Campo Grande, Segunda-Feira , 20 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br
Dirson Freitag que pleiteia a reeleição no Crea-MS diz que está recorrendo ao plenário do Conselho Federal

Postado por Marco Eusébio , 08 Novembro 2017 às 11:00 - em: Principal

O Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea) suspendeu a candidatura à reeleição do presidente licenciado do Crea-MS, Dirson Freitag, ao acatar recurso em denúncia de que ele enviou arte de campanha em grupo de WhatsApp dois dias antes do período permitido pelo calendário eleitoral da instituição. As eleições serão no dia 15 de dezembro. "Na primeira instância na Comissão Eleitoral Regional a denúncia foi rejeitada, e recorreram à Comissão Eleitoral Federal que julgou procedente. Cabe recurso ao Plenário do Confea, o que estamos providenciando", disse ao Blog o Dirson Freitag.




Postado por Marco Eusébio , 08 Novembro 2017 às 10:20 - em: Principal




Deputados começaram ontem votação de projetos de um pacote de medidas para reforçar a segurança pública

Postado por Marco Eusébio , 08 Novembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Projeto que acaba com atenuante de pena no Código Penal para criminosos menores de 21 anos foi aprovado pela Câmara ontem e segue à apreciação do Senado. A proposta também elimina a redução pela metade dos prazos de prescrição (depois do qual o criminoso não pode mais ser punido) de crime cometido por menor de 21 anos. Esses atenuantes foram mantidos para pessoas com mais de 70 anos na data da sentença. O texto também permite a quem tem de 16 a 18 anos prestar queixa à polícia, sem precisar de seu representante legal. Deputados aprovaram outro projeto que obriga operadoras de telefonia a instalar bloqueadores de celular em presídios. Os projetos fazem parte de um pacote de medidas de segurança pública que está sendo votado durante esta semana na Casa.




Postado por Marco Eusébio , 08 Novembro 2017 às 08:00 - em: Principal


Oscar Mendes teve a ficha de filiação abonada hoje pelo presidente regional do PTB Nelsinho Trad

Postado por Marco Eusébio , 07 Novembro 2017 às 17:45 - em: Principal

Quinze anos depois de deixar o partido, o empresário e servidor público Manoel Oscar Mendes, que foi membro do diretório municipal da sigla na época do ex-senador Lúdio Coelho, voltou a se filiar hoje ao PTB em Campo Grande, com ficha abonada pelo ex-prefeito e presidente estadual do partido, Nelsinho Trad. Oscar, que já foi diretor-geral da Câmara e é o servidor mais antigo em atividade na Casa, é também conhecido por ter sido durante quase 20 anos proprietário da Churrascaria de Maracaju, no Parque Laucídio Coelho, principal ponto de encontro de visitantes, expositores e políticos durante a exposição agropecuária anual, a Expogrande.




Derrubada de árvores nativas do Parque dos Poderes foi flagrada hoje pela manhã pelo deputado Amarildo (ao centro)

Postado por Marco Eusébio , 07 Novembro 2017 às 16:30 - em: Principal

Mais um flagrante de desmatamento de árvores nativas no Parque dos Poderes, em Campo Grande, foi denunciado hoje pelo deputado estadual Amarildo Cruz (PT), desta vez nos fundos da Assembleia Legislativa. Amarildo disse que recebeu a denúncia pela manhã. "Fomos até o local e constatamos que a Prefeitura de Campo Grande autorizou a realização da obra que faz parte do Complexo Mata do Jacinto", declarou o deputado, frisando que a área deveria ser protegida pelo poder público pois concentra espécies raras de vegetação e é habitat de animais silvestres. O petista voltou a questionar o Ministério Público Estadual sobre a obra. "O MPE fez um levantando das espécies de árvores e a quantidade dos exemplares na área depois que a Procuradoria Geral do Estado deu início a um desmatamento na mesma área, alguns meses atrás. Quero saber se o órgão está de acordo com essa ação, se vai se manifestar", afirmou.




Ex-prefeito Juvêncio César da Fonseca e a esposa Suely, que teria pedido sua transferência para o Proncor hoje

Postado por Marco Eusébio , 07 Novembro 2017 às 15:20 - em: Principal

O ex-prefeito Juvêncio Cesar da Fonseca foi internado em Campo Grande na madrugada de hoje após passar mal em casa com problemas respiratórios. Ex-presidente da Santa Casa, ele foi levado às 1h14 ao Prontomed, pronto-socorro para atender convênios e particulares no hospital, mas só foi atendido cinco horas depois, às 6h20, informa o site TopMídiaNews. O cardiologista Luis Ovando pediu exames laboratoriais e de imagem. Juvêncio estaria consciente, com estado de saúde estável, mas sua esposa, Suely Brandão, pediu a transferência para o Proncor, acrescenta o site.




