Campo Grande, Terça-Feira , 25 de Julho - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: jbs

Aviso na porta da mansão de Joesley Batista, o 'gravador-mor da República', no elegante Jardim Europa, em SP

Postado por Marco Eusébio , 10 Julho 2017 às 12:15 - em: Principal

Do Lauro Jardim em blog no O Globo:
 
"Na porta da mansão de Joesley Batista, no Jardim Europa (SP), há uma placa de metal, de cerca de um metro de altura, na qual consta um pedido insólito para quem é o gravador-mor da República. 
 
Diz o seguinte: 
 
'Para a privacidade de todos, agradecemos a gentileza de não postar fotos e vídeos em redes sociais dos momentos aqui compartilhados'. 
 
Michel Temer deveria botar uma no Jaburu."



Rocha Loures terá de usar tornozeleira eletrônica, falar com outros investigados nem se ausentar do Brasil

Postado por Marco Eusébio , 30 Junho 2017 às 17:20 - em: Principal

O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato e da denúncia da JBS no Supremo, mandou soltar o ex-deputado Rocha Loures, ex-assessor de Michel Temer que foi preso no dia 3 deste mês depois de flagrado pela Polícia Federal recebendo uma mala com 500 mil reais que, conforme delação da JBS, seria propina. Conforme Fachin, Loures terá de usar tornozeleira eletrônica e ficar em casa das 20h às 6h e nos fins de semana e feriados. Também não poderá entrar em contato com outros investigados nem se ausentar do Brasil.




Sessão da OAB-MS em Bonito, onde acontece hoje encontro do Colégio de Presidentes das Subseções da Ordem

Postado por Marco Eusébio , 30 Junho 2017 às 14:15 - em: Principal

Por unanimidade, o Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) decidiu hoje pedir à Procuradoria Geral da República (PGR) abertura de inquérito para investigar denúncias dos donos da JBS, Wesley e Joesley Batista, envolvendo o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), em suposto esquema de pagamento de propina para os frigoríficos do grupo obterem benefícios fiscais no estado. 
 
A decisão foi tomada em sessão na cidade de Bonito, onde acontece encontro do Colégio de Presidentes das subseções da Ordem, com base em parecer da comissão criada para analisar as denúncias que concluiu: "não obstante a gravidade dos fatos delatados, é necessário que os mesmos sejam comprovados para justificar a medida extrema de impedimento e qualquer outra de natureza criminal". 
 
Na ocasião, o presidente da OAB-MS, Mansour Karmouche, disse que a Seccional da Ordem "cumpre, mais uma vez, seu papel constitucional agindo dentro dos critérios principiológicos, sempre adotados pela nossa instituição com prudência, equilíbrio e razoabilidade no agir de suas ações".



Além de negar pedido de prisão, Marco Aurélio revogou medidas de Fachin que havia afastado Aécio do Senado

Postado por Marco Eusébio , 30 Junho 2017 às 12:00 - em: Principal

Aécio Neves poderá voltar a exercer suas funções de senador, entrar em contato com sua irmã e outros investigados na delação da JBS e até deixar o País. A decisão é do ministro do Supremo, Marco Aurélio Mello, que, além de negar pedido de prisão do tucano mineiro, determinou na manhã desta sexta-feira o restabelecimento da sua situação jurídico-parlamentar. Aécio estava afastado da função desde o dia 17 de maio pelo ministro Edson Fachin, relator da delação da JBS, que também o proibiu de falar com outros investigados ou se ausentar do País. O "libertador" Marco Aurélio afastou todas essas medidas cautelares.




Carlos Marun desqualifica denúncia de Rodrigo Janot contra Michel Temer e afirma que esta será barrada na Câmara

Postado por Marco Eusébio , 27 Junho 2017 às 13:15 - em: Principal

Um dos principais defensores de Michel Temer na Câmara, o deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS), em mensagem enviada hoje aos seus contatos no WhatsApp, classificou como "uma afronta que vai ser rapidamente arquivada" a denúncia feita ontem por Rodrigo Janot ao Supremo acusando o presidente de corrupção passiva como destinatário da mala de R$ 500 mil repassada pela JBS a Rocha Loures. Para que a denúncia virar processo no STF são necessários pelo menos 342 votos dos 513 deputados federais e Temer precisa de ao menos um terço, 172, para que seja rejeitada. Leia a íntegra da mensagem de Marun:
 
"A denúncia é uma afronta que vai ser rapidamente arquivada. Uma chuva de suposições completamente desprovida de provas. Se quisesse acusar o pres de ter se 'apropriado' dos tais R$ 500 mil, o MP deveria ter dado continuidade a 'operação controlada' para ver onde o dinheiro iria parar. No lugar disto interromperam a ação e deixaram no ar uma dúvida da qual tentam se aproveitar agora. É inacreditável  que o PGR, que cruzou todo o petrolão e suas dezenas de delações sem acusar Dilma, se sinta no direito de denunciar o presidente da República, travando um país que precisa de um pouco de estabilidade para crescer, com base em um conjunto probatório tão frágil como este. Na verdade tratar-se de uma ação de autodefesa do procurador, que tenta com isto dar algum sentido ao 'escandaloso' acordo de colaboração premiadíssima que celebrou com Joesley Batista e a quadrilha da JBS. 
 
Um grande abraço a todos!
 
CARLOS MARUN
DEP. FEDERAL"



Temer entrará para a história como primeiro presidente alvo de denúncia criminal e espera apoio de aliados

Postado por Marco Eusébio , 26 Junho 2017 às 17:40 - em: Principal

Da resenha do site Migalhas jurídicas:
 
"A semana começa com a iminente denúncia criminal oferecida contra o presidente da República. O fato, nunca antes ocorrido na história do país, vai minando os meios necessários à permanência de Temer no comando da nau pátria.
 
