Campo Grande, Quinta-Feira , 14 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: michel-temer

Temer pediu aos prefeitos para que convençam deputados e senadores a aprovar a reforma que 'o Brasil precisa'

Postado por Marco Eusébio , 13 Dezembro 2017 às 13:00 - em: Principal

Buscando apoio para aprovar a Reforma da Previdência, Michel Temer anunciou hoje no Planalto a liberação de auxílio financeiro de R$ 2 bilhões para os municípios brasileiros e pediu que prefeitos conversem com deputados e senadores sobre a importância da reforma e os efeitos positivos que ela terá na economia. "Eu peço para que os senhores, a partir de agora, que façam contatos com colegas deputados e senadores e digam: 'olha, a sociedade quer e precisa disso'. Eu peço isso com muito empenho", afirmou o presidente em encontro com representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e associações de prefeitos como a Assomasul. Conforme Temer,  a reforma pode fazer o Brasil dar "um salto" e, caso contrário, poderá fazer recuar a recuperação da economia. A votação é prevista para a próxima terça na Câmara, mas caso o governo não tenha os 308 votos necessários, poderá ser adiada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para fevereiro.




Carlos Marun durante reunião da CPI da JBS hoje ao apresentar seu relatório em que pede o indiciamento de Rodrigo Janot

Postado por Marco Eusébio , 12 Dezembro 2017 às 12:15 - em: Principal

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da CPI da JBS, entregou hoje aos deputados e senadores da comissão seu parecer final e anunciou que pediu o indiciamento do ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e de seu ex-chefe de gabinete, o procurador Eduardo Pelella, por supostos crimes de abuso de autoridade, prevaricação e incitação "à subversão da ordem política ou social", previsto na Lei de Segurança Nacional. Para Marun, a cúpula da PGR, ao firmar o acordo de delação com executivos da JBS, visava depor o presidente Michel Temer e interferir na sucessão de Janot na PGR. "Em relação ao senhor Janot, houve muitas flechas lançadas ao ar com o objetivo derrubar o presidente", disse.
 
Marun também pede a anulação de provas, que ele considera ilegais, fornecidas por Joesley Batista, incluindo as conversas gravadas por ele com Temer e o senador Aécio Neves (PSDB-MG). "São provas ilícitas obtidas sem autorização do Supremo Tribunal Federal", explicou. Para o relator, só podem serem consideradas provas lícitas as obtidas a partir de 10 de abril, quando o STF autorizou as chamadas operações controladas.
 
O relatório também pede o indiciamento o ex-procurador Marcello Miller, os irmãos Joesley e Wesley Batista, além do executivo do grupo J&F Ricardo Saud. O texto precisa ser aprovado na CPI para ser enviado ao Ministério Público Federal (MPF), que deve se pronunciar sobre as recomendações. Caso não aprove o parecer, a comissão deve apresentar um relatório paralelo. (Com Agência Câmara)



Michel Temer e Geraldo Alckmin: sonho do tucano é virar candidato do governo e deter o maior tempo de rádio e

Postado por Marco Eusébio , 12 Dezembro 2017 às 09:00 - em: Principal

O agrado de Geraldo Alckmin na convenção do PSDB ao governo de Michel Temer (PMDB) não é coisa de amador. O candidato que for apoiado pelo atual presidente em 2018 pode ter a maior fatia da propaganda eleitoral na TV e no rádio. Caso partidos médios do Centrão como PP, PSD, PR, PTB e PRB apoiarem o governo nas eleições, o nome alavancado pelo Planalto terá 39% do tempo total na mídia: quase 5 minutos em cada bloco de 12 minutos e 30 segundos. Sem alianças, o PT terá 13% e o PSDB 10%. Em legendas menores, Jair Bolsonaro, pelo Patriota, e Marina Silva, pela Rede, terão cerca de 10 segundos cada, sem outros apoios. Nas últimas sete eleições presidenciais, quatro foram vencidas por quem teve o maior tempo. Duas, por quem teve o segundo maior tempo. (Com Folha de S.Paulo)




Embora o cargo de ministro chefe da Secretaria de Governo esteja vago desde sexta, Marun vai esperar até quinta

Postado por Marco Eusébio , 11 Dezembro 2017 às 17:15 - em: Principal

Como Michel Temer tem empossado ministros tão logo a vaga seja aberta em seu governo, o fato de ter marcado para quinta-feira às 17h (DF) a posse de Carlos Marun na Secretaria de Governo, sem titular desde a saída de Antonio Imbassahy na sexta, deixou muita gente curiosa. A data escolhida não foi por acaso: Marun é relator da CPI da JBS, e o presidente quer que ele continue deputado até a manhã de quinta, quando seu relatório deve ser votado na Casa.




Michel Temer participa em Buenos Aires de reunião da OMC que visa concluir acordo de comércio do Mercosul e União Européia

Postado por Marco Eusébio , 10 Dezembro 2017 às 13:00 - em: Principal

Carlos Marun, que na próxima quinta-feira em Brasília assumirá o cargo de ministro chefe da Secretaria de Governo e será responsável pelas articulações políticas com o Congresso, integra a comitiva de Michel Temer que participa neste domingo em Buenos Aires da 11ª Reunião Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), onde espera-se que seja concluído o acordo de comércio entre Mercosul e União Europeia. Além de Marun, Temer convidou o relator da reforma da Previdência na Câmara, deputado Arthur Maia (PPS-BA), visando aproveitar a viagem e debater a estratégia para votar o texto neste ano. Ao blog do Gerson Camarotti, da Globo.Com, Marun defendeu a proposta do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de iniciar os debates sobre a reforma já na quinta-feira. "O ambiente é favorável, a contabilidade tem aumentado a favor da reforma da Previdência, mas é preciso agora criar uma onda a favor da reforma".