Defesa pede absolvição de Lula alegando ser 'fantasiosa' delação de Delcídio sobre compra do silêncio de Cerveró

Postado por Marco Eusébio , 07 Novembro 2017 às 14:15 - em: Principal

A defesa de Lula protocolou hoje na 10ª Vara Federal de Brasília, pedido para que seja a anulada a delação do ex-senador Delcídio do Amaral e a absolvição do ex-presidente na ação penal que trata da suposta compra do silêncio de Nestor Cerveró visando obstrução da Lava Jato. Os advogados Cristiano Zanin e José Roberto Batochio afirmam que os depoimentos "demonstraram, de forma clara e absoluta, ser fantasiosa" a versão apresentada por Delcídio no acordo de colaboração premiada e pedem a absolvição de Lula com base na "inexistência de prova do fato imputado". (Com Estadão)




Autor: Reinaldo Dias (*) , 07 Novembro 2017 às 13:30 - em: Falando Nisso

O que os populismos têm em comum é um estilo de governo pautado pelo improviso que não consolida estruturas permanentes de sustentação econômica, pois baseia-se na distribuição de benefícios que tem como contrapartida o apoio eleitoral. O resultado disso são o colapso das instituições e da economia que desembocam no aumento da inflação e no desemprego.
 
O discurso populista é simplista e maniqueísta e se centra na luta de “nós” contra “eles”. No discurso de Lula, por exemplo “nós” são os trabalhadores e “eles” são as elites. No discurso de Bolsonaro, “nós” são as pessoas de bem, e “eles” são todos aqueles que não se identificam com essa categorização (negros, imigrantes, gays, políticos corruptos, ongs, mulheres não submissas, outras religiões). O povo, é identificado como aquele segmento da população ao qual dizem representar; os demais são inimigos do povo. A liderança populista não é institucional, mas pessoal, despreza as instituições democráticas; não é racional, mas movida por emoções que utiliza para enganar seus adeptos; não é pluralista e prega sempre uma pretensa unanimidade associada à palavra povo.
 
A prática populista opõe-se às instituições democráticas como a imprensa livre, a divisão de poderes e principalmente, a autonomia do judiciário. Nenhum sistema democrático está imune ao risco do populismo, que pode ter origem tanto à esquerda quanto à direita do espectro ideológico.  A desestruturação institucional, a perda de legitimidade, da eficácia e da credibilidade das instituições democráticas, a degradação do estado de direito e a corrupção constituem o caldo de cultura do qual se alimenta o populismo.
 
Políticos populistas são vendedores de ilusões no mercado eleitoral, prometem um futuro melhor para as massas empobrecidas em troca de apoio nas eleições. No poder distribuem benesses com o objetivo de manter-se apoiando políticas improvisadas que visam tão somente trazer-lhes benefícios.  Os mais ricos que apoiam essas ações têm a expectativa de que as multidões sejam iludidas e controladas para que mantenham suas estruturas de dominação, como vimos recentemente ocorrer no Brasil com grandes empresas – empreiteiras, bancos, indústrias -  apoiando e sustentando o populismo de esquerda.
 
Historicamente, na América Latina as lideranças populistas sempre mostraram mais afinidade por políticas de esquerda. No entanto, recentemente tem surgido líderes populistas que manifestam ostensivamente sua identificação com políticas de extrema direita. No Brasil o exemplo é Jair Bolsonaro, declarado candidato presidencial e apontado nas recentes pesquisas nacionais de intenção de voto em segundo lugar e em primeiro lugar em estados como o Distrito Federal e o Rio de Janeiro. Suas propostas de conteúdo xenofóbico, machista, racista, contrário à imigração e a diversidade cultural são de tal forma extremistas que muitos se surpreendem que obtenha tanto apoio.
 
As pesquisas eleitorais, mesmo que prematuras, indicam que o populismo atrai ainda importantes segmentos da população, as últimas mostram que Lula e Jair Bolsonaro juntos aparecem com até 50% das intenções de voto. Caso Lula não se viabilize como candidato, Bolsonaro assume a dianteira. Num cenário com múltiplos candidatos, aumentam as chances de a extrema direita ir para um segundo turno difundindo e dividindo o eleitorado com uma plataforma de ódio.
 
A população está cansada dos políticos e das elites empresariais que levaram o país à bancarrota com baixo crescimento econômico, aumento da desigualdade, corrupção, impunidade etc. A pergunta que mais se faz nas ruas é, em quem votar? De fato, estão dadas as condições para que o populismo de extrema direita cresça.  A possibilidade de que aconteça o pior não pode ser descartada. Depois que Trump foi eleito em uma das mais importantes democracias ocidentais, tudo é possível.
 
(*Reinaldo Dias é professor da Universidade Presbiteriana Mackenzie, campus Campinas. Sociólogo, doutor em Ciências Sociais e mestre em Ciência Política pela Unicamp. É especialista em Ciências Ambientais)



Agamenon diz não ver problema em o PDT sair na frente com Odilon e pedirá a Zeca para conversar com as outras siglas

Postado por Marco Eusébio , 07 Novembro 2017 às 12:15 - em: Principal

O PT quer se unir ao PDT, PCdoB, PSB e PV em uma já chamada "Frente Democrática e Popular-MS" para as eleições de 2018 em Mato Grosso do Sul. O assunto será o principal tema em debate em reunião hoje, a partir das 19h, na sede do partido em Campo Grande. Agamenon do Prado, presidente municipal do PT, diz não ver problema em o PDT sair na frente e ter programado para o próximo sábado o anúncio do juiz aposentado Odilon de Oliveira como pré-candidato ao governo. Para o petista, a frente de esquerda poderá apresentar até maio um programa de governo e um candidato(a) para encabeçar esse projeto. Agamenon diz que vai pedir ao deputado federal Zeca, presidente estadual do PT, que inicie entendimentos com dirigentes do PDT, PCdoB, PSB e PV neste sentido.