Os deputados, sem nem saber o teor da acusação, já se adiantam dizendo que vão recusar o libelo. E a recusa política, como sabe o homem de bem, é mais constrangedora do que eventual processo judicial.
 
Apenas para recordar, porque no meio da barafunda as pessoas perdem os parâmetros: o presidente da República recebeu em casa um sujeito, às escondidas. Disse ao interlocutor quem seria seu mandatário. Dias depois o mandatário pegou, tacitamente em nome do mandante, uma mala com 500 mil pilas. Está bom, ou precisa mais?"



Cunha e a carta escrita à mão desmentindo declarações de Joesley sobre sua relação com Lula

Postado por Marco Eusébio , 20 Junho 2017 às 10:15 - em: Principal

Eduardo Cunha diz que Joesley Batista, da JBS, mentiu sobre sua relação com Lula em entrevista à revista Época e prometeu pedir ao Supremo a anulação da delação do dono da JBS.  Em carta escrita à mão, no presídio em Curitiba, o ex-presidente da Câmara afirma:
 
"Ele [Joesley] fala que só encontrou o ex-presidente Lula por duas vezes, em 2006 e 2013. Mentira! Ele apenas se esqueceu que promoveu um encontro que durou horas, no dia 26 de março de 2016, Sábado de Aleluia, na sua residência [...] entre eu, ele e Lula, a pedido de Lula, a fim de discutir o processo de impeachment, ocorrido em 17 de abril, onde pude constatar a relação entre eles e os constantes encontros que eles mantinham". 
 
Na carta, o ex-deputado diz que o encontro de Joesley, Lula e ele pode ser comprovado pelos seguranças que o acompanharam e classifica o empresário da JBS como "perigoso marginal" que mente "para obter benefícios para os seus crimes".
 
Cunha também diz estranhar que Joesley ataca o governo Temer, sendo o maior beneficiário das medidas do atual governo:
 
"É estranho que mesmo atacando o governo, ele seja o maior beneficiário de medidas do governo, tais como a MP 783 do Refis, onde ele, como o maior devedor da Previdência no país, vai poder pagar os bilhões que deve em 15 anos, com descontos e ainda usando créditos podres e duvidosos, inclusive de terceiros", exemplificou.



Aécio tem lembrado a correligionários que tem uma excelente memória sobre os últimos 20 anos

Postado por Marco Eusébio , 19 Junho 2017 às 15:30 - em: Principal

"Não foi só companheirismo que fez os tucanos agirem para proteger Aécio Neves. A mais de um correligionário, Aécio lembrou que tem excelente memória sobre os últimos 20 anos do partido e de pecados de diferentes tamanhos de seus mais ilustres integrantes", lembra Guilherme Amado no blog do Lauro Jardim em O Globo.




Temer em maio, depois de anunciar que não iria renunciar: pouco antes tinha dois discursos em mãos

Postado por Marco Eusébio , 19 Junho 2017 às 14:30 - em: Principal

Do Gabriel Mascarenhas no blog Radar da Veja:
 
"No dia 18 de maio, menos de 24 horas após o Brasil conhecer os estragos provocados pela delação de Joesley Batista, Michel Temer escolheu um tom incisivo e um semblante raivoso para avisar ao país que não renunciaria.
 
'Não renunciarei. Repito: não renunciarei', disse na ocasião.
 
A convicção que tentou demonstrar às câmeras contrastava com a hesitação que o sacudia momentos antes do pronunciamento.
 
Reunido com seu núcleo duro, ele ouviu a sugestão de um auxiliar para entregar a cadeira e convocar eleições gerais para novembro.
 
O presidente não só gostou da ideia, como mandou que fosse escrito um discurso com esse conteúdo. O texto foi preparado e entregue. Moreira Franco, porém, não se conformava e tentava convencê-lo a não renunciar.
 
Dizia: 'A gente vai caminhando, se acochambrado e vamos superar'.
 
Como se sabe, a tese de Moreira venceu. O que ninguém sabe é que pouco antes de subir no púlpito do Palácio do Planalto, Temer tinha dois textos nas mãos. A dúvida sobre um ou outro foi até o final."



Carlos Marun: 'Chance de a oposição ter 342 votos é a mesma do Sargento Garcia prender o Zorro'

Postado por Marco Eusébio , 19 Junho 2017 às 11:00 - em: Principal

"A chance de a oposição ter os 342 votos para aprovar a denúncia é a mesma que o Sargento Garcia tem de prender o Zorro, salvo haja algo novo, grave e comprovado contra o presidente", disse o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), um dos principais do presidente, à Folha de S.Paulo, sobre a denúncia que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve apresentar nos próximos dias à Câmara dos Deputados, com base na delação da JBS. Para virar processo no Supremo com afastamento do presidente do cargo, é preciso que a denúncia tenha apoio de ao menos 342 dos 513 deputados. "Ou seja, Temer necessita ter ao menos 172 deputados ao seu lado" e "o lado contrário que tem a obrigação de reunir 342", lembra o jornal. 
 
Para evitar o desgaste de declarar seus votos em plenário, os aliados cogitam se ausentar para esvaziar a sessão, diz a Folha, lembrando, entretanto, que isso vai depender da opinião pública. No caso do impeachment de Dilma, essa tática também foi pensada por aliados da petista, mas desistiram porque o então presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), prometeu fazer sucessivas chamadas dos faltosos na sessão realizada em um domingo com transmissão ao vivo para todo o País. Consultado, Marun reforçou: "A forma como cada um vai se portar diante do microfone eu não sei, o que sei é que a oposição não terá votos para levar a frente uma denúncia frágil como essa".