no calendário: 31 de junho de 2014 e 31 de dezembro de 2015. Além disso o contrato de locação apresentado não possui qualquer autenticação de cartório. "Sem lastro em extratos bancários que confirmem os pagamentos, dificilmente essa papelada terá valor jurídico no processo", diz o site.




Lula e Palocci nos tempos de companheirismo petista, hoje de lados opostos divididos pela Lava Jato

Postado por Marco Eusébio , 15 Setembro 2017 às 17:30 - em: Principal

Em trecho da delação premiada de Antonio Palocci ainda não homologada, antecipado pela revista Veja, o ex-ministro revela que entregou dinheiro vivo ao ex-presidente Lula em pelo menos cinco encontros. Anunciando manchete da edição que vai às bancas neste fim de semana, o site da revista diz que o pagamento era feito pessoalmente por Palocci em pequenos pacotes de R$ 30 mil, R$ 40 mil e R$ 50 mil, frutos de propina da Odebrecht que eram gastos por Lula em despesas pessoais e com a família. O ex-ministro relatou, conforme a Veja, que quantias superiores eram repassadas a Lula por meio do sociólogo Branislav Kontic, então responsável pelo transporte e entrega da propina no Instituto Lula, em São Paulo. Na delação, Palocci diz Lula desviava dinheiro doado ao instituto, que mantinha uma contabilidade paralela para acobertar os desvios. A conta ilícita, relata o ex-ministro, era administrada pelo presidente da organização, Paulo Okamotto, que sempre negou qualquer irregularidade durante o seu comando à frente da entidade.




Lula em depoimento hoje a Moro disse que vai rebater as acusações e afirmou: 'vocês viraram refém da imprensa brasileira' [sic]

Postado por Marco Eusébio , 13 Setembro 2017 às 17:30 - em: Principal

Em suas considerações finais do depoimento de 2 horas e 15 minutos prestado hoje ao juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, Lula foi advertido pelo magistrado que não era hora de fazer "campanha" nem "discurso", e que deveria se ater à ação em que é acusado de receber propinas da Odebrecht por meio de um terreno para o Instituto Lula e um apartamento vizinho ao seu em São Bernardo do Campo (SP). O ex-presidente, entretanto, discursou brevemente: rebateu a delação de seu ex-ministro Antonio Palocci, disse haver uma "caça às bruxas" contra ele, declarou que continuará rebatendo todas as ações do Ministério Público frisando que as denúncias contra ele não procedem e afirmou que tanto o MP como o Judiciário na Lava Jato estão sendo reféns da imprensa brasileira. Veja abaixo o vídeo.

 
VEJA aqui TODOS OS VÍDEOS DO DEPOIMENTO DE LULA HOJE DIVULGADOS PELA GAZETA DO POVO, DE CURITIBA.
 



Ex-ministro dos governos de Lula e Dilma, Palocci revelou hoje ao juiz Sérgio Moro detalhes do 'pacto' do PT com a Odebrecht

Postado por Marco Eusébio , 06 Setembro 2017 às 18:00 - em: Principal

O PT tinha um "pacto de sangue" com a Odebrecht e o acordo no fim do governo Lula para a empresa manter o "bom relacionamento" com o governo Dilma previa que o partido deveria receber R$ 300 milhões. Do total, R$ 4 milhões foram dados em dinheiro a Lula, para pagamentos ao Instituto que leva seu nome. As afirmações feitas por Antonio Palocci hoje ao juiz Sérgio Moro foram reveladas à imprensa por advogados do ex-ministro de Lula e Dilma, após o depoimento em Curitiba.
 
Palocci também contou que Lula sabia da compra de um terreno para o Instituto Lula e de um imóvel vizinho ao seu apartamento em São Bernardo do Campo. "A destinação dos recursos era determinada a partir da cúpula do PT, seja pelo presidente Lula, Paulo Okamotto ou Antônio Palocci", disse o advogado André Pontarolli. Essa conta também foi usada "para o pagamento de campanha, seja por caixa dois, seja por caixa oficial", acrescentou. 
 
"Especificamente no que tange o assunto do Instituto Lula, que é o objeto dessa denúncia, ficou absolutamente claro que esse assunto foi deliberado conjuntamente por um colegiado de pessoas composto por Paulo Okamotto, José Carlos Bumlai, Roberto Teixeira, o próprio Antonio Palocci, que não nega o seu mea culpa, não se exime da sua responsabilidade", disse Adriano Bretas, outro advogado do ex-ministro. Conforme a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Lula recebeu o terreno e o imóvel como vantagem indevida da Odebrecht. Já condenado em outra ação da Lava Jato e preso em Curitiba, Palocci responde neste processo por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.



