Campo Grande, Sábado , 27 de Maio - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br
Cunha, nos tempos de poder, com Cláudia Cruz: ele foi condenado e ela absolvida por Sérgio Moro

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 19:15 - em: Principal

Acusada de evasão fraudulenta de dividas e lavagem de dinheiro, Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, foi absolvida pelo juiz federal Sérgio Moro conforme decisão publicada hoje. O Ministério Público Federal acusava a jornalista de ter mantido manter US$ 1.061.650,00 no exterior sem declaração, além de US$ 1,2 milhão que seriam de lavagem de dinheiro. Esse total foi transferido de contas de Cunha. Moro, entretanto, considerou que há falta de prova suficiente de que Cláudia Cruz agiu com dolo ao manter contas na Suíça ou de que soubesse dos atos de corrupção praticados pelo marido, mas salientou que a jornalista deveria ter percebido que o padrão de vida levado pela família não correspondia a renda de Cunha. "Cláudia ficou satisfeita e aliviada com a decisão", disse à imprensa o advogado Pierpaolo Bottii. Apesar da absolvição, o juiz mandou confiscar o dinheiro bloqueado na conta suíça Kopek, no total de 176.670,00 francos suíços, quase R$ 600 mil na cotação de hoje.




Claro não pode mais mandar mensagens de cobrança nas chamadas dos clientes

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 18:30 - em: Principal


Advogados Felipe Bassegio, Sérgio Muritiba, Fábio Nogueira e Heitor Guimarães vão avaliar caso a caso as denúncias

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 17:00 - em: Principal

Uma comissão criada pela Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS) para analisar os documentos do inquérito do Supremo com base nas delações premiadas dos empresários Joesley e Wesley Batista, da JBS, vai avaliar cada caso dos políticos sul-mato-grossenses citados que atualmente ocupam cargos públicos, a começar pelo governador Reinaldo Azambuja. "A comissão deliberou por cingir o objeto dos trabalhos às autoridades sul-mato-grossenses mencionadas na delação que porventura estejam exercendo cargos públicos, especialmente a do governador do Estado, e ainda, por dever de ofício apurar se houve indícios de infração ético-disciplinar praticada por advogado", disse o conselheiro seccional Heitor Miranda Guimarães, que preside a comissão. O parecer sobre cada caso será entregue ao Conselho Seccional da Ordem. Criada na terça, a comissão inclui ainda os seguintes advogados: Fábio Nogueira Costa (relator), Felipe Ramos Baseggio (secretário) e os membros Sérgio Muritiba e Nancy Gomes de Carvalho.




A uma semana do fim do prazo, Senado aprova MP que autoriza saques do FGTS inativo

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 16:00 - em: Principal

O plenário do Senado aprovou hoje a Medida Provisória (MP) 763/2016 do governo que permite o saque dos recursos das contas inativas do FGTS sem a carência de três anos exigida pela lei. Como não houve mudanças no texto aprovado na Câmara, a MP será promulgada, sem necessidade de sanção presidencial. Embora medidas provisórias entrem em vigor quando publicadas no Diário Oficial da União, elas precisam ser aprovadas pelo Congresso em até 120 dias para não perder a validade. No caso da MP do FGTS o prazo termina na quinta-feira da semana que vem, dia 1º de junho. Com a aprovação, pessoas nascidas de setembro a novembro poderão sacar o fundo inativo a partir de 16 de junho. E nascidos em dezembro, poderão sacar a partir de 14 de julho.




Para Amarildo, exigir atestados só de dirigentes das religiões afro-brasileiras em MS é discriminação

Projeto que extingue a exigência de atestados de idoneidade moral e sanidade mental a dirigentes de entidades afro-brasileiras sediadas em Mato Grosso do Sul foi aprovado hoje, por unanimidade, pela Assembleia. A proposta revoga o inciso 2º do artigo 2º da Lei 910/1989. Autor da matéria, o deputado Amarildo Cruz (PT) diz que essa exigência "não existe para adeptos de nenhuma outra religião, por isso entendemos com uma forma de discriminação". Com a revogação do trecho da lei, as instituições também poderão reivindicar, com menos exigências, benefícios como títulos de utilidade pública e parcerias com o poder público e a iniciativa privada. O projeto ainda tem de ser aprovado em segunda votação, para ir à sanção do governador Azambuja.




