Campo Grande, Quarta-Feira , 22 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: delcidio-do-amaral

O colega Cadu Bortolot, que deixou a equipe do senador Pedro Chaves nesta semana

Postado por Marco Eusébio , 09 Novembro 2017 às 16:30 - em: Principal

O jornalista e radialista Cadu Bortollot, que foi assessor de Delcídio e havia sido contratado pelo seu sucessor no início deste ano, não está mais na comunicação de Pedro Chaves (PSC-MS). Cadu deixou o escritório do senador em Campo Grande na segunda-feira.




Defesa pede absolvição de Lula alegando ser 'fantasiosa' delação de Delcídio sobre compra do silêncio de Cerveró

Postado por Marco Eusébio , 07 Novembro 2017 às 14:15 - em: Principal

A defesa de Lula protocolou hoje na 10ª Vara Federal de Brasília, pedido para que seja a anulada a delação do ex-senador Delcídio do Amaral e a absolvição do ex-presidente na ação penal que trata da suposta compra do silêncio de Nestor Cerveró visando obstrução da Lava Jato. Os advogados Cristiano Zanin e José Roberto Batochio afirmam que os depoimentos "demonstraram, de forma clara e absoluta, ser fantasiosa" a versão apresentada por Delcídio no acordo de colaboração premiada e pedem a absolvição de Lula com base na "inexistência de prova do fato imputado". (Com Estadão)




Defesa diz que delação de Delcídio foi fundamental para condenações de Lula e Bumlai na Lava Jato

Postado por Marco Eusébio , 31 Outubro 2017 às 17:45 - em: Principal

A defesa de Delcídio do Amaral enviou à Justiça na semana passada relatório de 226 paginas em defesa de sua delação premiada, que está sendo contestata pelo Ministério Público Federal. Os advogados afirmam que as informações do ex-senador contribuíram para a Lava Jato, e até para as condenações de Lula e de José Carlos Bumlai. "Delcídio aproveita para espinafrar o ex-procurador da República Marcello Miller, a quem acusa de armar uma farsa para incriminá-lo. Foi Miller, de acordo com o ex-senador, quem orientou Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, a gravar uma conversa em que Delcídio discutia meios de Cerveró esconder do Ministério Público informações preciosas para a Lava Jato", diz o blog Expresso da Época.




Delcídio que não conseguiu o mesmo privilégio concedido por senadores a Aécio pretende recorrer em busca do mandato

Postado por Marco Eusébio , 18 Outubro 2017 às 16:30 - em: Principal

"Delcídio do Amaral se animou com a decisão que beneficiou Aécio Neves e já prepara recurso ao Supremo para recuperar seu mandato de senador", diz o site O Antagonista, que acrescentou: "Está certíssimo". À coluna Painel, da Folha, Delcídio afirma que "o desfecho do caso Aécio vai salvar a todos os partidos" e mostra a reação da política. "Vai sobrar para o PT. Mais especificamente para o Lula."




Aécio à imprensa em 2015 sobre Delcídio: 'A nossa interpretação é que a decisão deve se dar por votação aberta'

Postado por Marco Eusébio , 16 Outubro 2017 às 13:30 - em: Principal

As voltas que o mundo dá. Embora hoje senadores aliados de Aécio Neves (PSDB-MG) tentem fazer com que seja secreta a votação que vai definir o futuro do mandato do tucano mineiro no Senado, nem sempre pensaram assim. O próprio Aécio, juntamente com os senadores Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), José Agripino (DEM-RN) e Ronaldo Caiado (DEM-GO), assinou requerimento ao Supremo em 2015, após a prisão de Delcídio do Amaral (ex-PT-MS), para que fosse aberta a votação no Senado para decidir o destino do então senador sul-mato-grossense, lembra o blog Maquiavel da revista Veja. Em coletiva de imprensa à época, Aécio pedia pressa na votação sobre Delcídio e voto aberto. "Na nossa interpretação, a manifestação, por maioria do Senado Federal, deve se dar por votação aberta", afirmava o tucano. Veja o vídeo.




