Campo Grande, Terça-Feira , 17 de Outubro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: greve-geral

Marcelo Madureira cercado por manifestantes no centro do Rio

Postado por Marco Eusébio , 28 Abril 2017 às 20:15 - em: Principal

Manifestantes ligados a sindicatos que protestavam no centro do Rio de Janeiro neste sábado agrediram e expulsaram do local Marcelo Madureira, humorista do grupo Casseta & Planeta e comentarista da rádio Jovem Pan, aos gritos de "fascista", "canalha" e "golpista". Crítico dos partidos e grupos de esquerda, Madureira estava com um cinegrafista e um produtor gravando para seu canal no YouTube quando ocorreram as agressões. O humorista postou vídeo na internet intitulado "Apanhei na manifestação" ironizando o protesto que chamou de "CarnaCUT". "Não tem muitos foliões, mas já chegou o trio elétrico e a galera vai botar para quebrar no Carnacut. O Brasil é só alegria", disse (veja aqui o vídeo) Mais tarde,  houve vários tumultos no local e confrontos da PM e manifestantes. Pelo menos três ônibus foram queimados e a polícia reagiu com bombas de gás. Veja aqui o vídeo que mostra o humorista sendo expulso do local.
 



Doria: 'da próxima vez acordem cedo para bloquear meu caminho'

Postado por Marco Eusébio , 28 Abril 2017 às 15:30 - em: Principal

Em São Paulo, maior capital do Brasil, João Doria criticou hoje as greves deflagradas por centrais sindicais contra as reformas trabalhista e da Previdência. O prefeito disse que acorda cedo e os grevistas não conseguiram bloquear seu acesso ao trabalho. "Eu acordo cedo e trabalho. Eu não sou grevista que dorme, é preguiçoso e acorda tarde. Eu não sou Jaiminho, não", disse à rádio Joven Pan.
 
Doria declarou que vai cobrar a multa fixada em R$ 500 mil por hora pela Justiça do Trabalho, a pedido da prefeitura, para o Sindicato dos Motoristas de São Paulo, que descumpriu a decisão de manter um percentual mínimo de ônibus circulando nas ruas.
 
"Vamos cobrar multas dos sindicatos que romperam a ordem e determinação da Justiça. Vamos cobrar as multas, meio milhão de reais para a paralisação de ônibus", disse. Sobre o corte de ponto de servidores da prefeitura, afirmou que quem faltar o dia todo terá o dia de salário descontado, mas devido a falta de ônibus "Haverá absoluta tolerância para situações de atraso."
 
Veja aqui a entrevista no canal da Jovem Pan no YouTube.



Manifestantes em passeata contra as reformas de Temer hoje no centro de Campo Grande

Postado por Marco Eusébio , 28 Abril 2017 às 15:00 - em: Principal

Pelo menos 60 mil trabalhadores, conforme a organização, e metade disso na estimativa da Polícia Militar, participaram da manifestação da greve geral na região central de Campo Grande nesta sexta-feira convocada pelas centrais sindicais contra as reformas previdenciária, trabalhista e a terceirização. Às 5 da manhã a saída dos ônibus das empresas foi bloqueada com apoio dos funcionários, que também paralisou o comércio e repartições públicas, agências bancárias e correios. Neste início de tarde, acontece debate na Assembleia Legislativa, convocado pelo deputado Amarildo Cruz (PT), sobre as reformas. 
 
Lideranças avaliaram como positivo o movimento e prometem novas ações. "Essa presença maciça neste dia histórico servirá para que as autoridades levem mais a sério o trabalhador brasileiro e respeitem seus anseios e reivindicações. Estamos aqui, firmes, atentos e lembrando aos nossos deputados, senadores, e autoridades do executivo federal, que no ano que vem teremos eleições e iremos, da mesma forma, cobrarmos duro de cada um", declarou Elvio Vargas, líder do comitê estadual contra as reformas que une todas as centrais: CUT, Força Sindical, CTB, CSB, CGTB, NCST, UGT e Conlutas.



Centrais sindicais comandam movimento contra reformas de Temer

Postado por Marco Eusébio , 28 Abril 2017 às 09:00 - em: Principal

Centrais sindicais adversárias como CUT e a Força Sindical e seus seguidores se unem nesta sexta-feira em protestos programados para todo o Brasil contra as reformas trabalhista e da Previdência de Michel Temer. Governistas como o deputado Elizeu Dionízio (PSDB-MS) afirmam que o alvo dessas ações, na verdade, não é defender o trabalhador, mas sim a própria sobrevivência dessas entidades em risco de extinção com o fim da contribuição sindical obrigatória, que passará a ser opcional conforme prevê a reforma trabalhista. A queda-de-braço promete. Quem tem bom senso e não pertence qualquer uma dessas castas, torce para que o Brasil saia vencedor.