Campo Grande, Quinta-Feira , 18 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: facebook

Ofensas de empregados à empresas têm rendido demissões por justa causa, país afora

Postado por Marco Eusébio , 15 Janeiro 2018 às 16:15 - em: Principal

O juiz substituto Rafael de Souza Carneiro, da 16ª Vara do Trabalho de Brasília, manteve justa causa na demissão de empregado por publicar no Facebook ofensas à drogaria em que trabalhava. Demitido, o trabalhador aciou a Justiça alegando que não teve "qualquer conduta que o desabonasse dentro do ambiente de trabalho". Como em decisões semelhantes em casos de empregados que usam redes sociais para atacar empresas em todo o País, o juiz, entretanto, considerou que a drogaria foi vítima de exposição difamatória em rede social de grande expressão, com elevado potencial de propagação, atitude suficiente para a quebra definitiva da fidúcia necessária à manutenção do vínculo de emprego. (Com Migalhas jurídicas)




Odilon diz que quem especula contra sua candidatura terá 'seus interesses contrariados com a minha vitória'

Postado por Marco Eusébio , 15 Janeiro 2018 às 11:00 - em: Principal

"Que fique definitivamente claro o seguinte: sou pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul. Qualquer afirmação em contrário não passa de mera especulação daqueles que terão seus interesses contrariados com a minha vitória", avisou hoje em sua página no Facebook o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT), rebatendo rumores de que não confirmará a candidatura.

.




Marquinhos no Mercadão para desejando 'Feliz Natal'; no Facebook, internautas sugerem que madrugue para 'tapar buracos'

Postado por Marco Eusébio , 23 Dezembro 2017 às 16:30 - em: Principal

Chamou a atenção a agenda política do prefeito Marquinhos Trad (PSD) que madrugou neste sábado em Campo Grande para desejar "Feliz Natal" a populares em locais de grande concentração de pessoas como o Mercadão Municipal e o Camelódromo, no centro, e o Goianão, comércio popular de roupas na saída para Cuiabá, tirando fotos com admiradores e distribuindo minipanetones. "Faço isso desde o início de minha carreira política, há 15 anos. Essas pessoas que ajudam a fazer a cidade e, por isso, precisam ser lembradas", justificou Marquinhos ao Campo Grande News. A notícia divulgada pelo site gerou dezenas de comentários no Facebook. Alguns elogiosos, mas a maioria sugerindo ao prefeito para acordar cedo e tapar buracos que infestam a cidade. Leia aqui na página  do Campo Grande News no Facebook o que a galera escreveu.




Chamath: 'Não posso controlar [o Facebook], mas posso controlar minha decisão, que é não usar essa merda'

Postado por Marco Eusébio , 15 Dezembro 2017 às 11:00 - em: Principal

Um ex-alto executivo do Facebook fez um mea culpa por sua contribuição para o desenvolvimento de ferramentas que, em sua opinião, “estão dilacerando o tecido social”. Chamath Palihapitiya, que trabalhou na empresa de Mark Zuckerberg de 2007 a 2011, da qual chegou a ser vice-presidente de crescimento de usuários, acredita que "os ciclos de retroalimentação de curto prazo impulsionados pela dopamina que criamos estão destruindo o funcionamento da sociedade. Sem discursos civis, sem cooperação, com desinformação, com falsidade". Palihapitiya falou sobre o vício em redes sociais em um fórum da Escola de Negócios de Stanford no dia 10 de novembro, mas o site de tecnologia The Verge publicou o assunto nesta semana, informa o site do jornal El País. 
 
Na palestra, Palihapitiya – agora fundador e CEO da Social Capital, com a qual financia empresas de setores como saúde e educação – declarou ser uma espécie de objetor de consciência do uso de redes sociais e anunciou que quer usar o dinheiro que ganhou no Facebook para fazer o bem no mundo. "Não posso controlar [o Facebook], mas posso controlar minha decisão, que é não usar essa merda. Também posso controlar as decisões dos meus filhos, que não podem usar essa merda", disse, esclarecendo que não saiu completamente das redes sociais, mas que tenta usá-las o mínimo possível.
 



Bolsonaro reproduziu no Facebook pesquisa com eleitores de MS sobre intenção de voto para presidente

Postado por Marco Eusébio , 14 Dezembro 2017 às 16:45 - em: Principal

Jair Bolsonaro gostou da pesquisa que o apontou liderando intenção de voto para presidente da República em Mato Grosso do Sul e reproduziu o resultado em sua página oficial no Facebook. O levantamento do Ranking Comunicação & Pesquisas divulgado ontem pelo site Diário da Mídia, do Tony Ueno, mostra o deputado com 25,60% e Lula com 20,70%. Dentre os demais citados na espontânea, Marina Silva lidera com 7,50%. A pesquisa foi feita de 4 a 12 deste mês em 17 municípios de MS. A margem de erro é de 2,50 pontos para mais ou para menos.




Cada funcionário seria responsável por controlar de 20 a 50 perfis falsos nas redes sociais

Postado por Marco Eusébio , 08 Dezembro 2017 às 12:30 - em: Principal

A história já é antiga e seja em Campo Grande e na maioria das cidades brasileiras de perfis "fakes" criados nas redes sociais por gente paga, muitas vezes com dinheiro público, para elogiar ou atacar políticos. Agora, entretanto, a BBC Brasil em Londres levantou o lado "profissional" dessa malandragem e apurou que perfis falsos criados no Facebook e no Twitter foram usados por pessoas contratadas por uma empresa com base no Rio de Janeiro para manipular opinião pública nas eleições de 2014 no Brasil. A estratégia seria semelhante à usada por russos nas eleições dos EUA. 
 