Delcídio do Amaral e Aécio Neves... olhos nos olhos nos tempos de Senado

Postado por Marco Eusébio , 28 Setembro 2017 às 13:40 - em: Principal

 
"Então
 
'O senador Aécio Neves entende a decisão proferida por três dos cinco ministros da 1ª Turma do STF como uma condenação sem que processo judicial tenha sido aberto. Portanto, sem que sequer ele tenha sido declarado réu e, o mais grave, sem que tenha tido acesso ao direito elementar de fazer sua defesa...' (nota do Aécio)
 
O senador Aécio Neves, na prisão do ex-senador Delcídio, NÃO entendeu a decisão proferida por apenas um ministro do STF como uma condenação sem que o processo judicial tenha sido aberto. Portanto, sem que sequer ele (Delcídio) tenha sido declarado réu e, o mais grave, sem que Delcídio tenha tido aesso ao direito elementar de fazer sua defesa.
 
O senador Aécio Neves foi um dos maiores articulares para que o plenário do Senado Federal tenha mantido Delcídio preso, sem sequer ter sido ouvido por ninguém.
 
O senador Aécio Neves parece só ter aprendido hoje que o 'mundo dá voltas', né senador?"



Rodrigo Janot em entrevista ao Correio Braziliense: 'Não criminalizei a política. Criminalizei os bandidos'

Postado por Marco Eusébio , 20 Setembro 2017 às 17:00 - em: Principal

A delação do ex-senador Delcídio do Amaral foi um "divisor de águas" para a Lava Jato: "Ele gravou, os fatos eram gravíssimos, e era um senador, líder do governo", afirmou Rodrigo Janot em sua primeira entrevista depois de deixar o cargo de procurador-geral da República, concedida ao jornal Correio Braziliense, no quarto andar da sede da PGR em Brasília, onde funcionários trabalham para adaptar um amplo gabinete ao novo ocupante. "Um arco e flecha pendurado à parede divide o espaço com uma escultura de tuiuiu e com uma coleção de canetas — uma delas, em destaque, foi usada para assinar a delação premiada de executivos da Odebrecht" diz o jornal.
 
Rodrigo Janot parece alheio ao bombardeio que vem recebendo há meses. Até a transmissão de cargo à sucessora, Raquel Dodge, foi controversa: Janot não compareceu à cerimônia de posse. Na entrevista, o procurador federal explica a ausência: "Quem vai em festa sem convite é penetra".
 
Além da prisão de Delcídio, o ex-chefe do MP relata os bastidores de momentos importantes que marcaram a Lava-Jato: a morte do ministro Teori Zavascki, a “escolha de Sofia” na imunidade concedida ao empresário Joesley Batista em troca de provas contra Temer e as suspeitas envolvendo integrantes do próprio Ministério Público.
 
Janot deixou o cargo, mas não se afastou da turbulência. Pelo contrário. Ele sabe que, agora, começam de verdade os ataques, principalmente na CPI da JBS, comandada por aliados de Temer. "Vão tentar usar todo mundo e tudo contra mim… Tudo é possível, vão tentar desconstituir a figura do investigador", diz. "Não criminalizei a política. Criminalizei os bandidos", acrescenta.
 



Apontado como elo do dinheiro das empreiteiras a Lula, Antonio Palocci confirma o que disse Delcídio em sua delação

Postado por Marco Eusébio , 17 Setembro 2017 às 13:30 - em: Principal

Do blog O Antagonista: "Vera Magalhães lembra no Estadão que as revelações do ex-senador Delcídio do Amaral, em delação premiada, sobre a cadeia de comando no PT e na relação do partido com as empresas, embora não tenham recibo, se mostraram precisas na descrição da engrenagem.
 
'Ele disse: Antonio Palocci era o elo que levava o dinheiro das empreiteiras a Lula.'
 
