Campo Grande, Sexta-Feira , 19 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: deltan-dallagnol

Temer ignorou sugestão do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária para não permitir perdão a crimes de corrupção

Postado por Marco Eusébio , 22 Dezembro 2017 às 20:15 - em: Principal

Decreto de indulto natalino publicado hoje por Michel Temer facilita a concessão de perdão total da pena a condenados por crimes cometidos sem violência ou ameaça, como casos de corrupção e lavagem de dinheiro. Antes, só eram beneficiados sentenciados a no máximo 12 anos que tivessem cumprido um quarto da pena, se não fossem reincidentes. O decreto de Temer reduz o tempo de cumprimento da pena para um quinto, independentemente do total da condenação. O Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, que assessora o governo na elaboração do documento, sugeriu incluir expressamente a corrupção no rol de crimes não passíveis de indulto. A sugestão não foi atendida, informa O Globo. Nas redes sociais, o procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, disse que Temer preparou o indulto pensando nele próprio e para outros réus da operação:




Lula havia processado Deltan Dallagnol por tê-lo apontado em entrevista como personagem central da corrupção na Petrobras

Postado por Marco Eusébio , 20 Dezembro 2017 às 16:20 - em: Principal

Lula perdeu o processo em que pedia R$ 1 milhão de Deltan Dallagnol por supostos danos morais, por causa da entrevista à imprensa do procurador da Lava Jato que o acusou com demonstração gráfica feita por PowerPoint de ser o personagem central de um amplo esquema de corrupção na Petrobras. Além de negar o pedido de Lula, o juiz Carlo Mazza Britto Melfi, da 4ª Vara Cível de São Bernardo do Campo (SP) condenou o petista a pagar as despesas do processo contra Dallagnol e a desembolsar R$ 100 mil em honorários para os advogados do procurador, 10% do valor da causa. 




Procuradores da Lava Jato de SP, RJ e PR reunidos hoje no Rio para traçar estratégias conjuntas para 2018

Postado por Marco Eusébio , 27 Novembro 2017 às 16:20 - em: Principal

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, procurador Deltan Dallagnol, afirmou hoje no Rio de Janeiro que 2018 será o ano da "batalha final da Lava Jato" e pediu apoio da sociedade para que fique alerta e eleja só políticos comprometidos no combate à corrupção. As declarações foram feitas em encontro de procuradores da Lava Jato em Curitiba, no Rio e em São Paulo para discutir estratégias conjuntas para o ano que vem. "Quando falamos que 2018 é o ano-chave da Lava Jato é por dois motivos: avançar as investigações sem retrocesso porque, se houver pessoas acuadas pelo combate à corrupção, a tendência é agirem como agiram na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio, onde deputados buscaram livrar colegas presos) para se proteger. Uma renovação no Congresso pode nos levar àquilo que a sociedade realmente espera, que é a redução dos níveis de corrupção. Dependemos de reformas sistêmicas que só podem ser feitas pelo Congresso", afirmou.




Dividindo a liderança de pesquisa para o Senado com Requião, Dallagnol desperta o interesse de partidos no Paraná

Postado por Marco Eusébio , 25 Setembro 2017 às 09:00 - em: Principal

O coordenador da Lava Jato em Curitiba, procurador da República Deltan Dallagnol, está sendo sondado para ser candidato ao Senado em 2018 por partidos como o Podemos, do senador Álvaro Dias, e a Rede, de Marina Silva. Ironicamente, o PT paranaense diz torcer para que ele aceite ser candidato. O interesse aumentou depois que o instituto Paraná Pesquisas indagou a eleitores do estado vizinho em quem votariam para o Senado em 2018.
 
Dallagnol foi citado por 29,6%, ficando tecnicamente empatado com o líder Roberto Requião (PMDB), com 31,4%, e à frente do tucano Beto Richa (22,2%). Deixou bem distantes outros nomes tradicionais, como o ex-prefeito de Curitiba pelo PDT Gustavo Fruet e a senadora petista Gleisi Hoffmann. Como Requião deve disputar o governo, o procurador teria chances no Senado. 
 
Outro procurador da Lava Jato na mira de partidos, este para ser deputado federal, é Carlos Fernando dos Santos Lima. Pelo menos por enquanto, os dois negam interesse em entrar na política. 
 
Consultado, o presidente do PT do Paraná, Doutor Rosinha, disse que torce para que eles sejam candidatos. "Eu torço por isso. Seria uma forma de deixar desmascarar o quanto o trabalho desses procuradores é político", afirmou o ex-deputado federal ao jornal O Estado de S.Paulo.



Procurador Deltan Dallagnol durante palestra ontem promovida pela Federação das Indústrias do Estado do Ceará

Postado por Marco Eusébio , 21 Julho 2017 às 10:15 - em: Principal

O coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, afirmou que as penas aplicadas por Sérgio Moro são "brandas" e que vai recorrer da condenação de nove anos e meio de prisão aplicada pelo juiz ao ex-presidente Lula. "O que nós vimos em vários casos é que o tribunal tem sistematicamente ampliado as penas aplicadas pelo juiz Sérgio Moro. As penas do juiz Sérgio Moro têm sido brandas para a gravidade dos fatos que estão sobre consideração" declarou Dallagnol em Fortaleza (CE), onde fez palestra ontem na sede da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). Na maioria dos casos, os desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), no Rio Grande do Sul, aumentaram ou mantiveram as penas aplicadas por Moro. De setembro de 2015 a junho de 2017, o TRF-4 avaliou 48 condenações da Lava Jato: aumentou as penas em 16 casos, manteve em 10, reduziu em nove e cinco viraram absolvição.




O livro de Daltran

Postado por Marco Eusébio , 20 Abril 2017 às 12:00 - em: Principal

Por Ernesto Neves no blog Radar da Veja:
 
"O procurador Deltan Dallagnol vai lançar seu livro, “A luta contra a corrupção”, na próxima quarta (26) na Livrarias Curitiba do Park Shopping Barigui, em Curitiba. Deltan promete abordar polêmicas da Lava-Jato e a verdadeira guerra de comunicação em torno do caso. Também aborda os bastidores dos ataques contra a operação, como a votação que desfigurou o pacote das Dez Medidas na Câmara dos Deputados. O livro é publicado pelo selo Primeira Pessoa, da editora Sextante."