Campo Grande, Domingo , 21 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: comercio

Resultado deixou Mato Grosso do Sul com quarto pior resultado, só atrás dos vizinhos Mato Grosso, Goiás e São Paulo

Postado por Marco Eusébio , 27 Dezembro 2017 às 14:00 - em: Principal

Mato Grosso do Sul fechou 2,4 mil vagas de emprego em novembro e teve o pior desempenho no mês em doze anos, conforme levantamento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado hoje pelo Ministério do Trabalho. No estado, só o comércio abriu postos de trabalho formal no mês passado, devido à chegada das vendas de fim de ano: 307. A administração pública ficou com saldo zerado. As demissões superaram as contratações na indústria de transformação (-869), serviços (-747), agropecuária (-744), construção civil (-361), serviços industriais de utilidade pública (-28) e extrativa mineral (-2). O resultado deixou MS como o estado com quarto pior desempenho no país, só atrás dos vizinhos Mato Grosso (-5.804), Goiás (-6.163) e São Paulo (-17.611). 
 
No Brasil, o saldo de empregos formais teve resultado negativo em novembro, com redução de 12.292 vagas (0,03%) em relação ao estoque do mês anterior. Só 13 das 27 unidades federativas tiveram variação positiva. O Rio Grande do Sul liderou com um saldo positivo de 8.753 empregos formais. "Esse saldo negativo não significa uma interrupção do processo de retomada do crescimento econômico do país", diz o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, frisando que de janeiro a novembro foram criados 299.635 novos postos de trabalho no país, o que comprova que a economia segue em processo de retomada. "A economia está crescendo de forma gradual. A melhor forma de distribuição de renda é o emprego. Estamos otimistas. O Brasil vai dar certo", acrescenta o ministro.



Em coletiva com participação de deputados e da Fecomércio, Azambuja anunciou calendário de pagamentos dos servidores

Postado por Marco Eusébio , 04 Dezembro 2017 às 14:30 - em: Principal

Reinaldo Azambuja anunciou nesta segunda-feira que o salário dos servidores de Mato Grosso do Sul referente a novembro foi creditado hoje e estará disponível nesta terça para saques, informou que o décimo-terceiro será liberado no dia 14 para reforçar as vendas de Natal do comércio, e que a folha de dezembro estará disponível no dia 4 de janeiro. No total, explicou, serão colocados em circulação R$ 1,5 bilhão que devem aquecer a economia regional no período. "Isso mostra o quanto foi importante as atitudes que tomamos, algumas impopulares até, para sermos hoje um dos poucos estados brasileiros que consegue cumprir com o calendário e com a obrigação do pagamento dos seus servidores, e manter investimentos", disse o governador, citando, como exemplo, a lei que fixou o teto de gastos. "Hoje somos um Estado responsável, todos os poderes só vão gastar aquilo que arrecada, e isso dá uma estabilidade ao poder público", acrescentou, em coletiva de imprensa que contou com participação do presidente da Fecomércio, Edson Araújo, e deputados.



Dirigentes da Fetracom dizem que propostas enviadas aos patrões em setembro continuam sem resposta

Postado por Marco Eusébio , 20 Novembro 2017 às 13:00 - em: Principal

O comércio de Mato Grosso do Sul pode ser impedido de abrir até mais tarde para vendas de Natal e Ano Novo, se não fechar as convenções coletivas de trabalho (CCT) 2017/18 que prevêem reposição e reajuste salarial, amparadas por lei federal, e que deveriam estar em vigor desde o dia 1º de novembro, dizem, em nota, a Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Fetracom-MS) e sindicatos filiados. reposição e reajuste salarial. "Nós encaminhamos proposta de acordo salarial em setembro aos empregadores e não obtivemos respostas", afirma Pedro Lima, presidente da Fetracom-MS e do Sindicato dos Empregados no Comércio de Dourados (Secod). "Sem convenção coletiva, não negociaremos nenhum horário especial para o Natal", reforça Idelmar da Mota Lima, presidente do sindicato de Campo Grande.




Varejistas brasileiros avaliam que promoção na última sexta de novembro está conflitando com vendas de Natal

Postado por Marco Eusébio , 18 Novembro 2017 às 09:00 - em: Principal

"No Brasil, a Black Friday, invenção gringa de promoções na última sexta de novembro, deve mudar de data. É que os maiores varejistas e shoppings do país acreditam que a ação está conflitando com as vendas de... Natal. Eles estudam passar, em 2018, o Black Friday para setembro, talvez no feriado do dia 7", diz o Ancelmo Gois em blog no O Globo.




Fiscalização no comércio em Dourados e Campo Grande começa na sexta-feira e vai até o fim do ano

Postado por Marco Eusébio , 25 Outubro 2017 às 11:00 - em: Principal

Pelo menos 100 empresas em Campo Grande e Dourados serão alvo de dez operações contra o trabalho informal no comércio da próxima sexta-feira até o fim do ano. Fiscais do Ministério do Trabalho vão verificar registros de empregados, condições de segurança e saúde do trabalhador e se a empresa oferece condições dignas para o exercício das funções exercidas pelos funcionários. Kleber Pereira de Araújo Silva, chefe da Seção de Inspeção de Trabalho, diz que a informalidade no setor aumenta no fim de ano devido ao acréscimo nas vendas. A fiscalização vai verificar se o empregador cumpre normas reguladoras como a NR7, que obriga implementação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional; a NR17, sobre a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, para proporcionar conforto, segurança e desempenho eficiente; e a NR24, que trata das condições sanitárias no ambiente de trabalho.




No caso de jogos e consoles de videogames, impostos chegam a 72,18% do valor do produto lamenta a ACICG

Postado por Marco Eusébio , 09 Outubro 2017 às 16:20 - em: Principal


Produtos de vestuário devem ser os mais procurados, conforme pesquisa da Fecomércio e do Sebrae-MS

Postado por Marco Eusébio , 08 Agosto 2017 às 16:00 - em: Principal

Metade dos consumidores de Mato Grosso do Sul pretende comprar presentes para o Dia dos Pais e cogita gastar até R$ 124 em média, 5% a mais do que no ano passado, o que deve injetar R$ 79 milhões na economia regional, diz o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS e do Sebrae. O estudo prevê aumento nas vendas em cidades como Naviraí (123%), Aquidauana (40%) e Campo Grande (16%). Os produtos mais procurados devem ser artigos de vestuário (40%), calçados (14%) e perfumes (13%).