Fotos de Lula no sítio de Atibaia, uma delas em conversa com o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro também réu no processo

Postado por Marco Eusébio , 01 Agosto 2017 às 17:00 - em: Principal

O juiz Sérgio Moro aceitou hoje denúncia contra o ex-presidente Lula e outras doze pessoas, dentre elas o pecuarista José Carlos Bumlai, Marcelo Odebrecht e Emílio Odebrecht, donos da Odebrecht; e Léo Pinheiro, dono da OAS; no caso do sítio em Atibaia, no âmbito da Operação Lava Jato. Agora, todos são réus no processo. É a terceira vez que Lula vira réu em processo na Justiça Federal de Curitiba. Conforme o Ministério Público Federal (MPF), Lula recebeu propina em seis contratos firmados entre a Petrobras e a Odebrecht e a OAS, por meio de reformas realizadas no sítio que totalizaram R$ 1,02 milhão. Bumlai, conforme a denúncia, também teria pago parte da obra. Apesar de o imóvel estar em nome dos empresários Fernando Bittar e João Suassuna, os investigadores da força-tarefa encontraram uma série de elementos que, segundo a denúncia, comprovariam que o sítio pertence, na verdade, ao ex-presidente. Entre eles, estão bens pessoais, roupas e indícios de visitas frequentes ao imóvel. A denúncia afirma que entre 2011 e 2016, Lula esteve no local cerca de 270 vezes. (Com G1)




Mais 30 inquéritos foram enviados pelo Supremo à Polícia Federal

Postado por Marco Eusébio , 29 Abril 2017 às 14:00 - em: Principal

"O STF enviou à PF outra leva de 30 inquéritos abertos a partir da delação da Odebrecht. Ou seja, os investigadores já têm material para deflagrar novas operações pelo país", reporta neste sábado o jornalista Gabriel Nascimento no blog Radar, da Veja.




Delcídio omitiu fatos revelados por ex-diretor da Odebrecht

Postado por Marco Eusébio , 22 Abril 2017 às 13:00 - em: Principal

O acordo de delação de Delcídio do Amaral com a Lava Jato homologado no ano passado será reavaliado pela Procuradoria-Geral da República que poderá rever as penas e até romper o acordo. Isso porque o ex-senador de MS negou à força-tarefa ter recebido qualquer propina atrelada à Refinaria de Pasadena (EUA) e disse aos procuradores que nunca participou de reuniões sobre a obra. No entanto, o ex-diretor da Odebrecht Rogério Araújo relatou em sua delação que o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque falou de uma reunião, em 2006, na qual a UTC Engenharia se comprometeu a pagar R$ 4 milhões a Delcídio, como contrapartida a participação da empresa na obra de ampliação da refinaria. Araújo também citou pedido de contribuição à campanha de Delcídio, feito por Nestor Cerveró em 2010, como contrapartida a "eventual aprovação de projeto de gasoduto" a ser realizado por uma empresa da Petrobras na Argentina. (Com Estadão)




FHC, Lula e Temer querem 'salvar' PSDB, PT e PMDB no naufrágio em 2018 diz Folha

Postado por Marco Eusébio , 13 Abril 2017 às 19:00 - em: Principal

Emissários do presidente Michel Temer (PMDB) e dos ex-presidentes Lula (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) estariam negociando um "pacto" para garantir a sobrevivência política dos três partidos nas eleições de 2018. O acordo começou a ser costurado em novembro. O grupo avalia que a Lava Jato quer eliminar a classe política e "abrir espaço para um novo projeto de poder, capitaneado por aqueles que comandam a investigação". Os principais emissários nessas conversas seriam o ministro Gilmar Mendes (STF) e o ex-integrante da Corte, Nelson Jobim, que já almoçou com Temer e FHC e marcou encontro com Lula para breve. Temer, Lula e FHC foram citados nas delações da Odebrecht por recebimento de recursos ilegais. Os três acreditam que eleições conturbadas no ano que vem podem favorecer candidatos "aventureiros". O acordo incluiria manter Temer no poder até o fim de 2018 e a participação de Lula nas eleições. As informações são da Folha de S.Paulo.



Collor levou R$ 800, bem mais do que Renan

Postado por Marco Eusébio , 12 Abril 2017 às 17:30 - em: Principal

Por Gabriel Mascarenhas no blog Radar da Veja:
 
"Renan Calheiros chiou quando a Odebrecht ofereceu-lhe 500 000 reais em 2010. Ele achou que era pouco. De certa forma, tinha razão. Naquele mesmo ano, seu conterrâneo, o histórico Fernando Collor embolsou 800 000 reais. Mas o líder do PMDB não tem do que reclamar. Em outras transações espúrias, ele recebeu milhões da Odebrecht nos últimos anos."