Campo Grande, Sábado , 22 de Julho - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br

Postado por Marco Eusébio , 18 Julho 2017 às 08:00 - em: Principal


Assim como o avô Getúlio Vargas (à esquerda) e seu pai Maneco, Getúlio Neto teria se matado com um tiro no peito

Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 18:30 - em: Principal

Aos 61 anos, Getúlio Dornelles Vargas Neto foi encontrado pela empregada nesta segunda-feira morto com um tiro no peito, que teria sido disparado por ele próprio, em seu apartamento no Bairro Moinhos do Vento, área nobre de Porto Alegre, onde morava com uma filha que estava viajando. Ao lado do corpo foi encontrado um bilhete de despedida para a família. A Polícia Civil da Capital gaúcha registrou o caso como suicídio, mas vai apurar as circustâncias da morte.

Ao tirar a própria vida, o advogado repetiu o gesto do avô, o ex-presidente da República Getúlio Vargas, que também se matou com um tiro no peito em agosto de 1954 no Palácio do Catete, ex-sede do governo federal no Rio; e do pai, Maneco Vargas, que também tirou a própria vida em 1997, igualmente com um tiro no peito, em Porto Alegre.

Getúlio Neto foi um dos fundadores do PDT em 1986, quando disputou uma cadeira de deputado estadual no Rio de Janeiro. Derrotado, deixou a política e se dedicou a carreira de advogado. Há seis anos, aos 55, voltou ao Rio de Janeiro e se filiou ao PPS. Na época, especulava-se que pretendia suceder Eduardo Paes na prefeitura do Rio. A candidatura não aconteceu.

(Com informações de O Globo)




Festa julina será na sede da Paróquia São Judas Tadeu

Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 17:45 - em: Principal

Profissionais e acadêmicos de farmácia se uniram para promover em em Campo Grande seu primeiro "Arraiá dos Farmacêuticos". O evento será na sexta-feira a partir das 17 horas no salão da Paróquia São Judas Tadeu. O ingresso é um litro de leite "de caixinha" ou leite em pó, que serão doados a entidades assistenciais. As barracas ficarão por conta da comunidade da paróquia, comissões de formaturas e instituições sociais. "Vai ter comidas típicas, gente bonita e música ao vivo com bailão", avisa a organização. Mais informações: (67) 99878-1838.




Renata Campos durante gravação de programa eleitoral, a preferida dos tucanos que caçam vice do Nordeste

Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 16:30 - em: Principal

Se Lula poderá ser ou não ser candidato em 2018, ninguém sabe, mas o PSDB já se prepara para tentar reduzir a influência do petista tem entre eleitores do Nordeste e estaria à caça de um político na região para ser vice de um de seus prováveis candidatos paulistas, o governador Geraldo Alckmin ou o prefeito João Doria, diz a Coluna Estadão. A preferida dos tucanos é Renata Campos, viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos. Esse acordo ainda facilitaria uma aliança nacional com o PSB, sonho antigo de Alckmin e que também interessa a Doria. Mas o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM) também é lembrado, diz o Estadão.




Placa publicitária no Bairro Monte Castelo gerou atuação do Procon-MS e academia pode ser multada em até R$ 3,5 mil

Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 15:15 - em: Principal

Uma academia de ginástica em Campo Grande foi atuada pelo Procon-MS por causa de uma frase em anúncio que divulgo em uma rotatória do Bairro Monte Castelo com os dizeres : "Cansado de ser feio e gordo? Seja só feio!" A denúncia foi feita por um consumidor ao "Fale Conosco" do site do órgão, que considerou a publicidade como "discriminatória", o que é proibido conforme o Código de Defesa do Consumidor (CDC). O superintendente do Procon-MS, Marcelo Salomão, disse ao Blog hoje que a acadêmia poderá ser multada em até R$ 3,5 mil. Além do site, denúncias de consumidores podem ser feitas pelo telefone 151 ou pessoalmente no Procon, ao nº 930 da Rua 13 de Junho das 7 às 19 horas. O telefone de contato é (67) 3316-9800.




