Campo Grande, Segunda-Feira , 21 de Agosto - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: fhc

Fernando Henrique para Michel Temer: 'só o presidente tem legitimidade para reduzir seu próprio mandato'

Postado por Marco Eusébio , 26 Junho 2017 às 17:00 - em: Principal

Idem, da resenha do Migalhas jurídicas:
 
"Apelando para o bom senso de Temer, FHC sugere hoje, em longo artigo na Folha de S.Paulo, que o presidente saia de mansinho: 'só o presidente tem legitimidade para reduzir o próprio mandato, propondo, por si ou por seus líderes, uma emenda à Constituição que abra espaço para as modificações em causa'. FHC vai além: 'se o ímpeto de reforma política for grande, por que não envolver nela uma alteração do mandato presidencial para cinco anos sem reeleição? E, talvez, discutir a oportunidade de antecipar também as eleições congressuais. Assim se poderia criar um novo clima político no país.'"



João Doria diz que FHC, que não o apoio na campanha, tem errado seus prognósticos em relação a ele

Postado por Marco Eusébio , 24 Junho 2017 às 16:00 - em: Principal

Criticado por FHC, que declarou ontem que o prefeito de São Paulo não mudou nada na cidade e só conseguiu "algum sucesso" porque domina a comunicação em redes sociais, João Doria (ambos do PSDB), consultado pelo Estadão de S.Paulo, respondeu neste sábado: "Respeito e admiro muito o ex-presidente Fernando Henrique, mas acho que ele está precisando sair um pouco de seu apartamento e visitar São Paulo". 
 
Não foi a primeira vez que FHC e Doria trocam alfinetadas em declarações públicas. Em março, ao Estadão, o ex-presidente criticou indiretamente o discurso de Doria, de que ele é gestor e não político. "Se você for um gestor, não vai inspirar nada. Tem que ser líder", afirmou. Ao jornal O Globo, também no início do ano, FHC disse que Doria estava "começando" e seria "prematuro" pensar no nome dele para 2018, frisando que "credibilidade não é igual a popularidade". 
 
Doria, na época, também rebateu. Disse que FHC errou duas vezes em prognósticos sobre ele. "Respeito muito o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, mas eu só me lembro de que ele previu que eu não seria eleito nas prévias para ser candidato pelo PSDB. Apoiou outro candidato, o que não muda minha admiração. Ele mesmo já confessou que, quando comecei campanha para prefeito de SP, acreditava que eu não seria eleito. Venci as duas. Os dois primeiros prognósticos do FHC ele errou".



Doria e Luciano Huck são 'o novo' na política, embora seja cedo para falar de 2018 diz FHC

Postado por Marco Eusébio , 09 Maio 2017 às 14:15 - em: Principal

Principal referência do PSDB, Fernando Henrique Cardoso diz ser "muito cedo" para falar em candidaturas ao Planalto em 2018, mas considera que "o novo" no cenário político hoje é representado por figuras como o prefeito João Doria (PSDB-SP) e o apresentador de TV Luciano Huck. Com nomes como Aécio Neves e Geraldo Alckmin atingidos pela Lava Jato, Doria tem sido a estrela em ascenção no ninho tucano. Huck, amigo de FHC, já disse que está na hora de "sua geração" chegar ao poder, mas não confirma pretensões eleitorais e até agora não está filiado a nenhuma sigla, embora tenha sido sondado pelo novato Partido Novo. As afirmações do ex- presidente foram feitas à Folha de S.Paulo. Instado a avaliar o governo de Michel Temer (PMDB), que completará um ano na sexta-feira, FHC afirma que o peemedebista agora tem mostrado "mão firme no leme" e "entendeu que o papel dele ou é histórico ou é nenhum".



FHC, Lula e Temer querem 'salvar' PSDB, PT e PMDB no naufrágio em 2018 diz Folha

Postado por Marco Eusébio , 13 Abril 2017 às 19:00 - em: Principal

Emissários do presidente Michel Temer (PMDB) e dos ex-presidentes Lula (PT) e Fernando Henrique Cardoso (PSDB) estariam negociando um "pacto" para garantir a sobrevivência política dos três partidos nas eleições de 2018. O acordo começou a ser costurado em novembro. O grupo avalia que a Lava Jato quer eliminar a classe política e "abrir espaço para um novo projeto de poder, capitaneado por aqueles que comandam a investigação". Os principais emissários nessas conversas seriam o ministro Gilmar Mendes (STF) e o ex-integrante da Corte, Nelson Jobim, que já almoçou com Temer e FHC e marcou encontro com Lula para breve. Temer, Lula e FHC foram citados nas delações da Odebrecht por recebimento de recursos ilegais. Os três acreditam que eleições conturbadas no ano que vem podem favorecer candidatos "aventureiros". O acordo incluiria manter Temer no poder até o fim de 2018 e a participação de Lula nas eleições. As informações são da Folha de S.Paulo.