Campo Grande, Quarta-Feira , 22 de Novembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br
Caixão simbólico da CLT e fotos de deputados e senadores de MS que ajudaram a aprovar reforma trabalhista

Postado por Marco Eusébio , 10 Novembro 2017 às 13:00 - em: Principal

Seguindo movimento nacional de protestos contra a reforma trabalhista que entra em vigor neste sábado, está sendo realizado na esquina da Rua 14 de Julho com a Avenida Afonso Pena nesta sexta-feira em Campo Grande o "Velório da CLT", coordenado pelo comitê que reúne centrais sindicais como a CUT, Força Sindical, CSB, CTB, NCST e UGT. No ato, são exibidas fotos dos deputados federais e senadores de MS que votaram a favor da reforma e um "caixão" simbólico. O "velório" segue com panfletagem convidando a população para o ato principal do protesto com discursos dos representantes dos sindicatos e de movimentos sociais às 16h na Praça Ary Coelho.




Márcia Cabrita vivendo a empregada Neide, um de seus mais marcantes personagens, em A Grande Família

Postado por Marco Eusébio , 10 Novembro 2017 às 12:15 - em: Principal

Morreu aos 53 anos nesta sexta-feira a atriz Márcia Cabrita, no Hospital Quinta D'Or, no Rio de Janeiro, em decorrência de um câncer no ovário diagnosticado em 2010. Artistas, fãs e amigos lamentam a morte nas redes sociais. Márcia Cabrita iniciou na TV Globo em 1992 na minissérie As noivas de Copacabana, interpretando a personagem Adelaide. De 1993 a 1995, participou do humorístico Os Trapalhões e alcançou maior notoriedade em 1997 quando entrou para o elenco de Sai de Baixo, vivendo a personagem Neide. Atuou em mais de 20 projetos da Globo, entre novelas e seriados, como Sítio do Pica-pau amarelo, Sob Nova Direção, Sete Pecados, Beleza Pura, A Grande Família, Morde & Assopra e a novela Novo Mundo, da qual se afastou para cuidar da saúde.




Hospital da Restauração, onde o rubro-negro Severino está internado depois de atear fogo no corpo após a vitória do Botafogo

Postado por Marco Eusébio , 10 Novembro 2017 às 11:00 - em: Papo de Arquibancada


Postado por Marco Eusébio , 10 Novembro 2017 às 10:20 - em: Principal




Luciano Huck avança com cautela: no Rio, conversa com os camaradas do PPS sobre a sucessão de Michel Temer

Postado por Marco Eusébio , 10 Novembro 2017 às 09:00 - em: Principal

Luciano Huck deu mais um passo para ser candidato. O apresentador de TV reuniu-se na casa do economista Armínio Fraga, no Rio de Janeiro, ontem, com o ministro da Defesa Raul Julgmann e o presidente do PPS, deputado Roberto Freire. "Discutiram a sucessão de Temer", escreveu o jornalista Ricardo Noblat, em blog no O Globo.




Postado por Marco Eusébio , 10 Novembro 2017 às 08:00 - em: Principal

O Estado de S.Paulo - SP
"Aécio destitui Tasso e amplia racha dentro do PSDB"
 
O Globo - RJ
"Aécio destitui Tasso, e crise no PSDB se aprofunda"
 
Folha de S.Paulo - SP
"Aécio destitui Tasso e amplia o embate no PSDB"
 
Correio do Estado - MS
"População usa criatividade contra alta de combustíveis"
 
O Estado - MS
"MS precisa de R$ 2,1 bi para recuperar rodovias"
 
Diário de Cuiabá - MT
"Termina greve no Detran, após 59 dias"
 
Correio Braziliense - DF
"Presidente do TST dizque juízes terão de cumprir nova lei"
 
A Tarde - BA
"Aécio destitui Tasso da presidência do PSDB"
 
Zero Hora - RS
"Temer acena com R$ 2,7 bi para obras paradas no RS"
 
Estado de Minas - MG
"Essa barragem é propensa ao rompimento"
 
Diário de Pernambuco - PE
"Casa Militar é alvo de megaoperação da PF"
 
Diário Catarinense - SC
"Vendas no azul fecham ciclo de recuperação de indústrias no Estado"
 
Gazeta de Alagoas - AL
"Assassinato em Batalha reacende clima de guerra"



Tasso, que deve enfrentar grupo apoiado por Aécio na convenção, foi destituído hoje da presidência interina do PSDB

Postado por Marco Eusébio , 09 Novembro 2017 às 17:30 - em: Principal

Licenciado da presidência do PSDB desde maio, quando foi acusado de pedir R$ 2 milhões a Joesley Batista, o senador Aécio Neves (MG) reassumiu hoje o cargo e destituiu da presidência interina o senador Tasso Jereissati (CE), um dia depois que o cearense oficializar sua candidatura ao comando da sigla. 
 
