Campo Grande, Quinta-Feira , 14 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: bumlai

MPF quer que Delcídio seja condenado por ter 'mentido' sobre fatos que levaram à abertura de ação penal

Postado por Marco Eusébio , 01 Setembro 2017 às 18:30 - em: Principal

Afirmando que Delcídio do Amaral teria "mentido" na delação premiada, o Ministério Público Federal (MPF) pediu hoje à 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília o arquivamento das denúncias contra Lula e o ex-banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, acusados pelo ex-senador de tentar obstruir a Lava-Jato. O MPF diz não ter encontrado evidências de que Lula e Esteves cometeram o crime de obstrução e pediu à Justiça que Delcídio perca os benefícios da delação e seja condenado por ter "mentido sobre fatos que levaram à abertura de ação penal contra sete pessoas". Além de Delcídio, o MPF quer punição para o ex-advogado dele Edson Ribeiro; para o empresário José Carlos Bumlai e para o filho do pecuarista, Maurício Bumlai. As defesas de Lula e de Esteves consideraram a conclusão do MPF como "justa".




José Carlos Bumlai, que prestou depoimento hoje ao juiz Sérgio Moro em Curitiba

Postado por Marco Eusébio , 09 Maio 2017 às 15:30 - em: Principal

José Carlos Bumlai disse hoje em depoimento ao juiz Sérgio Moro, em Curitiba, que tratou com Marcelo Odebrecht sobre a instalação do Instituto Lula em 2010, confirmando a declaração do empreiro em acordo de delação premiada na Lava Jato. O testemunho foi dado no âmbito da ação penal na qual o grupo Odebrecht é acusado de comprar um terreno na zona sul de São Paulo para instalação do instituto, em troca de favorecimento em contratos da Petrobras. Conforme Bumlai, Marisa Letícia, mulher do ex-presidente, morta no ano passado, foi quem pediu a ele que ajudasse na implantação do instituto em 2010, na busca de empresários que pudessem colaborar com o projeto. Marisa, porém, pediu a Bumlai que Lula não fosse informado sobre a iniciativa, disse o pecuarista sul-mato-grossense.
 
EM NOTA, a defesa de Lula afirma que o depoimento de Bumlai mostra que "a ideia de construção de um memorial para abrigar o acervo presidencial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não guarda qualquer relação com os oito contratos firmados entre a Odebrecht e a Petrobras, como diz a acusação do Ministério Público Federal". "Ao depor, o empresário José Carlos Bumlai deixou claro que Lula jamais solicitou qualquer intervenção sua objetivando a aquisição do imóvel da Rua Haberbeck Brandão 178, em São Paulo. Mais ainda, Bumlai informou que lhe foi pedido que não comentasse esse assunto com Lula", acrescenta a nota. (Com FolhaOnlilne)



Cunha na fila de espera: após STF soltar Dirceu e Bumlai, porteira está aberta

Postado por Marco Eusébio , 03 Maio 2017 às 15:20 - em: Principal

Por Guilherme Amado no blog do Lauro Jardim em O Globo:
 
"A cúpula da PGR alimenta a certeza de que José Carlos Bumlai, João Cláudio Genu e José Dirceu foram soltos para preparar o terreno para o STF soltar Eduardo Cunha. Quem acusará o STF de perseguir o PT e proteger Cunha se Bumlai e Dirceu foram soltos?"



Bumlai: livre até da prisão domiciliar, por decisão de Gilmar Mendes, Toffoli e Celso de Mello

Postado por Marco Eusébio , 25 Abril 2017 às 18:00 - em: Principal

A Segunda Turma do Supremo mandou soltar o pecuarista sul-mato-grossense José Carlos Bumlai, condenado em primeira instância na Lava-Jato. A maioria dos ministros levou em conta seu estado de saúde, como o câncer e problemas cardíacos, para justificar a decisão. Em novembro, Teori Zavascki, antigo relator da Lava-Jato no STF morto em um acidente aéreo, converteu a prisão preventiva de Bumlai em domiciliar. Nesta terça, dois ministros votaram para manter a liminar de Teori: o atual relator, Edson Fachin, e Ricardo Lewandowski. Mas outros três ministros da Segunda Turma – Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Celso de Mello – decidiram revogar até a prisão domiciliar. Embora condenado por Sérgio Moro, o caso de Bumlai ainda não foi julgado na segunda instância, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre. Assim, a pena em si não começou a ser cumprida e só pode ocorrer após decisão do TRF4. (Com O Globo)