O elo, agora, está ligando todos os pontos."
 
Leia aqui (para assinantes) o artigo "Quando a máfia briga" da Vera Magalhães no Estadão.



Renan, Juca e Sarney estão entre os sete denunciados por Janot que arrolou Delcídio entre as testemunhas

Postado por Marco Eusébio , 09 Setembro 2017 às 11:00 - em: Principal

O ex-senador Delcídio do Amaral (MS), o empresário Marcelo Odebrecht e o doleiro Lúcio Funaro está entre um grupo de delatores indicado por Rodrigo Janot como testemunhas na denúncia feita ontem ao Supremo contra cinco integrantes da cúpula do PMDB no Senado –  Renan Calheiros (AL), Edison Lobão (MA), Jader Barbalho (PA), Romero Jucá (RR) e Valdir Raupp (RO) – o ex-senador e ex-presidente José Sarney (PMDB) e o ex-senador pelo PSDB e ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. Acusados de organização criminosa pela PGR, os sete teriam recebido R$ 864,5 milhões em propina de fornecedores da Petrobras e da subsidiária Transpetro. Além de prisão, o procurador-geral pede ao STF que todos paguem R$ 200 milhões, metade como devolução de desvios e outra metade como indenização por danos morais, e que os senadores percam os mandatos. Os denunciados negam irregularidades. (Com Época e G1)




Delcídio disse que está com dengue hemorrágica, que tem problema de bronquite e deu receita para enfrentar a seca

Postado por Marco Eusébio , 24 Agosto 2017 às 18:30 - em: Principal

Delcídio do Amaral tomou um "puxão de orelhas" do juiz Ricardo Soares Leite hoje, na 10ª Vara Federal de Brasília, por atraso e falta de correção monetária no pagamento de R$ 1,5 milhão acertados no acordo de delação feito em janeiro com Rodrigo Janot e chancelado em março pelo Supremo. O jornal O Globo acompanhou a audiência, feita de dois em dois meses para acompanhar o acordo, e divulgou que o clima foi "amistoso, bem humorado" e sem sanção, por ora, ao delator. 
 
"O cronograma está bem atrasado", disse o juiz. "O acordo diz que o primeiro pagamento pode ser feito num prazo de seis meses. Vai haver pagamento até 30 de setembro. E a atualização do cálculo diz respeito a uma diferença de R$ 9 mil, isso vai ser ajustado", respondeu o sul-mato-grossense.
 
DENGUE, SECA, TEMER E JBS
 
O senador cassado contou que está com dengue hemorrágica há 20 dias. É a segunda vez. Quando era senador, ficou internado em Campo Grande em 2010 por causa da doença (leia aqui). Ao ouvir do juiz que está mais magro, respondeu: "Dei uma desaguachada. O pantaneiro diz que, quando emagrece, dá uma desaguachada". Afirmou que passa os dias entre a fazenda em MS e na Capital do estado.
 
Ao falar sobre o tempo seco de Brasília onde não chove há três meses, Delcídio deu uma receita ao juiz: "Conheço bem isso, tenho problema de bronquite. Já tive uma porção de coisa na vida. Minha mãe diz que eu sou a 'Santa Casa'. O problema do Aerolin (uma medicação em spray) é o uso contínuo. O corticóide faz inchar. Tem outro muito mais ameno. Meu advogado vai passar o nome para a secretária do senhor".
 
Depois, indagado pelo jornal O Globo, Delcídio comentou o noticiário político e criticou o decreto do presidente Michel Temer que extingue uma reserva de 47 mil km² na Amazônia, entre o Pará e o Amapá, para permitir exploração de minério na região. "Agora não tem mais nada, não tem mais índio, não tem mais reserva, não tem mais nada. Na hora que a mineradora entrar ali não sobra nem... Eu conheço essa reserva do Amapá", afirmou. Sobre a delação da JBS, opinou: "Esse processo da Friboi ainda var dar muito problema."