Paulo Henrique Amorim e Janine Borba anunciam 'bomba' em suposições sobre delação de Antonio Palocci

Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 14:00 - em: Principal

Depois de um período de trégua, a "guerra das TVs" voltou ao ar. A Rede Record do bispo Macedo divulgou com destaque na noite anterior, no programa "Domingo Espetacular" apresentado pelo ex-global Paulo Henrique Amorim, suposições de que a delação de Antonio Palocci estaria gerando "pesadelos" na cúpula da Rede Globo porque o ex-ministro dos governos Lula e Dilma estaria disposto a "contar o que sabe sobre os negócios dos irmãos Marinho" sobre suposto esquema de sonegação bilionária de impostos em contratos de exclusividade para transmissão de eventos por meio de empresa de fachada no exterior. Veja aqui o vídeo no site da Record.




Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 13:00 - em: Papo de Arquibancada

Do jeito que a coisa anda ...ops! (não anda) para tricolores e colorados neste ano, o Milton Neves já anda divulgando nas redes sociais o ingresso do "clássico da Série B de 2018".




Autor: Wagner Cordeiro Chagas (*) , 17 Julho 2017 às 12:15 - em: Falando Nisso

Continuo aqui o breve histórico das gestões administrativas de Mato Grosso do Sul. Neste apresento as características do primeiro governo de Pedro Pedrossian, entre 1980 e 1983. A chegada do então senador e ex-governador de Mato Grosso uno ao cargo significou o fim da instabilidade política vivida pelo estado desde sua implantação. Pedro Pedrossian foi o último governador nomeado pela ditadura militar e em seu período de mandato ocorreu a primeira eleição direta para governador, em 1982.
 
Engenheiro civil, nascido em Miranda (MS), no ano de 1928, Pedro Pedrossian foi diretor da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (NOB) e, nas eleições de 1965, aos 34 anos de idade, elegeu-se governador de Mato Grosso. Praticamente desconhecido, seu nome ganhou destaque devido ao forte apoio dado à sua candidatura pelo então senador Filinto Müller (PSD-MT). Sua chegada ao governo de Mato Grosso do Sul se deu após duas tentativas frustradas e que levaram o estado a ter, entre 1979 e 1980, três governadores.
 
Conforme a historiadora Marisa Bittar (2009), a nomeação de Pedro Pedrossian pelo general presidente João Figueiredo (PDS) foi uma articulação feita para garantir que o estado ajudasse a ditadura, já em seus momentos finais, a vencer o pleito direto aos governos estaduais que ocorreriam em 1982. Pedrossian deixou o Senado para se tornar governador.
 
Afamado pelas grandes obras públicas executadas no antigo Mato Grosso, Pedro Pedrossian administrou o novo estado tendo nas obras sua principal característica. No início de 1981 lançou o projeto Apaporé, um pacote de obras, principalmente de pavimentação de rodovias, que pretendia abranger desde a região do rio Apa, em Bela Vista, até a região do rio Aporé, no município de Cassilândia; o início do Douranaguá, com objetivo de pavimentar o trecho da BR-163 de Dourados à divisa com o Paraná; o Guairá-Porã, na região de fronteira com o Paraguai, e o projeto Getúlio Vargas, voltado para a realização de obras rodoviárias na região da Grande Dourados. Foi nessa gestão que se deu também a conclusão da BR-463, entre Dourados e Ponta Porã.
 
No entanto, apesar de tantas obras, muitas delas não foram encerradas, principalmente por motivos políticos, e só foram concluídas na gestão posterior. O motivo político maior para a paralisação de muitas foi a não aprovação, no Senado, de um empréstimo de 200 milhões de dólares ao Estado, articulada pelos 3 senadores sul-mato-grossense (Rachid Derzi, José Fragelli e Antônio Mendes Canale), simplesmente por vingança política.
 
