Campo Grande, Sexta-Feira , 20 de Outubro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: lava-jato

Aécio à imprensa em 2015 sobre Delcídio: 'A nossa interpretação é que a decisão deve se dar por votação aberta'

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 13:30 - em: Principal

As voltas que o mundo dá. Embora hoje senadores aliados de Aécio Neves (PSDB-MG) tentem fazer com que seja secreta a votação que vai definir o futuro do mandato do tucano mineiro no Senado, nem sempre pensaram assim. O próprio Aécio, juntamente com os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), José Agripino (DEM-RN) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), assinou requerimento ao Supremo em 2015, após a prisão de Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), para que fosse aberta a votação no Senado para decidir o destino do então senador sul-mato-grossense, lembra o blog Maquiavel da revista Veja. Em coletiva de imprensa à época, Aécio pedia pressa na votação sobre Delcídio e voto aberto. "Na nossa interpretação, a manifestação, por maioria do Senado Federal, deve se dar por votação aberta", afirmava o tucano. Veja o vídeo.




Época: com a Lava Jato devagar, quase parando, Curitiba deve deflagrar outra megaoperação até o fim do ano

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 12:15 - em: Principal

"Todos percebem que o ritmo de operações deflagradas no âmbito da Lava Jato está devagar, quase parando. Mas não será assim até o fim do ano. Curitiba prepara uma daquelas megaoperações capazes de povoar as manchetes dos jornais por dias seguidos. Mais trabalho para o coordenador da Lava Jato no Ministério Público Federal, o procurador Deltan Dallagnol, e para o juiz Sergio Moro", diz Diego Escosteguy no blog Expresso da revista Época.




Cópias dos recibos entregues por Lula à Justiça: datas dos vencimentos não existem

Postado por Marco Eusébio , 26 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Acusado pelo Ministério Público Federal de ter recebido como propina da Odebrecht o apartamento vizinho ao seu, em São Bernardo do Campo, em troca de obras da Petrobras para a empresa, Lula alegou que alugava o imóvel e se comprometeu com Sérgio Moro, em seu último depoimento, de apresentar recibos, entregues ontem. O site "O Angatonista" alertou, entretanto, que os alegados alugueis vencem no "Dia de São Nunca", pois as datas que constam nos recibos entregues pela defesa à Justiça não existem no calendário: 31 de junho de 2014 e 31 de dezembro de 2015. Além disso o contrato de locação apresentado não possui qualquer autenticação de cartório. "Sem lastro em extratos bancários que confirmem os pagamentos, dificilmente essa papelada terá valor jurídico no processo", diz o site.




Dividindo a liderança de pesquisa para o Senado com Requião, Dallagnol desperta o interesse de partidos no Paraná

Postado por Marco Eusébio , 25 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

O coordenador da Lava Jato em Curitiba, procurador da República Deltan Dallagnol, está sendo sondado para ser candidato ao Senado em 2018 por partidos como o Podemos, do senador Álvaro Dias, e a Rede, de Marina Silva. Ironicamente, o PT paranaense diz torcer para que ele aceite ser candidato. O interesse aumentou depois que o instituto Paraná Pesquisas indagou a eleitores do estado vizinho em quem votariam para o Senado em 2018.
 
Dallagnol foi citado por 29,6%, ficando tecnicamente empatado com o líder Roberto Requião (PMDB), com 31,4%, e à frente do tucano Beto Richa (22,2%). Deixou bem distantes outros nomes tradicionais, como o ex-prefeito de Curitiba pelo PDT Gustavo Fruet e a senadora petista Gleisi Hoffmann. Como Requião deve disputar o governo, o procurador teria chances no Senado. 
 
Outro procurador da Lava Jato na mira de partidos, este para ser deputado federal, é Carlos Fernando dos Santos Lima. Pelo menos por enquanto, os dois negam interesse em entrar na política. 
 