A reportagem reuniu vasto material com o histórico da atividade online de mais de 100 supostos fakes e identificou 13 políticos que teriam se beneficiado da atividade, dentre eles os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Renan Calheiros (PMDB-AL) e o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Não há evidências de que os políticos soubessem que o uso de perfis falsos fazia parte de um serviço de consultoria em redes sociais.
 
Parte desses perfis já vinha sendo pesquisada pelo Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura (Labic) da Universidade Federal do Espírito Santo, coordenado pelo pesquisador Fábio Malini. "Os ciborgues ou personas geram cortinas de fumaça, orientando discussões para determinados temas, atacando adversários políticos e criando rumores, com clima de 'já ganhou' ou 'já perdeu'", explica Malini.  Os fakes, afirma, exploram o chamado "comportamento de manada" em que as pessoas tendem a seguir um líder.
 



Em circular, secretário de Administração recomenda aos servidores cautela em postagens nas redes sociais

Postado por Marco Eusébio , 01 Dezembro 2017 às 17:45 - em: Principal


Lula em vídeo transmitido ao vivo no Facebook: o Zeca e o André sabem quem mais investiu em MS

Postado por Marco Eusébio , 29 Novembro 2017 às 17:30 - em: Principal

"Meu governo e do PT fez os maiores investimentos da história em Mato Grosso do Sul" afirmou Lula, hoje, em entrevista ao vivo à rádio Capital FM 95, de Campo Grande, que a assessoria do ex-presidente reproduziu em vídeo nas redes sociais. "Mato Grosso do Sul recebeu a maior quantidade de dinheiro da história deste Estado. O companheiro Zeca, que foi governador de 1999 a 2006 e hoje deputado federal pelo PT, sabe disso. O ex-governador André Puccinelli, então governador de 2007 a 2014 pelo PMDB, também é prova disso", disse Lula ao radialista Joel Silva, se referindo ao período que comandou o Brasil, de 2003 a 2010. Veja a íntegra em vídeo.




Irritada por não ser sido convidada para o casório, tia chamou 'sobrinho' de vagabundo no Facebook

Postado por Marco Eusébio , 20 Novembro 2017 às 14:15 - em: Principal

Uma tia terá de pagar mil reais de indenização ao sobrinho por ter proferido ofensas como "vagabundo" contra ele no Facebook, após não ter sido convidada para seu casamento. A decisão é do juiz Giordane Dourado, do 3º Juizado Especial Cível (JEC) do Acre. O rapaz anexou na ação prints de tela comprovando a repercussão das postagens entre seus colegas de trabalho, que ficaram questionando o motivo de não ter convidado a tia. A mulher alegou que não sabia que a postagem era pública. Disse que se sentiu ofendida quando o sobrinho afirmou que convidou só a família, e não os parentes. O juiz disse que o efeito potencializador da manifestação do pensamento na internet exige maior grau de responsabilidade, pois atinge número indeterminado de usuários. Para ele, a mulher usou a rede social sem o necessário discernimento, afetando injustificadamente e de modo negligente a honra do seu sobrinho. (Com TJ-AC)




Carlos Marques questionou prisões na Operação da PF e Newley Amarilla, advogado do delator, respondeu

Postado por Marco Eusébio , 14 Novembro 2017 às 20:30 - em: Principal

A prisão do ex-governador André Puccinelli (PMDB) pela Polícia Federal na Operação Papiros de Lama hoje em Campo Grande rendeu um debate de dois renomados advogados de Mato Grosso do Sul no Facebook: o ex-presidente da OAB-MS, Carlos Marques, e Newley Amarilla, advogado que representa o pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda, apontado como operador do esquema de propinas cuja delação serviu como base para a quinta fase da Operação Lama Asfáltica. "Há algo podre no reino do Pantanal", escreveu Carlos Marques no artigo, em que também questionou: "Na delação feita pelo Ivanildo nas terras pantaneiras, ele só envolve o Ex-governador André. Ele esqueceu de falar do Ex-governador Zeca e do atual Governador, ou a omissão foi proposital?". Marques acrescentou: "Causa maior estranheza ainda o fato de que existe um concorrente ao Governo do Estado oriundo dos quadros da magistratura, que naturalmente deve ter interesse em ver o ex-governador André fora da disputa". Clique abaixo e leia a íntegra no Facebook.

Newley Amarilla, ao comentar o artigo, dirigindo-se ao colega advogado, escreveu: "Carlos, respeitando suas opiniões, são os seguintes os equívocos acerca de sua reflexão, quanto aos fatos, obviamente: 1) na delação da JBS o nome de Ivanildo só aparece ligado a André Puccinelli; nunca ao de Zeca ou Reinaldo. Basta ouvir atentamente as delações de Joesley, Wesley e outros da JBS; tanto que as planilhas fornecidas na tal delação e vinculadas a Ivanildo compreendem o período de 2007 (ano em que André assumiu) a 2013 (penúltimo ano do segundo mandato de André Puccinelli). Logo, não poderiam envolver Zeca e Reinaldo. Então, não houve omissão, mas gritante equívoco de quem assim entendeu." Clique abaixo e leia a íntegra no Facebook.