Campo Grande, Quinta-Feira , 14 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: andre-puccinelli

Pesquisa estimulada aponta elevado índice de indecisos tecnicamente empatado com o líder Odilon de Oliveira em MS
Primeiro dentre os principais nomes a se anunciar como pré-candidato à disputa, Odilon de Oliveira (PDT) lidera a preferência de votos em pesquisa estimulada feita pelo Ranking Comunicação & Pesquisas divulgada hoje pelo site Diário da Mídia, do Toni Ueno, em Campo Grande. O juiz federal aparece na estimulada, com nomes apresentados ao eleitor, com 28.36%, seguido pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) com 17.06%, tecnicamente empatado com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) com 16.13%. É elevado o índice de indecisos. Os que que não souberam ou não quiseram opinar são 27.77% e estão tecnicamente empatado com o líder. 
 
Vale lembrar que a pesquisa não cita o nome do prefeito Waldeli dos Santos Rosa, de Costa Rica, considerado "Plano B" do PMDB para o pleito. Os demais citados são Ricardo Ayache (PSB) com 3.63%, Henrique Mandeta (DEM) 2.73%, Alcides Bernal (PP) 1.70%, Coronel David (PSC) 1.13%, Suél Ferranti (PSTU) 0.83%, Cláudio Sertão (Podemos) 0.43% e Humberto Amaducci (PT) com 0.23%. 
 
NA ESPONTÂNEA, sem citar nomes ao eleitor, Odilon lidera com 18.36%, seguido por André (10.16%) e Azambuja (9.56%) tecnicamente empatados. Nesse caso, Ayache também lidera entre os demais com 2.16%.
 
EM REJEIÇÃO estimulada, citando nomes, o líder é André com 29.13%, Azambuja 30.56%, Bernal 17.63%, Mandetta 3.26%, David 2.50%, Ayache 2.13%, Odilon 1.43%, Amaducci 1.20%, Suél 0.70% e Sertão 0.53%. 
 
Conforme o site, a pesquisa foi feita de 4 a 12 deste mês em 17 municípios de MS, com 3.000 pessoais de 16 anos acima e a margem de erro é de 2,50 pontos para mais ou menos.



Beto Pereira conversa com Marun na convenção do PMDB, onde também esteve o vereador João César Mato Grosso (à direita)

Postado por Marco Eusébio , 02 Dezembro 2017 às 15:45 - em: Principal

A presença dos dois importantes dirigentes tucanos foi simbólica na convenção do PMDB que elegeu o ex-governador André Puccinelli à presidência para conduzir o partido nas eleições de 2018. Prestigiaram o evento o deputado estadual Beto Pereira, presidente regional do PSDB, e o vereador João César Mato Grosso, que preside a sigla na Capital.
 
Beto Pereira alegou à imprensa que estava ali como sinal de gratidão pelo apoio da bancada do PMDB ao governador Azambuja (PSDB) na Assembleia. Muita gente, entretanto, entendeu como um sinal de que os dois partidos poderão voltar a se unir nas eleições do ano que vem.
 
Para alguns, essa união seria improvável, já que o PMDB garante que terá candidatura própria à sucessão de Azambuja. Uma fonte bem informada, entretanto, confidenciou ao Blog que tal aliança, que já foi tradicional em outras eleições, pode, sim, vir a se repetir. "Se os principais cotados ao governo dos dois partidos não forem para a disputa".
 
Isso, só o tempo dirá.



O prefeito Marquinhos Trad ao prestigiar a eleição do ex-governador André à presidência de seu antigo partido, o PMDB

Postado por Marco Eusébio , 02 Dezembro 2017 às 15:30 - em: Principal

Além dos dirigentes tucanos citados na nota acima, o ato político que elegeu André Puccinelli presidente regional do PMDB hoje em Campo Grande teve outras presenças marcantes. Uma delas foi a volta de Marquinhos Trad (PSD) a um evento do PMDB, depois de deixar o partido para conquistar o cargo de prefeito da Capital nas últimas eleições. Também marcaram presença, o ex-prefeito Nelsinho Trad, ex-PMDB e atual presidente do PTB estadual; o ex-deputado federal Edson Giroto, e o empresário e político Antônio João Hugo Rodrigues, sócio acionista do jornal Correio do Estado, que foi um dos primeiros a abraçar André na chegada do ex-governador hoje pela manhã na sede campestre do clube Nipo-Brasileiro, conforme mostra o vídeo abaixo.