Consultado, o presidente do PT do Paraná, Doutor Rosinha, disse que torce para que eles sejam candidatos. "Eu torço por isso. Seria uma forma de deixar desmascarar o quanto o trabalho desses procuradores é político", afirmou o ex-deputado federal ao jornal O Estado de S.Paulo.



Rodrigo Janot em entrevista ao Correio Braziliense: 'Não criminalizei a política. Criminalizei os bandidos'

Postado por Marco Eusébio , 20 Setembro 2017 às 17:00 - em: Principal

A delação do ex-senador Delcídio do Amaral foi um "divisor de águas" para a Lava Jato: "Ele gravou, os fatos eram gravíssimos, e era um senador, líder do governo", afirmou Rodrigo Janot em sua primeira entrevista depois de deixar o cargo de procurador-geral da República, concedida ao jornal Correio Braziliense, no quarto andar da sede da PGR em Brasília, onde funcionários trabalham para adaptar um amplo gabinete ao novo ocupante. "Um arco e flecha pendurado à parede divide o espaço com uma escultura de tuiuiu e com uma coleção de canetas — uma delas, em destaque, foi usada para assinar a delação premiada de executivos da Odebrecht" diz o jornal.
 
Rodrigo Janot parece alheio ao bombardeio que vem recebendo há meses. Até a transmissão de cargo à sucessora, Raquel Dodge, foi controversa: Janot não compareceu à cerimônia de posse. Na entrevista, o procurador federal explica a ausência: "Quem vai em festa sem convite é penetra".
 
Além da prisão de Delcídio, o ex-chefe do MP relata os bastidores de momentos importantes que marcaram a Lava-Jato: a morte do ministro Teori Zavascki, a “escolha de Sofia” na imunidade concedida ao empresário Joesley Batista em troca de provas contra Temer e as suspeitas envolvendo integrantes do próprio Ministério Público.
 
Janot deixou o cargo, mas não se afastou da turbulência. Pelo contrário. Ele sabe que, agora, começam de verdade os ataques, principalmente na CPI da JBS, comandada por aliados de Temer. "Vão tentar usar todo mundo e tudo contra mim… Tudo é possível, vão tentar desconstituir a figura do investigador", diz. "Não criminalizei a política. Criminalizei os bandidos", acrescenta.
 



Vídeo postado hoje por Lula nas redes sociais tenta desqualificar denúncias de Palocci contra o ex-presidente

Postado por Marco Eusébio , 15 Setembro 2017 às 16:40 - em: Principal

Em vídeo postado hoje nos perfis oficiais de Lula nas redes sociais, a assessoria do ex-presidente afirma que seu ex-ministro Antonio Palocci faz "mentira premiada", permitida pelo juiz Sérgio Moro, para tentar condenar o petista sem provas e assim obter benefícios que amenizem sua pena. "É a espetacularização da mentira para impedir um direito básico do ex-presidente que é presunção da inocência", diz. Veja o vídeo postado no Twitter pelo perfil @LulapeloBrasil.




Lula em depoimento hoje em Curitiba: 'O Delcídio foi solto num pacto entre o Miller e a Globo pra fazer denúncia contra mim'

Postado por Marco Eusébio , 13 Setembro 2017 às 18:00 - em: Principal

No segundo depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, prestado hoje em Curitiba, sobrou para Delcídio do Amaral (MS). O ex-presidente disse que o ex-senador teria sido solto num pacto do ex-procurador Marcelo Miller e a Globo contra ele. "Eu, por exemplo, ví o Ministério Público me incluir na denúncia do Delcídio. Tem mais de vinte perguntas do Delcídio comigo nesse processo. E o Delcídio é um mentiroso, descarado, que foi solto num pacto entre o Miller e a Globo pra fazer denúncia contra mim", disparou o ex-presidente. Veja o vídeo.