Aécio alegou haver necessidade de "isonomia" entre os candidatos. Tasso deve ter como adversário o governador de Goiás Marconi Perillo, apoiado pelo grupo de Aécio. Até a disputa, em dezembro, o ex-governador de SP, Alberto Goldman, mais velho entre os vice-presidentes da sigla, ocupará a presidência interina do PSDB. 
 
Tasso afirmou em coletiva à imprensa que Aécio pediu que ele renunciasse, para haver equilíbrio na disputa. "Eu sabia que não era isso. E pedi apenas que falasse comigo com toda franqueza, que ele não queria que eu fosse presidente nem candidato, pois temos hoje diferenças profundas", disse Tasso, contando que pediu para ser destituído, para "ficar bem nítida a nossa diferença". Aécio, prontamente, atendeu seu pedido.



O colega Cadu Bortolot, que deixou a equipe do senador Pedro Chaves nesta semana

Postado por Marco Eusébio , 09 Novembro 2017 às 16:30 - em: Principal

O jornalista e radialista Cadu Bortollot, que foi assessor de Delcídio e havia sido contratado pelo seu sucessor no início deste ano, não está mais na comunicação de Pedro Chaves (PSC-MS). Cadu deixou o escritório do senador em Campo Grande na segunda-feira.




Autor: Odilon de Oliveira (*) , 09 Novembro 2017 às 15:45 - em: Falando Nisso

Dois anos atrás, em 2015, de acordo com o Conselho Nacional de Justiça, órgão máximo da administração do Poder Judiciário, a justiça brasileira gastou R$ 79.200 bilhões, tacando para cada pessoa, desde zero ano de vida, 386 reais por ano. Naquele ano, o orçamento da União chegou a R$ 2.382 trilhões. Significa dizer que o Poder Judiciário, incluindo a justiça estadual, gastou 3,32% do equivalente ao orçamento da União.
 
Em torno de 89% se destinaram ao custeio da folha de salário de magistrados e de todos os servidores, federais e estaduais, incluindo diárias, pensões, vantagens e aposentadorias.
 
A justiça dos Estados gastou 56,4% dos R$ 79.200 bilhões. A justiça federal, incluindo os cinco Tribunais Regionais Federais, consumiu R$ 9.977 bilhões ou 12,6% daquele valor, e arrecadou R$ 24 bilhões (240% do que gastou): R$ 91,5 milhões em custas processuais e R$ 23,9 bilhões em execuções fiscais.
 
Nessa arrecadação da Justiça Federal não estão incluídos os ativos recuperados da criminalidade, que, no Brasil inteiro, alcança enorme fortuna. Só a vara federal de lavagem de Mato Grosso do Sul (3ª vara),  titularizada pelo juiz Odilon, nos últimos dez anos, sequestrou e confiscou um patrimônio estimado em R$ 2 bilhões.
 
Isto não significa afirmar a repugnante existência de dois sistemas penais: um para a elite, onde residem também os feitores da lei, e outro para o pobre. Aquele que, normalmente integrante da elite econômica, frauda uma licitação de milhões, mediante pagamento de propina, está sujeito a uma pena de 2 a 4 anos. Todavia, o faminto que arromba uma padaria e furta pães e manteiga pode receber entre 2 e 8 anos de prisão. No primeiro caso, a vítima é toda a sociedade. No segundo, responde pelo prejuízo apenas o dono da padaria.
 
Há muita coisa a ser mudada no sistema penal brasileiro.
 
(*Odilon de Oliveira é juiz federal aposentado em Campo Grande)



Governador Pedro Taques e o deputado federal Nilson Leitão, nos tempos de afinação no PSDB de Mato Grosso

Postado por Marco Eusébio , 09 Novembro 2017 às 14:30 - em: Principal

O governador Pedro Taques que trocou o PDT pelo PSDB oito meses depois de assumir o governo do vizinho Mato Grosso, alegando insatisfação com o apoio da sigla pela qual foi eleito ao governo da então presidente Dilma Rousseff, agora cogita voar do ninho tucano. O motivo é um desentendimento com o presidente do PSDB-MT, deputado federal Nilson Leitão, que decidiu disputar o Senado em 2018 e definiu o ex-vereador Paulo Borges como seu substituto no comando do partido. Isso foi a "gota d’água" para que Taques intensifique o diálogo com outras legendas como o PPS, o PV e o Podemos, diz o Diário de Cuiabá. Da China, em viagem oficial, Taques,afirmou que reunirá aliados na semana que vem em Cuiabá. "Vou reunir com o meu grupo político para definir essa situação de uma vez", declarou ao jornal.