Campo Grande, Quarta-Feira , 20 de Setembro - 2017


Email: marcoeusebio@marcoeusebio.com.br


Delator da Odebrecht cita André, Giroto e Amorim em depoimento à Lava Jato

Reprodução de vídeo Delator da Odebrecht cita André, Giroto e Amorim em depoimento à Lava Jato
João Antônio Pacífico Ferreira durante depoimento à Lava Jato

Postado por Marco Eusébio , 18 Abril 2017 às 09:00 - em: Principal

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) e o ex-deputado federal Edson Giroto foram citados pelo ex-diretor da Odebrecht, João Antônio Pacífico Ferreira, em delação à força-tarefa da Lava Jato, por terem supostamente cobrado e recebido propina para a campanha de reeleição do ex-governador em 2010, tendo o empreiteiro João Amorim como intermediário na negociação. Na delação, Pacífico afirmou que para a empresa receber um crédito em atraso do Governo de MS, que com juros chegava a R$ 23,4 milhões, teria de pagar 10% (veja aqui o vídeo). O caso não virou inquérito, entretanto, porque foi arquivado pelo ministro Edson Fachin (leia aqui).
 
Em nota enviada ao jornal Correio do Estado, que divulga hoje a notícia, André Puccinelli afirma:
 
"Sobre notícias de doação de campanha envolvendo meu nome, tenho a esclarecer que:
 
1 – O governo do estado negociou com o ACOMPANHAMENTO  da PGE (Procuradoria Geral do Estado ) uma dívida do governo do PT de 79 milhões por 24 milhões em quatro parcelas fixas e mensais.
 
2 – EU não pedi qualquer vantagem pessoal mesmo porque tendo exigido junto com a PGE (SETENTA  POR  CENTO  DE  DESCONTO), seria inverossímil acreditar que contribuíssem para minha campanha.
 
3 – Estou à disposição da justiça, como sempre estive, e sou político que sempre abriu mão dos sigilos bancário e fiscal desde o primeiro mandato eletivo, até hoje."



Deixe seu comentário