Campo Grande, Segunda-Feira , 21 de Agosto - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: corrupcao

Juiz entende que devido ao foro privilegiado do governador, denúncias de donos de frigoríficos são da alçada do STJ

Postado por Marco Eusébio , 11 Agosto 2017 às 09:00 - em: Principal

O juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, da 1ª Vara do Tribunal de Juri de Campo Grande, enviou para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) o processo envolvendo denúncias donos do frigorífico Braz Peli sobre suposto esquema de cobrança de propina no Governo de Mato Grosso do Sul. Para magistrado, as denúncias envolvem o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que tem foro privilegiado, e por isso o caso deve ir para o STJ. A assessoria de imprensa do governo informou que Azambuja está tranquilo em relação à possível investigação no STJ porque não cometeu nenhuma irregularidade. (Com TV Morena)




Senador José Medeiros (PSD-MT) é autor do projeto que prevê júri popular para julgar crimes de corrupção

Postado por Marco Eusébio , 07 Julho 2017 às 11:00 - em: Principal

Crimes de corrupção ativa e passiva, quando envolverem valores de 500 salários mínimos acima – R$ 468.500,00 hoje – poderão ser julgados por júri popular. É o que estabelece o Projeto de Lei nº 217/2017 do senador José Medeiros (PSD-MT). Atualmente, só crimes dolosos contra a vida, como assassinato, são julgados pelo Tribunal do Júri. Sua sistemática prevê o sorteio de 25 cidadãos convocados para assistir ao julgamento, dentre os quais são sorteados sete para compor o conselho de sentença, que irá declarar se o acusado pelo crime é culpado ou inocente.
 
Medeiros alega que o Tribunal do Júri tem alto custo operacional, e é necessário filtrar os casos em que poderá ser acionado, limitando-os aos que envolverem desvios de recursos superiores a quinhentos salários mínimos. "Entendemos que o julgamento dos crimes de corrupção, especialmente os que envolvam valores de significativa expressão econômica, deva ser realizado pelo júri popular, já que este é uma representação direta do povo que, como já assinalado, é quem sofre as consequências dos atos praticados por servidores e políticos corruptos", diz o senador na justificativa do projeto.



'Pixuleco', como o ex-tesoureiro do PT Vaccari Neto se referia à propina conforme o delator Ricardo Pessoa, da UTC

Postado por Marco Eusébio , 30 Junho 2017 às 16:45 - em: Principal

Do blog do Lauro Jardim em O Globo:
 
"Apesar da guinada da Lava-Jato em direção a partidos como PMDB e PSDB, o PT ainda é, de longe, o partido mais associado à corrupção, segundo levantamento da Ipsos neste mês. De acordo com o instituto, 64% dos entrevistados afirmaram que o PT é o partido mais associado à corrupção na Lava-Jato; 12% citaram o PMDB e 3% o PSDB."



Outdoor no saguão do Aeroporto Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek em Brasília

Postado por Marco Eusébio , 05 Junho 2017 às 11:30 - em: Principal

"Escolher dinheiro em vez de poder. Um erro que quase todos cometem". A frase de Frank Underwood (Kevin Spacey), protagonista de House Of Cards, que aborda a política de Whashington numa trama recheada de ganância, corrupção e luxúria, foi estampada neste fim de semana em outdoor no saguão do Aeroporto JK em Brasília pela Netflix para promover a quinta temporada de sua série, informa o jornal Correio Braziliense. Não é a primeira vez que a crise política brasileira é usada para promover a produção. No mês passado, após o jornal O Globo divulgar que Michel Temer havia sido gravado por Joesley Batista da JBS, o Twitter oficial da Netflix Brasil publicou: "tá difícil" competir.




Olarte entra para a história do TJMS como primeiro ex-prefeito da Capital condenado por corrupção

Postado por Marco Eusébio , 24 Maio 2017 às 12:00 - em: Principal

Gilmar Olarte, vice-prefeito que comandou a Prefeitura de Campo Grande com o afastamento do titular Alcides Bernal (PP) pela Câmara dos Vereadores, foi condenado  a oito anos e quatro meses de prisão, inicialmente em regime fechado, por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro; mais pagamento de multa. A decisão, unânime, foi tomada hoje de manhã pela recém criada Seção Especial Criminal do Tribunal de Justiça que entra para a história do TJMS com a primeira condenação de um ex-prefeito da Capital de MS por corrupção.
 