Postado por Marco Eusébio , 02 Dezembro 2017 às 15:15 - em: Papo de Arquibancada

Além dos dirigentes tucanos citados na nota acima, o ato político que elegeu André Puccinelli presidente regional do PMDB hoje em Campo Grande teve outras presenças marcantes. A do prefeito Marquinhos Trad (PSD), que deixou o PMDB para conquistar o comando político-administrativo da Capital nas últimas eleições; a do ex-deputado federal Edson Giroto; e a do empresário e político Antônio João Hugo Rodrigues, sócio acionista do grupo Correio do Estado, que foi um dos primeiros a abraçar André na chegada do ex-governador hoje pela manhã na sede campestre do clube Nipo-Brasileiro, conforme mostra o vídeo abaixo.




'Vamos mostrar o PMDB forte e unido' diz André, em vídeo, convidando correligionários para a convenção

Postado por Marco Eusébio , 01 Dezembro 2017 às 15:30 - em: Principal

Reforçando o discurso de candidatura própria ao Governo de Mato Grosso do Sul em 2018, lideranças do PMDB pretendem mostrar "união e força" depois da prisão temporária de seu principal líder, André Puccinelli, na convenção deste sábado em Campo Grande. Por causa do episódio, o ato que era previsto para 18 de novembro, foi adiado para amanhã e elegerá o ex-governador como presidente regional da sigla em chapa de consenso.
 
"Vamos ter candidato ao governo. Quem aposta o contrário, vai perder", disse hoje ao Blog o presidente municipal da sigla, Ulisses Rocha, frisando que o partido possui três nomes para a disputa: "O principal cotado continua sendo o André. Caso o ex-governador resolva não disputar, temos o Waldeli (dos Santos Rosa, prefeito de Costa Rica) que já assinou a ficha de filiação; e o presidente da Assembleia, Júnior Mochi".
 

Em vídeo postado em seu perfil no Facebook, André Puccinelli convida correligionários ao evento marcado para 8h na sede campestre da Associação Nipo-Brasileira em vídeo no Facebook (veja abaixo), Puccinelli afirma: "Vamos mostrar o PMDB forte e unido".




Ex-deputados Antonio Braga, Coronel Ivan e Antonio Carlos Arroyo são reforços do PMDB para 2018

Postado por Marco Eusébio , 01 Dezembro 2017 às 13:30 - em: Principal

Dentre as lideranças que vão se filiar ao PMDB na convenção deste sábado em Campo Grande que elegerá o ex-governador André Puccinelli presidente regional para comandar a sigla nas eleições de 2018, três ex-deputados: "Antonio Braga, Coronel Ivan e Antonio Carlos Arroyo", disse hoje ao Blog o presidente municipal da legenda, Ulisses Rocha.




Lula em vídeo transmitido ao vivo no Facebook: o Zeca e o André sabem quem mais investiu em MS

Postado por Marco Eusébio , 29 Novembro 2017 às 17:30 - em: Principal

"Meu governo e do PT fez os maiores investimentos da história em Mato Grosso do Sul" afirmou Lula, hoje, em entrevista ao vivo à rádio Capital FM 95, de Campo Grande, que a assessoria do ex-presidente reproduziu em vídeo nas redes sociais. "Mato Grosso do Sul recebeu a maior quantidade de dinheiro da história deste Estado. O companheiro Zeca, que foi governador de 1999 a 2006 e hoje deputado federal pelo PT, sabe disso. O ex-governador André Puccinelli, então governador de 2007 a 2014 pelo PMDB, também é prova disso", disse Lula ao radialista Joel Silva, se referindo ao período que comandou o Brasil, de 2003 a 2010. Veja a íntegra em vídeo.