Postado por Marco Eusébio , 09 Dezembro 2017 às 21:15 - em: Principal


Marun informou aos seus contatos do WhatsApp que foi convidado por Temer e confirmou a posse para a próxima quinta-feira

Postado por Marco Eusébio , 09 Dezembro 2017 às 20:30 - em: Principal

Agora é oficial. Após conversar com o presidente Michel Temer, Carlos Marun (PMDB-MS) acaba confirmar o convite para ser ministro-chefe da Secretaria de Governo. O deputado acaba de enviar a seguinte mensagem para seus contatos no WhatsApp: "Amigos, o presidente Temer me convidou há pouco para exercer a função de ministro da Secretaria de Governo. A posse será na próxima quinta-feira. Agradeço as manifestações de apoio e apreço já recebidas."




Depois de falar do 'balcão de negócios' de Michel Temer, general Mourão vai atuar na Secretaria-Geral do Exército

Postado por Marco Eusébio , 09 Dezembro 2017 às 17:45 - em: Principal

Após a repercussão das críticas que fez ao presidente Michel Temer em palestra na quinta-feira à noite em Brasília, o general Antonio Hamilton Martins Mourão foi afastado da chefia da Secretaria de Economia e Finanças do Exército. Agora, vai trabalhar na Secretaria-Geral do Exército. Na palestra no Clube do Exército, Mourão afirmou que Temer vai conduzindo seu mandato "aos trancos e barrancos", e se equilibrando graças a um "balcão de negócios" para chegar ao fim do mandato (veja aqui em vídeo). Na ocasião, além de tecer elogios a Jair Bolsonaro e críticas a Lula, o general informou que irá para a reserva no 31 de março de 2018, data do golpe militar de 1964. Hoje pela manhã, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, postou no Twitter que falou com o comandante do Exército, general Villas Boas, sobre o caso.




Lula e Bolsonaro lideram as pesquisas, que mostram só um cenário atual em que novos nomes podem surgir ou desaparecer

Postado por Marco Eusébio , 09 Dezembro 2017 às 13:20 - em: Principal

Faltando pouco menos de um ano para as eleições, pesquisas estão longe de prever o cenário de 2018 conforme especialistas. De olho no Planalto, figuras conhecidas como Lula e Jair Bolsonaro estão há mais de um ano viajando pelo Brasil para consolidar suas candidaturas. Não à toa, os dois lideram a preferência do eleitorado.
 
A mais recente pesquisa Datafolha apontou que, dependendo dos candidatos, Lula varia de 34% a 37% e Bolsonaro tem, em média, 18%. Porém, o que chama a atenção são outros números. O Datafolha aponta que, na espontânea, sem citar candidatos, 46% dos eleitores não demonstra preferência por ninguém. Lula é citado por 17% (tinha 18% em setembro), e Bolsonaro por 11% (tinha 9%). Com 1% cada aparecem Ciro, Marina, Alckmin, Álvaro Dias e Temer. Os demais não atingiram sequer 1%. 
 
"Se você tem quase 50% dos eleitores que da sua própria cabeça não podem citar um candidato de sua preferência, isso é muito prejudicial ao próximo passo da simulação, que é de mostrar o cartão com os nomes dos candidatos. Uma coisa é muito destoante da outra", analisa o cientista político e professor da Universidade de Brasília (UnB) David Fleischer. 
 
O especialista diz que as pesquisas não servem de real parâmetro para as eleições, pois só retratam o atual momento. Nos próximos meses, afirma, novas candidaturas podem surgir e outras desaparecer, como no caso de Lula, que se for condenado em segunda instância pelo TFR4 será barrado pela Lei da Ficha Limpa.
 
O escritor e cientista político Bruno Garschagen cita levantamento do Ibope, divulgada no fim de outubro, e avalia que o cenário está "basicamente sendo construído pelos institutos de pesquisas". Para Garschagen, "o que a gente tem hoje, é mais um termômetro daquilo que os institutos de pesquisas acham e, depois, o que a população acha a respeito daqueles candidatos. É tudo muito prematuro", declarou.
 
Historicamente, o brasileiro demora a escolher seus candidatos. Em julho de 2014, por exemplo, 55% dos eleitores não sabiam dizer em quem votariam. Bruno Garschagen diz que um dado mais "robusto" e "fiel" da realidade só será alcançado em meados de março ou abril do ano que vem, uma vez que "o quadro de candidatos já estará mais claro, inclusive para a população".
 
(Com João Paulo Machado, da Agência do Rádio)



General Mourão diz que Temer conduz o país com 'balcão de negócios' e vê com 'bons olhos' candidatura de Bolsonaro

Postado por Marco Eusébio , 09 Dezembro 2017 às 10:30 - em: Principal

Depois de defender intervenção miliar no país em setembro, o general Antônio Hamilton Mourão, secretário de Economia e Finanças do Exército, voltou a virar notícia depois de fazer duras críticas ao presidente Michel Temer, em palestra promovida pelo grupo Terrorismo Nunca Mais (Ternuma), no Clube do Exército, em Brasília, na noite de quinta-feira. Na ocasião, Mourão afirmou que estamos vivendo uma "sarneyzação" e que Temer vai "aos trancos e barrancos buscando se equilibrar e, mediante um balcão de negócios, chegar ao final de seu mandato". No final, ao responder perguntas da plateia, disse que a candidatura de Jair Bolsonaro agrada as Forças Armadas. Para Mourão, o capitão da reserva é um político testado, que nunca se meteu em falcatruas e confusões. "Obviamente, nós, seus companheiros dentro das forças, olhamos com muito bons olhos a candidatura do Bolsonaro", disse. Veja o trecho do vídeo com críticas a Temer.