Campo Grande, Domingo , 19 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: ciencia

Especialistas discutem o que pode estar causando o episódio 'inédito e impactante', diz a pesquisadora Neiva Guedes

Postado por Marco Eusébio , 26 Julho 2017 às 18:00 - em: Principal


A programação do festival começa hoje e vai até quarta-feira em Dourados

Postado por Marco Eusébio , 15 Maio 2017 às 14:20 - em: Principal

Pesquisadores de universidades de Mato Grosso do Sul vão "invadir" bares de Dourados a partir de hoje, por meio do Pint of Science, festival internacional para divulgação da ciência ao público em geral. Serão três noites nos bares 14 Bis e Vento Pantaneiro. Em vez de música, o público vai ouvir e debater temas como biologia, computação, engenharia, filosofia, física, história, matemática, química, sociologia etc.

Até quarta-feira esses eventos vão ocorrer em 22 cidades do Brasil e outras na Alemanha, Austrália, Canadá, Espanha, França, Irlanda, Itália, Japão, Reino Unido e Tailândia. Dourados é uma das 22 cidades brasileiras selecionadas. Lá, a programação será coordenada pela Universidade Estadual, a UEMS.

Coordenadora do Pint of Science na região Centro-Oeste, a professora Isis Fariao diz que o objetivo é mostrar como ciência e tecnologia podem e devem ser discutidas em todos os ambientes. É a segunda vez que Dourados participa e em 2016 foi a única selecionada do Centro-Oeste que, neste ano, também inclui Brasília e Goiânia.




Furos feitos em plástico em meia hora por uma lagarta de mariposa

Postado por Marco Eusébio , 27 Abril 2017 às 12:00 - em: Principal

A larva de mariposa, que se alimenta da cera da colmeia de abelhas, também pode degradar plástico. Estudo do bioquímico Paolo Bombelli da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, em parceria com Federica Bertocchini, da Espanha, periódico científico Current Biology, aponta que a Galleria mellonela pode quebrar as ligações químicas do plástico de forma semelhante à digestão da cera de abelha. A descoberta pode ser uma saída para acabar com cerca de 80 milhões de toneladas que o mundo produz por ano de polietileno, que leva cerca de 50 anos para se decompor na natureza. "A lagarta é o ponto de partida", disse Bombelli. "Precisamos entender os detalhes de como o processo ocorre. Esperamos ter uma solução técnica para minimizar o problema do acúmulo de resíduos de plástico." Ele adverte, entretanto, que as pessoas não devem jogar deliberadamente polietileno no meio ambiente só porque agora há uma descoberta sobre como degradá-lo. (Com BBC News)