Ainda a respeito de obras públicas, foi nesse período que nasceu aquele que é talvez o maior símbolo do pedrossianismo: a construção da maior parte do Parque dos Poderes. O complexo administrativo instalado em Campo Grande, no interior de uma reserva florestal pertencente ao Estado, onde passou a funcionar as sedes dos 3 poderes: Governadoria (Executivo); a Assembleia Legislativa (Legislativo) e o Tribunal de Justiça (Judiciário).
 
Na área social, aquela administração criou o Panelão, programa administrado pela Fundação de Assistência Social (FASUL) e coordenado pela primeira-dama Maria Aparecida Pedrossian, cujo princípio era a venda de gêneros alimentícios a preços abaixo do praticado no mercado à população carente do estado.
 
Politicamente, esta administração foi muito beneficiada pelo governo federal, já que para garantir a vitória nas eleições de 1982 o governo João Figueiredo recorreu a um dos velhos vícios da política brasileira, o da liberação de verbas públicas às vésperas de pleito eleitoral. No poder Legislativo contou com uma boa equipe de deputados a seu favor, mas nem por isso escapou das críticas da oposição, liderada pelo PMDB.
 
Na área educacional, realizou-se, em 1981, o primeiro concurso público de Mato Grosso do Sul para professores. Contudo, de acordo com os pesquisadores Wilson Biasotto e Laerte Tetila (1991), foi com essa categoria que o governo endureceu o tratamento, após a primeira grande greve do magistério no final de 1981. Em seguida, demonstrou seu estilo centralizador ao criar uma entidade paralela àquela que representava os professores (Feprosul), a Associação dos Professores de MS (APMS), que congregava somente professores ligados ao partido governista, o PDS.
 
O ano de 1982 foi marcante para Mato Grosso do Sul e para Pedro Pedrossian testar sua popularidade. Primeiro, porque seria a primeira vez que o estado escolheria seu governador pelo voto direto. Segundo, Pedrossian ao indicar um nome de sua confiança para sucedê-lo no governo, o do ex-prefeito de Dourados José Elias Moreira (PDS), colocaria à prova sua gestão de pouco mais de 2 anos.
 
Entretanto, as forças oposicionistas de direita e de esquerda concentradas no PMDB e em seu candidato Wilson Barbosa Martins, venceram o pleito do histórico dia 15 de novembro. Foi uma vitória apertada. No interior, José Elias saiu vitorioso, mas, foi na capital que Wilson Martins levou vantagem e tornou-se o primeiro governador eleito deste estado. Os outros dois candidatos ao Executivo estadual, Wilson Fadul (PDT) e Antônio Carlos (PT) tiveram desempenho pífio. 
 
Nascia no estado uma rivalidade entre 2 grupos políticos que marcou os seus primeiros 20 anos: o grupo de Wilson Barbosa Martins versus o de Pedro Pedrossian.
 
Pedro Pedrossian voltaria a disputar eleições em 1986, para o Senado, mas perdeu derrotado pela dupla do PMDB: Wilson Martins e Rachid Derzi. Seu retorno ao governo se daria em 1990, desta vez eleito pelo povo.
 
(*Wagner Cordeiro Chagas é professor-mestre de História em Fátima do Sul - MS e autor do livro As eleições de 1982 em MS - Life Editora 2016)



Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 11:30 - em: Principal




Sentença de Sérgio Moro condenado Lula a nove anos e meio de prisão e aprovada por 65,5% diz Paraná Pesquisas

Postado por Marco Eusébio , 17 Julho 2017 às 10:15 - em: Principal

Levantamento do Instituto Paraná Pesquisas mostra que 65,5% dos brasileiros consideram justa a condenação de Lula a nove anos e meio de prisão, pelo juiz Sérgio Moro. Outros 32,4% não concordaram com a decisão, e 2,1% não souberam ou não quiseram opinar. maior concordância foi na faixa de 16 a 24 anos (74,7%). A região que menos poiou a sentença aplicada por Moro foi o Nordeste, com 44,6%. A pesquisa ouviu 2.330 pessoas, de forma online, nos dias 12 e 13 de julho, diz a Coluna do Estadão.