Lula em depoimento hoje a Moro disse que vai rebater as acusações e afirmou: 'vocês viraram refém da imprensa brasileira' [sic]

Postado por Marco Eusébio , 13 Setembro 2017 às 17:30 - em: Principal

Em suas considerações finais do depoimento de 2 horas e 15 minutos prestado hoje ao juiz federal Sérgio Moro, em Curitiba, Lula foi advertido pelo magistrado que não era hora de fazer "campanha" nem "discurso", e que deveria se ater à ação em que é acusado de receber propinas da Odebrecht por meio de um terreno para o Instituto Lula e um apartamento vizinho ao seu em São Bernardo do Campo (SP). O ex-presidente, entretanto, discursou brevemente: rebateu a delação de seu ex-ministro Antonio Palocci, disse haver uma "caça às bruxas" contra ele, declarou que continuará rebatendo todas as ações do Ministério Público frisando que as denúncias contra ele não procedem e afirmou que tanto o MP como o Judiciário na Lava Jato estão sendo reféns da imprensa brasileira. Veja abaixo o vídeo.

 
VEJA aqui TODOS OS VÍDEOS DO DEPOIMENTO DE LULA HOJE DIVULGADOS PELA GAZETA DO POVO, DE CURITIBA.
 



Ex-ministro dos governos de Lula e Dilma, Palocci revelou hoje ao juiz Sérgio Moro detalhes do 'pacto' do PT com a Odebrecht

Postado por Marco Eusébio , 06 Setembro 2017 às 18:00 - em: Principal

O PT tinha um "pacto de sangue" com a Odebrecht e o acordo no fim do governo Lula para a empresa manter o "bom relacionamento" com o governo Dilma previa que o partido deveria receber R$ 300 milhões. Do total, R$ 4 milhões foram dados em dinheiro a Lula, para pagamentos ao Instituto que leva seu nome. As afirmações feitas por Antonio Palocci hoje ao juiz Sérgio Moro foram reveladas à imprensa por advogados do ex-ministro de Lula e Dilma, após o depoimento em Curitiba.
 
Palocci também contou que Lula sabia da compra de um terreno para o Instituto Lula e de um imóvel vizinho ao seu apartamento em São Bernardo do Campo. "A destinação dos recursos era determinada a partir da cúpula do PT, seja pelo presidente Lula, Paulo Okamotto ou Antônio Palocci", disse o advogado André Pontarolli. Essa conta também foi usada "para o pagamento de campanha, seja por caixa dois, seja por caixa oficial", acrescentou. 
 
"Especificamente no que tange o assunto do Instituto Lula, que é o objeto dessa denúncia, ficou absolutamente claro que esse assunto foi deliberado conjuntamente por um colegiado de pessoas composto por Paulo Okamotto, José Carlos Bumlai, Roberto Teixeira, o próprio Antonio Palocci, que não nega o seu mea culpa, não se exime da sua responsabilidade", disse Adriano Bretas, outro advogado do ex-ministro. Conforme a denúncia do Ministério Público Federal (MPF), Lula recebeu o terreno e o imóvel como vantagem indevida da Odebrecht. Já condenado em outra ação da Lava Jato e preso em Curitiba, Palocci responde neste processo por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.



Cunha intimida empresários e políticos mesmo estado preso, disse Janot contra prisão domiciliar para o ex-deputado

Postado por Marco Eusébio , 02 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Destacando a "periculosidade" de Eduardo Cunha, Rodrigo Janot, se manifestou em parecer ao Supremo contra pedido de prisão domiciliar do ex-presidente da Câmara, condenado a 15 anos e quatro meses de prisão na Lava Jato por Sérgio Moro. A defesa alegou que outro investigado, o ex-deputado Rocha Loures, o "Homem da Mala", obteve prisão domiciliar. Janot, entretanto, afirmou que Cunha intimida empresários e políticos, mesmo preso. E rejeitou a comparação, afirmando que o ex-assessor de Temer era intermediário de esquema de corrupção, e o ex-presidente da Câmara era mandante.