Campo Grande, Terça-Feira , 16 de Janeiro - 2018


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: assembleia-legislativa-de-ms

O evangélico Herculano tentou barrar votação, mas projeto do católico Siufi foi aprovado pela maioria dos deputados

Pesquisa foi feita de 4 a 12 deste mês em 17 municípios de MS com margem de erro de 2,5 pontos para mais ou para menos

Postado por Marco Eusébio , 14 Dezembro 2017 às 14:20 - em: Principal

E tem também pesquisa do Instituto Ranking sobre intenção de voto para as 24 cadeiras de deputado estadual de Mato Grosso do Sul, divulgada hoje pelo Diário da Mídia que aponta elevado índice de renovação na Assembleia. Dentre os atuais deputados, os três lembrados são Cabo Almi (PT), Marcio Fernandes (PMDB) e Lídio Lopes (Patriota). Dos calouros e possíveis candidatos, os mais lembrados são o locutor de rádio e vereador de Campo Grande Lucas de Lima (Solidariedade), o apresentador do SBT-MS Tatá Marques e o secretário estadual de Administração, Carlos Alberto de Assis. Veja acima.




Os petistas Grandão, Almi Kemp e Amarildo durante bate-boca contra moção de congratulações ao futuro ministro Marun
Proposta do deputado estadual Paulo Siufi de congratulação ao deputado federal Carlos Marun (ambos do PMDB) que tomará posse como ministro-chefe da Secretaria de Governo na quinta-feira em Brasília gerou hoje bate-boca de deputados peemedebistas e petistas na Assembleia Legislativa, em Campo Grande. 
 
Pedro Kemp (PT) usou o microfone de apartes para criticar Marun, afirmando que o deputado "presta um desserviço ao país", por trabalhar em favor do governo por "projetos que retiram direitos dos trabalhadores" e disse que sua atuação é "uma vergonha" para o estado. 
 
Eduardo Rocha (PMDB) rebateu, acusando Kemp de defender o "condenado" Lula. 
 
O petista retrucou chamando o governo Temer de "ilegítimo" e "golpista", apoiado pelos companheiros de bancada Amarildo Cruz, Cabo Almi e João Grandão. 
 
Depois do bafafá e gritos em plenário, o presidente da Casa Júnior Mochi (PMDB) acalmou os ânimos. A votação ficou para amanhã e, embora sem o voto dos petistas, tem apoio da maioria e deve ser aprovada. Veja o vídeo.



Coronel David (à esquerda), um dos votos contrários à proposta do governo aprovada hoje na Assembleia

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ainda não decidiu quem vai para a Secretaria de Justiça e Segurança (Sejusp) quando o atual secretário Barbosinha voltar a ocupar sua cadeira na Assembleia para poder disputar a reeleição em 2018. Mas o voto de hoje contra a reforma da previdência proferido pelo cotado Coronel David "tem um significado", cantou ao Blog fonte de alta plumagem do ninho tucano.




Reforço policial controlou o acesso à Assembleia: lá dentro, servidores e sindicalistas protestavam contra a reforma

Postado por Marco Eusébio , 28 Novembro 2017 às 12:00 - em: Principal

Em sessão marcada por protestos de servidores estaduais e seus sindicatos, e reforço da Polícia Militar na segurança da Assembleia, deputados aprovaram hoje por treze votos a sete a Reforma da Previdência do funcionalismo público de Mato Grosso do Sul que, entre outras medidas, aumenta a alíquota de descontos dos servidores de 11% para 14% e a patronal para 25%. O texto vai à redação final, por causa das emendas, e depois segue à sanção do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).
 
Votaram contra os deputados Pedro Kemp, Amarildo Cruz, João Grandão e Cabo Almi (do PT); Paulo Siufi (PMDB), Coronel David (PSC) e Lídio Lopes (PEN). Votaram a favor: Antonieta Amorim, Renato Câmara, Eduardo Rocha e Márcio Fernandes (do PMDB), George Takimoto (PDT), Herculano Borges Daniel (SD), Mara Caseiro, Onevan de Matos, Rinaldo Modesto, Enelvo Felini e Beto Pereira (do PSDB), Zé Teixeira (DEM) e Paulo Corrêa (PR). Ausentes: Felipe Orro (PSDB), Grazielle Machado (PR) e Maurício Picarelli (PSDB). 
 