Caso André insista em não ser candidato, Waldeli, que vai se filiar na sigla na convenção, estará apto à disputa

Postado por Marco Eusébio , 16 Novembro 2017 às 18:30 - em: Principal

Seja qual for a decisão a ser tomada na convenção estadual do PMDB adiada para o primeiro sábado de dezembro, dia 2, o partido terá candidatura própria ao governo de Mato Grosso do Sul nas eleições de 2018, conforme integrantes da cúpula confidenciaram ao Blog. O principal nome continua sendo o de André Puccinelli, cotado a assumir a presidência na convenção e conduzir a sigla durante o pleito eleitoral. Caso o ex-governador (que hoje diante da insistência da imprensa lembrou já haver dito antes que não pretende ser candidato) resolva não se candidatar, o principal cotado deverá ser o prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa, que confirmou hoje  ao Blog que vai se filiar ao partido na convenção.




Marun, em nota à imprensa: 'Renovamos a nossa confiança em André Puccinelli, nosso líder maior'

Postado por Marco Eusébio , 16 Novembro 2017 às 16:45 - em: Principal

Depois de se reunir hoje com o ex-governador André Puccinelli e com demais integrantes da cúpula regional do PMDB, que resolveram adiar para o dia 2 de dezembro a convenção estadual do partido, o deputado federal Carlos Marun enviou nota à imprensa afirmando, em alusão a prisão do ex-governador revogada ontem pelo TRF3, que André "foi vítima de uma violência" reforçando a "nossa confiança em André Puccinelli, nosso líder maior". Leia a íntegra:
 
"NOTA EM relação à decisão da Executiva Estadual do PMDB, que transferiu para 2/12 a nossa Convenção Regional, declaro o que se segue:
 
1) Renovamos a nossa confiança em André Puccinelli, nosso líder maior.
 
2) O ex-governador foi vítima de uma violência. Assim sendo, foi correta a decisão de conceder-lhe um tempo para convívio familiar, distante de maiores eventos políticos;
 
3) Mesmo tendo a decisão representado uma perda política, já que faríamos uma convenção histórica, haja visto as dezenas de confirmações de caravanas do interior, entendo que não poderíamos agir como se nada tivesse acontecido, dando sequência normal a nossa agenda;
 
4) Como deputado espero que as circunstâncias no mínimo controversas presentes no episódio sejam esclarecidas, considerando as graves consequências pessoais e políticas resultantes da decisão reparada pelo Desembargador Paulo Fontes, que é oriundo do próprio Ministério Público. Afinal, prendeu-se equivocadamente o candidato que lidera as pesquisas para governador de MS;
 
5) MS é um estado de paz, que exige uma Justiça Sem Partido;
 
6) Por fim reafirmo minha confiança na Justiça e manifesto a certeza de que tudo isto se esclarecerá.
 
CARLOS MARUN
 16/11/17"



Ao lado de Marun e da filha Vanessa, André Puccinelli lembrou que havia dito que não queria ser candidato em 2018

Postado por Marco Eusébio , 16 Novembro 2017 às 15:45 - em: Principal

Depois de se reunir com André Puccinelli no apartamento do ex-governador em Campo Grande e receber dele "carta branca" para tomar a decisão, a cúpula do PMDB anunciou nesta tarde que foi adiada para o dia 2 de dezembro, em local e horário a serem definidos, a convenção estadual da sigla que estava marcada para este sábado no Golden Class. O presidente estadual do PMDB, deputado Júnior Mochi, disse que a decisão de adiar o evento foi tomada "em respeito" ao ex-governador, após sua prisão nesta semana pela Polícia Federal na Operação Papiros de Lama, revogada ontem pelo TFR3. 
 
André continua sendo o principal nome para presidir o PMDB e conduzir o partido nas eleições de 2018, mas não definiu se voltará ou não a ser candidato ao governo. Indagado, ele respondeu ao site Campo Grande News: "Se fosse a candidatura, ela não estaria mantida, porque eu havia dito que eu não queria ser (candidato)".  Diante da insistência dos jornalistas, o ex-governador afirmou que só quando houver a eleição da nova executiva da sigla decidirá sobre a candidatura.