A partir de denúncia, fiscalização amanheceu hoje no hipermercado Extra em Campo Grande

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 13:45 - em: Principal

Peixes em estado de decomposição, queijos com prazos de validade vencidos há mais de dez dias, produtos que não são de origem animal com prazo de validade expirado há mais de ano, alimentos armazenados em câmaras frias com temperatura abaixo do indicado foram irregularidades flagrados no hipermercado Extra, da Rua Maracaju, em Campo Grande, hoje pela manhã, em operação conjunta deflagrada a partir de denúncia ao Procon que envolveu a fiscalização do órgão estadual e municipal, a Delegacia de Defesa do Consumidor (Decon) e a Vigilância Sanitária Municipal. Parte da câmara fria onde estavam os peixes estragados foi interditada e pelo menos 200 itens recolhidos. O superintendente estadual do Procon, Marcelo Salomão, disse ao Blog que operações desse tipo já foram feitas no Carrefour e em unidades da rede Comper e que mais de 1000 itens foram apreendidos. Ele avisa que as ações serão intensificadas. "Vamos ter uma agenda muito intensa daqui pra frente com esses estabelecimentos", informou. Ouça o áudio abaixo.




Renan, que abandonou Collor, Dilma e agora Temer, quando o barco começa a afundar

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 12:45 - em: Principal

Por Gabriel Mascarenhas no blog Radar da Veja:
 
"Renan Calheiros tem um cacoete comum a políticos importantes, sobretudo os do PMDB. Ele passa anos navegando e usufruindo de uma embarcação, até surgirem os primeiros sinais do risco de naufrágio. Nesse momento, ele fuzila o casco e pula.
 
A diferença de Renan para os demais é que ele costuma escolher com precisão a melhor brecha para abandonar o barco. Fez isso com Fernando Collor, governo do qual foi líder e que, depois, ajudou a explodir.
 
Caminhou com Dilma Rousseff até os 45 do segundo tempo. Nesse caso, não precisava de tanto cálculo, pois Renan sabia que o poder estaria à sua espera a qualquer tempo. Era seu correligionários que assumiria o Palácio do Planalto.
 
Mas, ainda assim, o roteiro se repetiu. Poucos antes do impeachment, Renan largou a petista e voltou a fazer afagos em Michel Temer, com quem jamais manteve uma relação de confiança.
 
E agora, como age Renan? Como sempre.
 
Ao ver a derrocada iminente de Temer, ele sacou a metralhadora e, a cada dia, intensifica mais as rajadas.
 
Ontem, Renan chegou a bater boca com seu principal aliado nos últimos anos, Romero Jucá, que optou por se manter jogando com o governo.
 
Só não se sabe ainda o nome do próximo eleito para ser traído por Renan."



Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 12:00 - em: Principal




Marun, da tribuna da Câmara, rebate Renan, que o acusa de ter indicado ministro a mando de Cunha

Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 10:30 - em: Principal

As sessões do Legislativo nacional foram marcadas por Renan Calheiros (PMDB-AL) versus peemedebistas de Mato Grosso do Sul ontem. Além do bate-boca com o senador Waldemir Moka no plenário do Senado aqui divulgado, o líder do PMDB usou a tribuna da Casa para atacar o deputado Carlos Marun. Ao voltar a criticar a nomeação de Osmar Serraglio como ministro da Justiça que, para ele é uma indicação de Eduardo Cunha que teve Marun como emissário, Renan afirmou ter dado os seguintes conselhos a Michel Temer:
 
– "Olha Michel. Você pode receber o deputado Marun em qualquer circunstância. Pode botar o Marun como presidente da comissão da Previdência. Pode botar o Marun para fazer a sua defesa na Ordem dos Advogados do Brasil. A única coisa, presidente, que você não pode fazer, é receber o Marun como enviado de Curitiba para nomear o ministro da Justiça". E em seguinta emendou: "Um governo chantageado publicamente, que não tem noção do que significa o que pode ou não pode fazer, continue a ser pautado por um presidiário, inclusive, na nomeação de um ministro da Justiça."
 
Da tribuna da vizinha Câmara, Marun respondeu a Renan: "Pare de mentir. Vossa excelência já está mentindo tanto, que já está acreditando nas próprias mentiras. Vossa excelência não tem consideração pelo seu partido. Vossa excelência não tem consideração pelo seu País. É motivo hoje de vergonha para nós peemedebistas". E repetiu o que já havia dito antes ao senador alagoano, dizendo que visitou Cunha em dezembro porque "eu posso entrar em presídios e sair a hora que eu quiser", acrescentando que no Natal "é muito provável que eu visite novamente. O que eu tenho medo é de encontrá-lo lá". 
 
Veja o vídeo.
 




Postado por Marco Eusébio , 25 Maio 2017 às 10:00 - em: Principal