Pelo texto aprovado, a contribuição subirá de 11% para 14% para servidores que recebem acima do teto da previdência, equivalente hoje a R$ 5.531,00. Conforme o governo, 75% do funcionalismo recebem abaixo e ficam fora do reajuste. A contribuição patronal sobe de 22% para 25%. Foram unificados os dois fundos previdenciários – um criado em 2012, com superávit de quase R$ 400 milhões, e o antigo, com déficit mensal médio de R$ 80 milhões.



Expediente no Legislativo estadual passa a ser das 7h30 até às 13h30 a partir desta sexta-feira

Postado por Marco Eusébio , 17 Novembro 2017 às 14:45 - em: Principal

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul terá horário de expediente reduzido a partir desta sexta-feira e passa a funcionar das 7h30 às 13h30. O motivo é evitar acidentes com pessoas no local por causa da reforma iniciada há mais de dois meses que entrou na fase de substituição do forro, do sistema elétrico e dos cabos de informática. Conforme publicado hoje no Diário Oficial, a jornada dos servidores em 30 horas semanais ficou estabelecida em seis horas diárias ininterruptas, no horário citado.



Na sessão de hoje da Assembleia, deputados acabam de aprovar indicações de Monteiro e Kayatt para o TCE

Postado por Marco Eusébio , 09 Novembro 2017 às 11:20 - em: Principal

Por unanimidade, os 20 deputados presentes à sessão de hoje da Assembleia acabam de aprovar a indicação dos nomes do deputado federal licenciado como secretário de Fazenda, Márcio Monteiro, e do deputado estadual Flávio Kayatt (ambos do PSDB) para ocupar vagas abertas no Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE-MS) com as aposentadorias dos conselheiros José Ricardo Pereira Cabral e Marisa Serra. As nomeações agora dependem só do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e devem ser publicadas até amanhã no Diário Oficial.




Cabo Almi diz que o repasse de 5% das multas de trânsito poderia ajudar no tratamento dos acidentados

Postado por Marco Eusébio , 03 Novembro 2017 às 18:00 - em: Principal

A destinação de 5% do que for arrecadado com multas de trânsito em Mato Grosso do Sul para hospitais e demais unidades de saúde que atendem vítimas de acidentes envolvendo veículos, é o que prevê projeto apresentado na Assembleia. Autor da proposta, o deputado Cabo Almi (PT) diz que a população questiona a destinação do dinheiro arrecadado com essas multas, e defende que seria justo parte desses recursos ser destinado ao setor de saúde para o tratamento de acidentados.




Barbosinha voltando à Assembleia, David deve ir para a Sejusp e terá até abril para definir se será candidato

Postado por Marco Eusébio , 01 Novembro 2017 às 15:00 - em: Principal

É de 90% a possibilidade de o Coronel David virar secretário de Justiça e Segurança de MS até o fim do ano com a volta de Barbosinha, visando a reeleição, à cadeira de deputado estadual ocupada pelo ex-comandante da PM na Assembleia. A pergunta que andam fazendo é: depois da votação que obteve para prefeito de Campo Grande e com Bolsonaro disputando a Presidência, o Coronel vai abrir mão de voltar a ser candidato em 2018? Ciente do novo prazo para candidatos deixarem cargos públicos, o David faz suspense: "Respondo isso em abril".




Sérgio Cruz, Carmen Cestari e Marcos Farias entrevistando Longen no programa Tribuna Livre da FM Capital

Postado por Marco Eusébio , 26 Setembro 2017 às 14:15 - em: Principal

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, pediu aos deputados estaduais urgência na aprovação dos projetos que criam o Programa de Regularização de Benefícios Fiscais e o Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Econômico e de Equilíbrio Fiscal do Estado (Refis), entregues à Assembleia na semana passada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Em entrevista hoje à Rádio FM Capital, Longen disse que os projetos dão oportunidade as empresas de se legalizar. 
 
"Se você tem um incentivo fiscal que vence em 2028 e não quer fazer adesão para não pagar o fundo, que é de 8% a 15%, em 2028 seu incentivo fiscal termina e o Estado não poderá mais renovar. Caso o empresário decida aderir, ele tem seu incentivo fiscal prorrogado de 2028 para 2033, ou seja, recebe mais cinco anos de benefício fiscal e os que têm decreto também têm oportunidade de ir até 2033 numa situação de legalidade. Ninguém pode questionar que este ou aquele decreto não foi convalidado pelo Confaz", afirmou.
 
O presidente da Fiems reforçou que essa é uma grande oportunidade que o Estado tem de legalizar todos os incentivos fiscais. "Isso vai trazer tranquilidade, vai trazer investimentos, principalmente de grandes fundos que reconheciam nas suas áreas jurídicas muitas vezes a legalidade do incentivo fiscal", declarou.