Campo Grande, Sábado , 18 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: governador

Postado por Marco Eusébio , 03 Outubro 2017 às 14:30 - em: Principal

Na Enquete que perguntava "Em qual desses nomes você votaria hoje para governador de MS?" encerrada hoje no Blog, que levou pré-candidatos a pedir votos nas redes sociais, foram registrados 1.674 votos de leitores com o seguinte resultado:
 
1º Waldeli dos Santos Rosa (PR) 772 (46.12%) 
 
2º Reinaldo Azambuja (PSDB) 232 (13.86%) 
 
3º André Puccinelli (PMDB) 218 (13.02%) 
 
4º Zeca do PT 185 (11.05%) 
 
5º Odilon de Oliveira (Juiz) 184 (10.99%) 
 
6º Outro nome não citado 44 (2.63%) 
 
7º Nenhum 39 (2.33%) 
 
Vale frisar sempre que, embora não tenha caráter científico, as enquetes apontam interesse e mobilização de pré-candidatos, apoiadores e demais leitores nas redes sociais.



Azambuja, Odilon, André, Waldeli e Zeca são cogitados nessa fase de indefinições sobre candidaturas para 2018

Postado por Marco Eusébio , 26 Setembro 2017 às 10:20 - em: Principal

Enquanto as pré-candidaturas não são definidas, além do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) os principais nomes citados para sua sucessão, por enquanto, são os do ex-governador André Puccinelli (PMDB), o do juiz federal Odilon de Oliveira, o do prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa (PR), e o do deputado e ex-governador Zeca do PT que se coloca com outros de seus companheiros para a decisão do partido. Em qual deles você votaria hoje? Responda participando à direita (conectado ao Facebook) da nova Enquete da Semana do Blog!




STF extingue, acionado pela OAB, necessidade de autorização de deputados para processar governador

Postado por Marco Eusébio , 05 Maio 2017 às 09:00 - em: Principal

Para julgar governador, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) não precisa de autorização prévia. A decisão foi confirmada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) ao concluir ontem o julgamento de três ações da OAB que questionavam as constituições do Piauí, do Acre e do Mato Grosso, firmando entendimento de que Estados não têm competência para editar normas que exijam autorização da Assembleia Legislativa para que o STJ instaure ação penal contra governador, nem para legislar sobre crimes de responsabilidade. Também foi confirmado que, no caso de abertura de ação penal, o afastamento do cargo não acontece automaticamente. Conforme os ministros, o texto será base para uma Súmula Vinculante sobre a matéria.
 
A OAB sustentava que a Constituição Federal atribui à União competência privativa para legislar sobre direito processual. Além disso, conforme o Conselho Federal da Ordem, as assembleias não teriam isenção política para decidir sobre a abertura de processo por crime comum contra governador no STJ e também para julgá-lo na própria assembleia nos crimes de responsabilidade. Ao final da sessão, os ministros decidiram que os relatores dos demais casos em tramitação no Supremo sobre a mesma matéria poderão decidir monocraticamente as ações, aplicando o entendimento da tese aprovada.