Campo Grande, Domingo , 19 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: ccr-msvia

Posto de pedágio da para a concessionária CCR MS Via no município de Jaraguari - na saída de Campo Grande rumo à Cuiabá

Postado por Marco Eusébio , 11 Setembro 2017 às 17:30 - em: Principal

A partir da próxima quinta-feira, quem trafegar pela rodovia BR-163 em Mato Grosso do Sul vai pagar mais caro pelo pedágio cobrado pela concessionária CCR MS Via. O reajuste foi autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) conforme resolução publicada hoje no Diário Oficial da União. No caso de um carro de passeio, o aumento em cada praça de pedágio vai variar de 40 a 50 centavos. Quem passar pelos nove pontos de pedágio que vão de Mundo Mundo, no extremo sul do estado, até Sonora, na divisa com o vizinho Mato Grosso, percorrendo 845 km e paga hoje R$ 55,40 vai passar a pagar R$ 59,20 num reajuste médio de pelo menos 6,85%. (Com G1 MS)




Pedágio da BR-163 em MS que a CCR MSVia insiste em cobrar, embora tenha parado as obras em abril

Postado por Marco Eusébio , 17 Maio 2017 às 14:15 - em: Principal

Avançou na Justiça Federal a ação protocolada neste mês pela Seccional estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-MS) contra a CCR MSVia, pedindo que a concessionária que explora o trecho da BR-163 que corta Mato Grosso do Sul seja obrigada a retomar as obras de duplicação da via, conforme contrato, ou deixe de cobrar pedágio. O juiz substituto Ney Gustavo Paes de Andrade, da 2ª Vara Federal de Campo Grande, está convocando representantes da CCR MSVia, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da Ordem para audência no dia 20 de junho, às 14h. Paes de Andrade quer saber detalhes sobre o pedido de revisão de contrato e paralisação das obras no dia 12 de abril e quais medidas a ANTT tomou contra a CCR pelo descumprimento contratual.




Ministro Quintela em reunião com Azambuja e a bancada federal de MS

Postado por Marco Eusébio , 26 Abril 2017 às 09:00 - em: Principal

O valor do pedágio cobrado pela CCR MSVias na BR-163 não terá aumento caso haja revisão no contrato de concessão da via. A garantia foi dada pelo ministro dos Transportes, Maurício Quintela, ao governador Reinaldo Azambuja na noite anterior. A empresa pediu à pasta um reequilíbrio contratual em virtude da queda de 30% no fluxo de veículos nos 845 quilômetros da rodovia. O governador anunciou que o ministério vai aguardar a proposta definitiva da CCR MSVias para definir o que fazer, mas reforçou que exigirá o cumprimento do contrato. "Até setembro eles (concessionária) estão dentro do cronograma das obras previstas. Nesse tempo, deverão ser definidos os novos critérios. Uma das alternativas é conceder um prazo maior para duplicação de 100% da rodovia, pode ser estendido por um ou dois anos. O ministério não aceita mexer na tarifa, não aceita prejudicar o consumidor, não haverá aumento do pedágio”, disse Azambuja.
 



Pedro Chaves e Azambuja durante encontro com prefeitos hoje na Assomasul

Postado por Marco Eusébio , 20 Abril 2017 às 17:15 - em: Principal

A bancada federal de MS se reunirá na próxima terça-feira em Brasília com o presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, para cobrar uma posição contra o pedido da CCC MSVia de abandonar as obras de duplicação da BR-163 previstas em contrato de concessão, embora siga cobrando pedágio dos usuários da rodovia em Mato Grosso do Sul, sob alegação de que a via seja deficitária. O anúncio foi feito hoje pelo senador Pedro Chaves, durante reunião na Associação dos Municípios de MS (Assomasul) em Campo Grande, com participação do governador Reinaldo Azambuja.
 
Se a resposta da agência não for positiva, Chaves diz que a bancada vai apelar ao Ministério dos Transportes e até mesmo ao presidente Michel Temer "para que a CCR honre com os compromissos assumidos" com MS, garantiu. "Se a CCR se declara incapaz de dar continuidade à obra, então que pare imediatamente de cobrar o pedágio e devolva a concessão ao governo federal, para que seja feita uma nova concorrência pública que definirá o nome de outra empresa para assumir a empreitada. O que não pode é paralisar a duplicação e continuar cobrando dos milhares de motoristas que diariamente utilizam a estrada", disse o senador.



Márcio Fernandes cobrou rigor no cumprimento do contrato com a CCR MSVia

Postado por Marco Eusébio , 18 Abril 2017 às 17:50 - em: Principal