Campo Grande, Segunda-Feira , 11 de Dezembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Posts com a tag: acordao

Jobim e Gilmar Mendes na lista de articulação para suceder Temer e frear a Lava Jato

Postado por Marco Eusébio , 27 Maio 2017 às 11:00 - em: Principal

"Estão em curso em Brasília as tratativas de um acordão que visa a utilizar uma eventual eleição presidencial indireta para 'anistiar' parte do mundo político e colocar o Congresso como contraponto à Lava Jato e ao Ministério Público Federal. Os cérebros da trama atuam, sobretudo, no Senado Federal. Na ponta final da maquinação está o compromisso de alterar a Constituição para garantir foro privilegiado a ex-presidentes da República, o que beneficiaria diretamente Lula, Sarney, Collor, Dilma e, eventualmente, Michel Temer, todos alvo de investigações", diz Alberbo Bombig neste sábado no jornal O Estado de S.Paulo. Pelo arranjo, conforme o jornalista, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) seria vice de um outro candidato, alguém com coragem suficiente para enfrentar a opinião pública e frear os procuradores e o juiz federal Sérgio Moro. "Para o grupo do Senado Federal, apenas dois nomes entre os colocados até agora como pré-candidatos têm peso e tamanho para a missão: Nelson Jobim e Gilmar Mendes" acrescenta Bombig. Leia aqui no site Estadão.




Antonio Palocci e Vaccari Neto: sob vigilância dos companheiros

Postado por Marco Eusébio , 13 Abril 2017 às 13:15 - em: Principal

Da Andréia Sadi em blog no G1:
 
"Após a divulgação da lista de Fachin, a cúpula do PT vai reforçar o monitoramento de aliados que estão presos – e são potenciais delatores – como Antonio Palocci e Vaccari Neto. O partido teme que, com o avanço das investigações da Lava Jato, o ex-ministro e o ex-tesoureiro fechem uma delação premiada.
 
Vaccari e Palocci estão presos. Como poucos petistas, conhecem o funcionamento interno do partido e também podem confirmar – e reforçar – os relatos dos delatores da Odebrecht sobre como funcionava o esquema financeiro do PT com empresas e também das campanhas dos ex-presidentes Lula e Dilma.
 
Petistas querem convencer o ex-tesoureiro do partido a não colaborar, argumentando que os partidos da base e da oposição trabalham no Congresso para aprovar um 'acordão' para descriminalizar o caixa dois.
 
Na semana passada, antes da lista de Fachin, um dirigente partidário visitou Dirceu e Vaccari e relatou à cúpula do partido que sentiu a situação 'sob controle'."
 
Leia aqui a íntegra no G1.