Pastor, Olarte foi acusado pelo Ministério Público na Operação Adna de usar cheques em branco de fieis da igreja Assembleia de Deus Nova Aliança (Adna) fundada por ele e que deu nome à operação, para trocar com agiotas e usar na suposta compra de votos de vereadores para cassar o prefeito Bernal e assumir o cargo. A ordem de prisão deve ser expedida assim que o decisão for publicada em Diário Oficial.
 
"A realidade é que as condutas criminosas efetivamente aconteceram e foram provadas", disse, em seu voto, seguido pelos colegas, o desembargador relator Luiz Claudio Bonassini da Silva. Também foram condenados no caso dois ex-auxiliares de Olarte no esquema: Ronan Feitosa, a quatro anos e seis meses (que está preso há sete meses) e deverá cumprir a pena em regime semiaberto; e Luís Márcio dos Santos Feliciano, a um ano de reclusão e multa.



Discurso de Lula transmitido nas redes sociais rendeu apoio e críticas de internautas

Postado por Marco Eusébio , 20 Maio 2017 às 15:00 - em: Principal

"O PT pode ensinar inclusive como combater a corrupção. Ninguém criou mais mecanismos de combate à corrupção do que o PT", afirmou Lula em discurso neste sábado durante evento de posse do diretório municipal do PT de São Bernardo do Campo (SP) transmitido pelas redes sociais do petista no Twitter e no Facebook.

"Quando eu era candidato, todo mundo dizia que o Brasil estava quebrado e não tinha jeito. Ora, não tinha jeito na cabeça deles. Nós governamos de outro jeito. Nós acreditamos no trabalhador, que teve acesso a trabalho e fez a economia girar. E logo os trabalhadores queriam mais: viajar, conhecer o Brasil, conhecer o mundo. É isso despertou raiva contra nós. A raiva deles não tem nada a ver com corrupção. Eles praticaram corrupção durante 500 anos neste país. O PT pode ensinar inclusive como combater a corrupção. Ninguém criou mais mecanismos de combate à corrupção do que o PT", afirmou o ex-presidente.

Em alusão à crise que atinge Michel Temer, Lula disse: "Deram o golpe dizendo que o PT era o problema do Brasil. O tempo se encarregou de provar que isso era uma mentira". Em seguida, defendeu a saída de Temer e eleições diretas: "O que queremos é eleição direta. Queremos que o Temer saia logo. Podemos até perder, mas num processo democrático".

Lula terminou falando em ser candidato e atacando a Rede Globo: "Minha candidatura vai depender de muita coisa. Mas Deus queira que a Globo defina logo o candidato dela" afirmou, emendando: Muito do clima de ódio que o Brasil vive hoje tem a ver com o que a Globo está fazendo". Veja o vídeo do evento divulgado pelo perfil oficial de Lula no Facebook:

 

.




Se tentou enrolar Moro, Lula saiu enrolado

Postado por Marco Eusébio , 18 Abril 2017 às 13:15 - em: Principal

Sérgio Moro autorizou que a defesa de Luiz ouça 87 testemunhas em ação penal sobre suposta propina de R$ 75 milhões paga pela Odebrecht em oito contratos da Petrobras, na ação em que o ex-presidente é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Afinal, se recusasse, seria acusado de cercear o direito de defesa. Mas, se os advogados do petista (que reclamou ao ser intimado uma vez a depor) acharam que estavam inventando a roda para "atropelar" o juiz com tantos depoimentos, parece que o tiro saiu pela culatra. 
 
"Já que este julgador terá de ouvir oitenta e sete testemunhas da defesa de Luiz Inácio Lula da Silva, além de dezenas de outras, embora em menor número arroladas pelos demais acusados, fica consignado que será exigida a presença do acusado Luiz Inácio Lula da Silva nas audiências nas quais serão ouvidas as testemunhas arroladas por sua própria defesa, a fim prevenir a insistência na oitiva de testemunhas irrelevantes, impertinentes ou que poderiam ser substituídas, sem prejuízo, por provas emprestadas", determinou, ontem, o juiz. Os advogados, classificaram a decisão de Moro como arbitrariedade contra seu cliente.